quinta-feira, 30 de junho de 2011

SEMANA VIVO NA BIG BEN



Luís Omar se encontra nesta sexta-feira, 10h30,com Marcos Eiró, na SEEL.
Mais detalhes amanhã neste blogue!
É o que há. Boa-noite!

ALVÍSSARAS!


Ao assumir o CR Sérgio Cabeça se deparou com uma absurdez: o Remo não é dono da sua marca.

O ex-presidente, Amaro Klautau, firmou contrato com a GOL STORY, empresa de Santa Catarina, repassando à contratada todos os direitos de confeccionar e vender camisas, shorts, bonés e souvenires com a marca REMO por dez anos, com a responsabilidade de pagar royalties ao clube de tudo que for vendido numa loja dentro da sede do clube.

Como o clube precisava de dinheiro para reforma do Baenão, a GOL STORY fez antecipação de R$ 60 mil para descontos nos royalties.

Não concordando com o contrato, Cabeça leva o assunto ao vice-jurídico, Ronaldo Passarinho, que entrega o caso ao consagrado e respeitado advogado Jorge Borba (foto), que logo entra na justiça cível paraense com Ação Ordinária de Tutela Antecipada, solicitando ao juiz do feito a rescisão de contrato com a empresa catarinense.

A ação foi muito bem fundamentada e ao juiz coube intimar os representantes da GOL STORY à apresentarem defesa. Não foi preciso!

Rafael Brogni, sócio majoritário da empresa, veio a Belém e à noite de terça-feira reuniu com Sérgio Cabeça e Ronaldo Passarinho, na sede do CR, e, ao final do encontro, "bom para o empresário, ótimo para o Clube do Remo", no dizer de Passarinho.

A essência do novo acordo: 1) - Contrato de cinco anos: 2) - Não haverá pagamentos de royalties; 3) - pagamento de aluguel do espaço usado na sede pela GOL STORY; 4) - Liberação da marca CR.

Por assim dizer, o Remo volta a ter domínio sobre sua marca, e, depois de tantas derrotas, finalmente, uma vitória.
É o que há!

DISK BIG BEN: 3201-3000

quarta-feira, 29 de junho de 2011

VEM CHUMBO GROSSO

Membros da chapa Novos Rumos, que concorreram eleição presidencial no Paysandu e perderam para Ricardo Rezende e Luís Omar, com este sendo presidente da diretoria e àquele do CONDEL, cansados de serem chamados de "mal" e "vagabundos" resolveram partir para o contra-ataque.

Domingo, no BOLA NA ÁREA,da Rádio Liberal-AM, o presidente bicolor voltou a atacá-los, chamando-os de "vagabundos", porque alguns membros da chapa estiveram ao lado de Artur Tourinho quando presidente e este confessou dívidas que hoje estão sendo pagas pela atual diretoria. É a indignação de Luís Omar.

À noite de ontem, membros da Novos Rumos reuniram e decidiram divulgar através dos jornais nota de esclarecimento à torcida bicolor sobre as acusações do presidente Omar.

"Não vamos atacar ninguém, mas vamos colocar os pingos nos is sobre a real situação do Páysandu", disse o odontólogo Sérgio Chermont.
É o que há!

TUDINHO


ESPERTEZA
Sabendo que alguns conselheiros não estão satisfeitos com a sua administração, Cabeça pediu apoio ao Manoel Ribeiro e Max Fernandes para não ter reunião do CONDEL na noite de segunda-feira. Conseguiu.
“O momento não é prá expor as mazelas do clube e sim de tentar unir os “cardeais”, disse Manoel Ribeiro que mandou “emeio” a todos os “cardeais” desmarcando a reunião.

CHEN
Enquanto o prefeito de Cametá não dava a mínima à imprensa chenzeira de Belém, o de Tucuruí, Sancler Ferreira (PPS), tratava-os a pão de ló e Moet & Chandon (Champanhe francesa) e a “baba” ao final da cada jogo, distribuída pelo Nonato Santos, assessor do prefeito.
Um monstro, além de passagem aérea, teve carro a sua disposição em tucuruí. E haja vibrações contraria ao Paysandu.
O Crítico dos Críticos, Hamilton Gualberto, deu razão às vibrações positivas dos meninos nos gols do Independente.
Quem tomou na tarraqueta foi um pastor, porque um “monstro” entrou na parada e acabou com a boca do irmão. Ô gloria!
O “Trovão” me ofereceu passagem aérea prá ir a Tucuruí. Fazer o quê?

OBRIGADO, MATOSO
Domingo, 14h, estava eu e o Carlos Estácio (Rádio Clube), conversando no hall de entrada do B, no Mangueirão, quando apareceu o radialista-apresentador de TV, Edson Matoso.
- Estás fazendo falta neste horário no rádio, Zé! - Disse Matoso
- Não estou querendo mais porra nenhuma, Matoso, estou pensando em me aposentar e ganhar dinheiro sentado à frente do computador com o meu blogue e o tuiter. E aí ninguém vai me segurar porque vou publicar coisas do arco da velha.
Matoso entrou no elevador e eu e o Estácio continuamos nosso papo sobre o rádio AM belenense da década de 80. Dava prazer ouvir Liberal, Marajoara e Clube. Hoje, com raras exceções, dá engulho ao ouvir repórter anunciar “3 minutos de silêncio”, “sem perca de tempo”, “maiores detalhes”, “Os pessoal ainda não chegaram”, “comentário frio e calculista”. E o pior: não estudam e nem perguntam o certo ou errado, e tem gente que adora abanar o carvão desses apedeutas. É a praga do chalacismo ou medo de sombra?

VAMPETISMO
O futebol brasileiro tem duas fases distintas: antes e depois Vampeta, jogador baiano que jogou no Flamengo numa fase ruim do rubro-negro carioca.
“Eles fingem que me pagam e eu finjo que jogo”. É um axioma que se tornou emblemático no futebol brasileiro.
Enquanto CR, PSC, Cametá não pagavam os seus jogadores em dia, a diretório do Independente remunerava adiantado os seus jogadores .
O mal dos chamados grandes de Belém é comerem como pinto e borrarem como pato.

ABSURDEZ
O governo Dilma Rousseff pretende jogar no lixo a lei de licitações - 12.349/2010.
Com a criação do RDC - Regime Diferenciado de Contratações - arreganha-se as portas para os corruptos deste país.
Tudo isso em nome da Copa do Mundo de 2014 e Olimpíada de 2016 no Brasil.
A oposição, na Câmara dos Deputados, tenta barra esse contra-senso. Tomara!

CARAS DE PAU
Um ex-presidente do Paysandu se encontrou com o Naná, dono da rede de restaurante Treviso.
- Nana, o Zeca divulgou que os cavaleiros do apocalipse do Paysandu te expulsaram da sede porque bebiam, comiam e assinavam notas? Indagou o prócer bicolor.
-Eles não são cavaleiros porra nenhuma, são caras de pau! Respondeu Naná
A consagrada marca ficou na sede do PSC por mais de um ano, mas não agüentou as “penduras” dos cavaleiros do apocalipse: Paulo Moraes, Izomar Souza e Machichão.

LADRAVAZ
Em 30 meses o Paysandu terá que pagara R$ 450 mil para a Amazon Factoryng.
O acordo, feito pelo vice-presidente, Toni nho Assef, começará a partir de 30 de julho: R$ 15 mil.
Artur Tourinho bateu o prego e virou a ponta. Ele ganhou tudo, até o dinheiro do clube. E ainda há quem defenda esse corrupto.
É o que há!

terça-feira, 28 de junho de 2011

DISK BIG BEN:3201-3000

NÃO BASTA TER FORÇA, TEM QUE PENSAR

Em 1970 a seleção brasileira encantou o mundo com futebol requintado, de alta resolução.

Zagalo comandou o time tricampeão: Felix, Carlos Alberto Torres, Brito, Piazza, Everaldo, Clodoaldo, Brito, Gerson, Jairzinho, Tostão e Pelé este time tinha convicção que quem tinha que correr era a bola, dizia Rivelino com seus passes milimétricos.

Em 1974 surgiu um pensador europeu que divergia do axioma brasileiro: “Os jogadores têm que está onde a bola estiver”, quem assim dizia era o audacioso Rinus Michels, técnico da seleção holandesa de 1974, que assustou o mundo da bola com o Carrossel Holandês ou Futebol Total, em campo comandado pelo cerebral Johan Cruijff.

Ironicamente Zagalo chamava os holandeses de “futebol alegrinho”, mas quando a seleção canarinho se cruzou com a “laranja mecânica”, além do vareio de bola, tomou de 2 x 0 e nunca na história da nossa seleção uma onzena brasileira foi tão violenta como à de 74 com Leão; Zé Maria, Luís Pereira, Marinho Perez e Marinho Chagas; Paulo César Carpegiani, Rivelino e Dirceu; Waldomiro, Jairzinho e Paulo César.

Zagalo não conta essa derrota: a seleção foi tão viril que tentou parar Cruijff e Cia. na porrada. Luis Pereira foi expulso por tentar partir no meio Neeskins. Os holandeses perderam o título para a Alemanha Ocidental, em final memorável, mas revolucionaram a maneira de jogar futebol. Futebol que reunia técnica e força física. Jogadores e a bola simbolizavam um carrossel.

Na década de 80, em Belém, eu vi um jogador acima dos 35 jogar como um jovem de 18 ou 20 anos: Biro-biro,meio-campista que jogou no CR. Ele era o primeiro a chegar no Baenão e o último a deixar o campo. Não fumava, não andava em barcada e se cuidava muito.

Domingo, no Mangueirão, dois jogadores acima dos 35 fizeram a diferença: Gian (Independente) e Sandro Goiano (PSC), que entrou no segundo tempo e mudou o ritmo de jogo do Paysandu, que perdia por 3 x 1 e chegou aos 3 x 3 com gol de Sandro, aos 41.

No sábado, no hotel, conversei com Gian e ele me disse que sabe das suas limitações, mas que se cuida e em campo delimita uma faixa e ali desenvolve seus planos, tendo visão periférica dos seus companheiros.

Sandro Goiano não marca, mas com a bola nos pés sabe o que fazer, fazendo com talento. É o caso de Gian que foi cassado pelo Alexandre Carioca e a história do jogo começou a mudar quando o jogador do Papão recebeu cartão amarelo do árbitro Clauber Miranda.

O que esses dois jogadores têm em comum? O pensamento. O poder cognitivo. Eles não têm força física, mas sabem pensar e executam com inteligência. Mimam a bola e sabem tocar na hora do passe.

Sandro saiu de campo dizendo que pretende parar no final do ano, mas quer chegar à segunda divisão com o Paysandu. Se ele se cuidar, chegará, porque sabe pensar.

Aliás, hoje o google não deixa a rapaziada pensar: a moda é pesquisar.

Continuo pensando que jogador acima dos 30 prá jogar em Belém tem que ser cuidadoso com o corpo e talentoso, se não foi assim vem prá “roubar”.
É o que há!

segunda-feira, 27 de junho de 2011

DISK BIG BEN:3201-3000



Amanhã: Não basta ter força, tem que pensar!

A INOPERÂNCIA DA CELPA


O poste da Rede Celpa tombou sobre o muro da área da ACLEP - Associação dos Locutores e Cronistas e Esportivos do Par-a - havia um mês e lá está levando perigo àqueles que circulam pela travessa.

Os atuais dirigentes da entidade - Geo Araújo e Nildo Matos, presidente e vice, respectivamente, estão com calos nos dedos de tanto discarem para o serviço de atendimento da Rede que diz que os técnicos vão ao local e lá não chegam.
É o que há!

PREFEEITO SANCLER QUER 2MI DA ELETROBRAS


O Vasco da Gama, do RJ, tem como principal patrocinador a ELETROBRAS.

Como é sabido, o Estado do Rio de Janeiro não tem usina geradora de energia elétrica como tem Tucuruí, a segunda do Brasil e a quarta do mundo, com uma capacidade geradora de oito milhões de KWH.

A ELETROBRAS patrocina o clube carioca porque é uma empresa de economia mista e de capital aberto, tendo o governo federal o maior acionista e é a controladora das empresas de geração, transmissão de energia elétrica em todo o Brasil. No caso de Tucuruí a subsidiária é a ELETRONORTE, com sede em Belém do Pará.

Portanto, conseguir o que o Vasco estampa em sua camisa, é uma questão de prestígio político.

O prefeito de Tucuruí, Sancler Ferreira(PPS), apresentou à ELETROBRAS proposta de patrocínio no valor de R$ 2 mi. para o Independente Esporte Clube, campeão paraense de 2011.

“Se a ELETROBRAS patrocina o Vasco, pode patrocinar o Galo Elétrico, e o prefeito Sancler já apresentou a proposta à empresa, através da ELETRONORTE”, revelou o radialista Nonato Santos (de vermelho, na foto) Coordenador do Comitê de Imprensa da prefeitura de Tucuruí, ontem no Mangueirão.

R$ 100 mil reais é o valor da premiação que será rateada entre jogadores e comissão técnica do Galo Elétrico, que deixa Belém hoje de manhã.
É o que há!

domingo, 26 de junho de 2011

PRESIDENTE ANUNCIA 12 JOGADORES


Luís Omar a nunciou ontem, após a perda do título para o Independente, que 12 jogadores já foram contratados pelo Paysandu.

Zagueiros: Marcio Santos, Wagner, Jorge Felipe e Rodrigo Salmoão(Argentino);
Laterais: Gean e Fábio Gáucho;
Volantes: Rodrigo Pontes e Charles Wagner;
Meias: Juliano César, Robinho e Luciano Henrique;
Atacantes: Waldo e Diogo Galvão

Estes jogadores, segundo o presiente Luís Omar(foto), estarão na Curuzu a partir desta segunda-feira, 27.

A diretoria bicolor não se fará presente à festa dos melhores da temporada da RBA, Camisa 13, dia 28.
É o que há!

EM 7 MESES O INDEPENDENTE NÃO ATRASOU PAGAMENTO

Independente, merecidamente, é o campeão paraense de 2011.É histórico!

Empatou em 3 x 3 com o Paysandu depois de fazer 3 x 1 no primeiro tempo.

Paysandu, com as entradas de Welington e Sandro Goiano, no segundo tempo,foi melhor e chegou aos 3 x 3.

"O Independente pagou em dia seus atletas e comissão técnica e o trabalho hoje chegou a recompensa e os grandes da capital têm que melhorar", Delei, presidente do Independente após a vitória nos pênaltis.

Fábio Gaúcho, Lima e Ádson cobraram tiros diretos da marca da cala e marcaram para o Independente.

Sidny, Rafael Oliveira e Mendes cobraram e chutaram por cima do arco do goleiro Osmaí.

O presidente Luís Omar precisa, neste momento, fazer mudanças no time e, inclusive, na sua diretoria, pois está cercado de subservientes e incompetentes.

"O Independente chegou ao título por merecimento", disse o Roberto Fernanades, em entrevista coletiva.

O PSC é um time ruim: fisicamente e tecnicamente.

Vai ser renovado para a campanha da série D!
Pode agurdar!

INDOMÁVEL, NEFANDO, IRREVERENTE,IMPOSSÍVEL,METICULOSO E INSTIGANTE


PERDÃO, MEUS BLOGONAUTAS
Começo este PULO DO GATO com escritos que não tem nada a ver com futebol.
Aliás, tem sim porque tem jogador por este Brasil a fora que se dopa prá jogar.
Penso que os doutos juristas brasileiros que têm o direito e o dever de cuidar, operar o direito não estão se entendendo, e isso deixa este blogueiro apostolado (que já foi imbecil algumas vezes) encucado.
Ministros do STF liberam o casamento gay; juiz de Goiânia emperra e alguns seguimentos religiosos aplaudem; estes mesmos Ministros da Suprema Corte concordam com a marcha da maconha. E haja lombreiro saindo do armário! E a sociedade - parte dela - condena.
Nada contra porque já fui lombreiro e muitas das vezes, nas décadas de 80/90 aprontava no Mangueirão com a “cabeça feita”, e um dia larguei: não me peguei com Deus prá largar o vício. Não fui à igreja dá dinheiro prá pastor. Criei vergonha na cara num dia do mês de novembro de 1990, no Rio de Janeiro, falei prá mim mesmo: “Não te fumo mais!” E até hoje não sinto falta, pelo contrario, ganhei uma enfisema pulmonar que é muito bem controlada por mim. Foi uma das minhas vitórias.
Penso que o vício da droga, no mundo, é uma questão de saúde pública e por assim dizer todos têm que estudar os efeitos do tetrahidrocarbinol (princípio ativo da maconha) no ser humano: governos (federal, estadual e municipal), juízes, pesquisadores de toxicologia, médicos-legistas, advogados criminalistas, enfim, os seguidores de Lombroso.
Quem nunca deu um pito num “preto”, não pode ter decisão sobre a maconha. Tem que ouvir os seguimentos envolvidos com o tema prá se ter opinião e decisão. Não custa ouvir todos.
Liberar por liberar não é lógico. Temos que cuidar das novas gerações deste país. Quem assim se expressa é um ex-maconheiro, mas que tive a determinação de romper com meus desejos, e quem não têm controle sobre seus instintos é um incapaz, mas nem todos têm essa coragem de brigar com seus desejos.
Afinal, o que há é uma hipocrisia. A maconha está em todos os seguimentos da sociedade.

AFINIDADE
“Desde 2003 que penso no Remo, mas não é correto eles contratarem jogadores prá que estes paguem os que levaram o clube à justiça. E isso vira uma bola de neve. Comigo foi assim” (Gian, ex-jogador do CR que hoje defende o Independente)

TENTAÇÃO
“Ainda tem cartola que pensa que o dinheiro pode tudo. A gente recebe telefonema de intermediários, oferecendo mundos e fundos, mas eu tiro de letra e comunico ao “Gui”; naquele Independente e Cametá eu fiquei em Breu Branco e só fui prá Tucuruí às 14h e cheguei - eu e os meus colegas - às 15h na cidade, passando direito para o vestiário do estádio.” (Cleison José Miranda, árbitro que apita hoje a final do Parazão)

SEM AMBIENTE
“O presidente Cabeça veio aqui quarta-feira da semana passada, deu um cheque prá gerente do hotel, mas o cheque voltou por falta de fundo e prometeu pagar a gente na sexta-feira e até hoje não deu mais as caras. A gente vai na sede e não consegue falar com ele. A dona do hotel está olhando prá gente de banda. Estamos prá ser despejados.” (Jailton Paraíba com a aquiescência de Ratinho, no hotel Paraíso, à tarde de ontem)

BABA OVO
O Louro se foi do Paysandu porque não admitia dividir o cargo com o “cavaleiro do apocalipse”
Izomar Souza, que nunca deu uma “ana” ao clube.
Louro, às vezes, quando Luís Omar estava nervoso, servia cigarro ao presidente.
Agora, dizem às más línguas, que Izomar Souza é o melhor garçom que o presidente tem: ele serve uísque de boa procedência ao prócer bicolor.

PASPALHÃO
“Este tribunal reage mal e é lento” (Auditor do TJD do Pará, André Oliveira, criticando seus pares na cara, dia 20)

AFINAL...
Edilson Belém está ou não está irregular?
Compete ao Tribunal de Justiça Desportiva do Pará verificar se o jogador tem ou não dupla identidade
Por que os dirigentes do Independente pediram para o Sinomar não mais o relacionar entre os jogadores?
O advogado do atleta, na tribuna do TJD, não disse nada com nada sobre a identidade do seu constituinte.
Se o Independente for campeão, ele receberá a faixa?
Tentei, por telefone, contato com o atleta e não foi possível.
Penso que aí tem!...

ILÓGICO
O Brasil é o país dos absurdos.
Lula decide e STF confirma permanência de bandido, assassino, Batisti, no Brasil, contrariando acordo bilateral entre Brasil e Itália;
Prende quem rouba prá comer e deixa solto corruptos, patifes engravatados;
A mais recente: a Academia Brasileira de Letras prestou homenagem a Ronaldinho Gaúcho, condecorando-o com a medalha “Machado de Assis”. É sacanagem!
Será que o dentuço, que está “roubando” a maior torcida do país, leu uma crônica machadiana? Será que ele conhece Capitu?Bentinho? Eu, hein?!

PANÓPTICO
Cada vez que vejo o nosso Paulo Henrique Ganso em campo fico mundiado coma sua beleza plástica de jogar futebol. Pode até ser defeito
Neymar é ousado, driblador, moleque, mas Ganso é estiloso , elegante.
Com a bola ou sem ela nos pés, ele tem visão periférica do campo de jogo.
Ele é a naja (cobra africana que levanta a cabeça quando ameaçada) do campo.
O passe de calcanhar para Arouca foi à plasmação do real de forma irreal: é surrealismo! E só os gênios sabem pintar dessa forma.
Ganso é o Salvador Dalí dos campos de futebol.

BOLA NA ÁREA
Às 19h na Rádio Liberal-AM!
É o que há!

sábado, 25 de junho de 2011

SEMANA VIVO BIG BEN

JOGADORES ESTÃO PRÁ SER DESPEJADOS


Três jogadores do CR estão hospedados no Hotel Paraíso, na Timbó, entre João Paulo II e Almirante Barroso: Jailton, Ratinho e Léo Franco.

Ontem, ao verem este blogueiro, jogadores reclamaram da falta de pagamento de salários e o clube deve dois meses o hotel. “O presidente Cabeço veio aqui quarta-feira passada e deu um cheque prá pagar nossas hospedagens, mas voltou por falta de dinheiro na conta e a gerente está a fim de nos mandar embora e nós não temos prá onde ir”, disse Jailton Paraíba.

“Passei a manhã na sede e não conseguir falar com o presidente e agora estou a fim de voltar lá”, revelou o atacante Ratinho, que depois pediu meu celular e conversou com o Max Fernandes. Ao conversar com Max pelo celular, Ratinho se isolou e nada foi revelado do papo.

Depois de quase dois minutos, Ratinho me devolve o celular e mais tranqüilo disse que ia à Igreja Quadrangular onde congrega.

Jailton e Ratinho saíram com a Bíblia nas mãos e foram pedir a Deus ajuda para solução dos seus problemas.

Léo Franco preferiu ficar calado e saiu de fininho rumo a João Paulo II.

BOLA NA ÁREA, às 10h, na Rádio Liberal-AM - 900kwz
É o que há!

sexta-feira, 24 de junho de 2011

VILA OLÍMPICA DE MOSQUITO


Fui ao Mangueirão hoje de manhã assisti ao treino do Paysandu e - pasmem - na lateral do gramado - detrás da trave do lado norte do estádio(Augusto Montenegro) o aedes aegypti brinca de pira em meio garrafas de refrigerantes.

O Mangueirão precisa de um "banho", secretário Eiró!
É o que há!

HOJE NÃO TEM PILANTRA NO APITO PARAENSE


Desde 2002 pertence ao quadro de árbitros da Federação Paraense de Futebol.

É testemunha de momentos negros da arbitragem paraense e conviveu com árbitros de conduta nebulosa.

Hoje aos 41 anos de idade, homem religioso, casado, pai de dois filhos, vive a fase de ouro do apito paraense: Clauber José Miranda apita a final do Parazão domingo no Mangueirão entre Paysandu e Independente sendo um dos cinco melhores apitadores do Estado.

“Deus reservou este momento prá mim. Eu tive paciência, mas sempre acreditei que um dia pudesse aparecer alguém na Federação que fizesse as reformas necessárias, expurgando do quadro quem não tinha condição de estar no nosso meio. Foi José Ângelo Miranda quem teve essa visão e fez mudanças, confiando no Guilhermino prá comandar a Comissão de Arbitragem do Pará”, disse Clauber José Miranda a este blogueiro à tarde de ontem.

Hoje o apito do Pará tem moral. Os árbitros paraenses não dependem dos favores dos cartolas como acontecia em passada não muito distante, quando apitadores viviam à custa dos dirigentes.

“Zeca, tem pilantra no apito paraense. Eu já comprei e dei pneu de carro para árbitro de futebol”, quem assim falou foi o ex-presidente do Águia de Marabá, hoje deputado estadual, presidente da CPI do Tráfico de Humanos. E tenho testemunhas que ouviram ele falar em uma das mesas do Boteco das Onze Janelas.

Todos esses árbitros patifes, vendilhões saíram do quadro de apitadores da Federação sem serem mandados embora: se mancaram e viram que José Ângelo, Guilhermino, Paulo Romano não iam tolerar desvio de condutas e foram saindo um a um. Alvíssaras!

A geração de apitadores que aí está é pobre financeiramente,uns funcionários públicos,outros de empresas privadas, graduados e estudantes, mas é digna de caráter, e nenhum dirigente, hoje, ousa dizer que o “melhor ponteiro do seu time foi o homem da bandeira” como dizia Miguel Alexandre Pinho.

Meto a mão no fogo pelo novo apito paraense porque não ouço os atuais dirigentes falarem mal dos homens de preto.Há divergências(poucas), mas ninguém diz que "fulando está no bolso de fulano". É um novo empo!
É o que há!Q

quinta-feira, 23 de junho de 2011

TUDO BARATO NO GRUPO BIG BEN

MINHA RESPOSTA - 2

Meu querido César Tavares,

"Nada nos deixa tão solitários quantos nossos segredos" e é por esse axioma de um filósofo francês(A CABANA) que começo minha resposta a sua pergunta: Por que tenho que mudar de caráter se um dia for político, conforme explicitei em postagem no dia 20 neste blogue: MINA RESPOSTA.

1 - Fui instado pelo ex-presidente bicolor, Rui Sales, a expor a ideia ao PSC;
2- O presidente Luís Omar encampou a proposta e domingo passado o PSC entrou em campo com a faixa contra a separação do Pará;
3 - O Independente vai dá o troco domingo no Mangueirão: pela separação;
4 - A princípio sou pela separação e já expus os motivos neste blogue;
5 - O que lhe interessa: por que mudo de caráter se um dia for político - o que não passa pela minha cabeça.
6 - Terei que ser mentiroso;
7 - Tenho que ser fiel ao estatuto do partido;
8 - Fazer acordo com políticos do tipo patifes engravatados;
9 - Terei que concordar com político corrupto só porque ele é o presidene do partido;
10 - E eu me pergunto: recusarei malas de dinheiro prá votar em propostas do executivo?
11 - Não empregarei parentes meus desempregados?
12 - Será que ficarei calado diante desses políticos pastores que nos púlpitos das suas igrejas pregam uma coisa e no parlamento tomam benção de Jáder Barbalho, Ademir Andrade e ourtros corruptos?
13 - Será que vou deixar o cavalo passar selado a minha frente e não montarei?
Então, meu preclaro César Tavares, prefiro ser um simples cidadão.
Creio que respondi.

A NOVOS RUMOS CAUSA URTICÁRIA EM L.OMAR


Domingo, 19, 19h, programa BOLA NA ÁREA, da Rádio Liberal-AM, apresentado por este blogueiro, o presidente do Paysandu, Luís Omar, disse: “Essa cambada do mal! Esses pilantras que serviram o Tourinho e que hoje as rendas do clube estão sendo bloqueadas...”

Eu já chamei Luís Omar de porra-louca, porque às vezes ele assusta. Mas é a forma dele agir contra àqueles que lhe fazem oposição. Não é nervosismo, não. É caráter.

Luís Omar é um homem endinheirado, tem uma dona Chica do seu lado que é mais anjo- da-guarda do que esposa (dizem os mais chegados) e, portanto, não tem por que andar agoniado. A situação financeira do clube o deixa nervoso? Então larga!

A Novos Rumos, ao que parece, da urticária ao presidente bicolor. Ele não perde oportunidade para atacar.

O odontólogo Sérgio Chermont, que um dia disse que se abrir a boca “não fica pedra sobre pedra”, exigiu reunião dos seus pares, e à noite de segunda-feira Wandik, Bira Lima, Pedro Crispino, Clodomir Jr., Alberto Maia, Sérgio Serra, Leonardo Maia e outros componentes decidiram silenciar neste momento que o time do PSC se prepara para decidir o título do estadual contra o Independente.

“Queremos ver o Paysandu tricampeão e por isso resolvemos calar, mas depois de domingo com o Paysandu sendo campeão ou não nós vamos ter atitude diante das agressões do Luís Omar. Se eu falar, ele não fica em pé”, disse Chermont.

Bira Lima, como de sempre comedido, revelou que conversou com Olívio Câmara e que está disposto a dar tempo ao tempo, mas “é difícil silenciar diante das agressões verbais do presidente.”

Há quem diga que Luís Omar é igual Fidel Castro: ele ama o Paysandu mais do que qualquer outra pessoa. Assim é Fidel em Cuba.
É o que há!

quarta-feira, 22 de junho de 2011

NESTE FERIADO TUDO BARATO NA BIG BEN



NOVOS RUMOS, A URTICÁRIA DO PRESIDENTE LUÍS OMAR.
Amanhã, neste blogue.
Boa-noite!

NÃO SOFRO INFLUÊNCIA E NEM SOU FORMADOR DE OPINIÃO

Meu querido blogonauta César,
Profissionalmente,na qualidade de professor e jornalista, não sofro influência de ninguém.Não tenho ídolos. Não acredito nesse Deus que todo mundo se apega;não acredito em Alan Kardeck, em Chico Xavier, em Jesus, em espírito, em Axé, mas respeito a todos.Acredito na minha capacidade de realizar; acredito em minha mãe, a Tia Mariam,que mora em Macapá de quem tomo benção uma vez por semana.É apostolado!
Tenho meu estilo e dele não abro mão.
Embora reconheça que o mundo gira em torno do imediatismo, adoro pensar.
Não sofro influência dos meus patrões(ORM),mas obedeço-os e amarro o burro onde eles mandam porque me pagam muito bem prá fazer o que faço, contudo obedecendo limites imposto pela empresa.
A Rádio Liberal não é minha, não sou diretor e simplesmente um funcionário e como tal sigo determinações.
Mas, neste blogue apostolado sou responsável pelo que escrevo e por assim dizer o meu compromisso é com o fato. Simplesmente, o fato recheado de opinião.
Opinião que pode ser contraditada porque não sou e nem pretendo ser o dono da verdade.Não sou mais inteligente que a inteligência e nem mais sabido que a própria sabedoria.
É por isso que me recuso a ser formador de opinião, como alguns "papagaios" da mídia se arvoram a dizer que jornalistas, radialistas e professores são formadores de opiniões. Eu não sou! Eu tenho opinião e adoro o contraditório.
Formadores de opiniões são o Papa,os árbitros de futebol dentro das 4 linhas(esses são os piores ditadores), o vagabundo e assassino Fidel Castro e todos àqueles que não aceitam ser contraditados.
É o que há!

TORCIDA EMPURRA, MAS NÃO ENSINA A JOGAR

Um dia desses indaguei no @tudaoetudinho qual o setor de um time de futebol deve ser mais inteligente.

Vários seguidores responderam que é o meio-campo. Penso que não é, mas respeito à opinião daqueles que não pensam igual a mim.

Cá com meus botões, penso que o setor que deve ser mais inteligente de um elenco futebolístico é a zaga. É ela que joga de frente. É ela que está visualizando as jogadas e ela que tem a obrigação de orientar os companheiros. É por isso que a grande maioria dos treinadores tem como capitão do time um zagueiro.

O meio-campo tem que ter um jogador criativo. Tem que pensar rápido. Tem que antever o lance e saber onde está o atacante. É isso que o Gian faz e principalmente quando joga sem marcação como jogou domingo, 19.

Assistindo ao jogo Independente 2 x 2 PSC, pela TV, senti saudade do zagueiro Ari porque Diguinho é ruim que dói; Zeziel não foi lateral e nem ala durante os 90m e vi o Gaúcho entrando no vácuo e haja Alexandre Carioca, que foi mais zagueiro do que volante, se virar igual charuto em boca de bêbado.

Se a zaga não teve rasgo de inteligência, o meio-campo pior: não fez um lançamento, não criou nada, e o Gian, com peso dos seus 36 anos, jogou sem marcação e se deu ao luxo de pedir prá sair. “O Paysandu laçou o boi” no dizer do experiente repórter Agripino Furtado. E laçou mesmo.

Sem cinco titulares o Independente colocou o Paysandu na roda, mas não soube tirar proveito da fragilidade técnica e física do time do Papão. Vem prá Belém com time inteiro!E o Galo não joga retrancado. Pelo menos sempre foi assim,a não ser que dmingo mude. Penso que não.

O que não consigo entender como é que o técnico do Paysandu escala três volantes e não manda nenhum pegar o velho Gian, que é o cabeça pensante da equipe.

Enquanto no Galo tem Gian que pensa e que arma os contra-ataques, no time do Paysandu Roberto Fernandes não pode prescindir- no jogo de domingo - de Wânderson e do velho Sandro Goiano para o segundo tempo. Este não tem pique, mas pensa e pode num rasgo cognitivo colocar de cara um dos atacantes bicolores.

Prá este blogueiro apostolado o jogo de domingo passado serviu prá mostrar que o técnico do Paysandu não pensa em Wânderson, em Zé Augusto e Sandro Goiano para a campanha da série C. Está correto. Hoje no futebol mundial nenhum treinador quer no seu time jogadores com idade superior a 30 anos. Não tem futuro pra jogar em temperatura amena, imagine prá jogar sob sol “bochechudo”.

Se ele não pensa nesses jogadores para o futuro é uma coisa. A outra é ser tricampeão paraense, mas com o meio-campo que jogou contra o Independente pira paz... Ele terá que contar com o bafejo da sorte. E às vezes o cavalo não passa selado duas vezes pelo mesmo local.

Wânderson e o garoto Welington não podem ficar de fora do time e o velho Sandro Goiano, nem que seja para o segundo tempo. Se estiver bem.

Estão dizendo nos bastidores que Lecheva acabou com o Charles Guerreiro, com Sérgio Cosme e começa a dá palpite errado ao Roberto Fernandes. E eu penso: será que esses treinadores não sabem fazer leitura de futebol?

Qual foi a leitura que os auxiliares fizeram do jogo do Independente contra o Cametá?

É hora de o presidente Luís Omar chegar junto do treinador e cobrar um time mais audacioso, mesmo sabendo das limitações do atual elenco bicolor.

A torcida bicolor irá ao Mangueirão e apoiará, empurrará o time do Papão à conquista do tricampeonato, mas não dará aplicabilidade técnica e tática ao time.
É o que há!

terça-feira, 21 de junho de 2011

AOS VESGOS: FATOS, SOMENTE FATOS

Na matéria aí de baixo - FATOS SOMENTE FATOS - relatei fatos visto por mim e por todos que estavam na apertada sala do TJD do Pará.

A prova dos nove da verdade jornalística é a demonstração dos fatos. Doa a quem doer, custe o que custar- não estou parodiando o programa da Bandeirante(CQC).

Ao postar a matéria pensei nos meus 300 ou mais visitantes deste desajeitado e difuso blogue. Não faço jornalismo empunhando bandeiras de clubes ou de amigos.Neste espaço virtual, procuro imprimir meu estilo sobre fatos e não perco meu tempo escrevendo futilidades tanto neste blogue como no tuíter @tudaoetudinho com isenção de ânimos.

Se o Remo não tem razão e o advogado Hamilton Gualberto errou, sinceramente, penso ao contrario dos vesgos que desejam ver o Remo no fundo do poço.

Vergonhosa foram as defesas do Independente e do jogador Edilson Belém que não disseram nada com nada: inócuas.

"O Remo não quer a vaga do Independente, o clube deseja demonstrar que há irregularidade na inscrição do jogador Edilson Belém", palavras dos advogados tanto de defesas. E um chegou a parabenizar o CR.

Se não houvesse irregularidade o atleta estaria jogando. Por que não joga?
É questão, sim, pertinente.

Postei o que vi: fatos, somente fatos!
É o que há!

FATOS, SOMENTE FATOS


Não sou daqueles que vivem choramingando sobre o passado.

Não gosto de lembrar o Passado porque passado é passado e tenho interesse pelo presente e futuro.

O passado pode ser triste e alegre - já era - e como diz o letrista popular “os mortos não levantam mais”. É verdade!

Gosto de trazer “a memória tudo que pode me dá prazer, alegria”. É bíblico. E o futuro depende de nós. Aliás, o nosso futuro está límpido e cristalino a nossa frente. Não depende de Deus. Depende de cada um de nós. Penso assim.

Mas, ontem na sala do TJD do Pará me lembrei de nomes que honraram este órgão num passado já distante e que eu sentia prazer como repórter curioso que sempre fui ouvir oratórias de auditores e advogados talentosos na arte de falar. Falar em público é arte e não é prá todos, não. Ontem me deu engulho ao ouvir advogados sem riqueza vocabular e poder de convencimento das suas teses. Coitados! São “rabos de cabra”.

Bechara Fraia Neto, Américo Monteiro, Luís Farias, José Maia (auditores) e José Chaves, Djalma Chaves, Edmar Pereira (que ganhou no TJD o título de 88 prá TLB), Felipe Melo, Hamilton Gualberto que chamavam atenção dos repórteres quando eles usavam a tribuna. Eu ia ao TJD com a certeza de ouvir debates acalorados, recheados de filigranas jurídicas e riqueza vocabular.

Diante do que eu e todos que lá estávamos no pequeno auditório ouvimos o advogado Hamilton Gualberto dizer no frontispício dos auditores, e principalmente do presidente do órgão, Antônio Cândido Barra Brito, que não altercou e assim agiram os demais membros da corte, fez-me lembrar do axioma machadiano: “Quem cala consente ou perguntas absurdas não merecem respostas”.

“Vossa excelência nunca foi destaque como advogado trabalhista, e hoje está nas páginas de O LIBERAL (mostrou a página do jornal). Você adora foco, presidente, e este tribunal depende dos favores da Federação, que inclusive paga as duas funcionárias”, disse de forma contundente o advogado Hamilton Gualberto, afirmando, ao final da sua defesa, que “as cartas estão marcadas”. E nenhum deles se defendeu. Era o que eu esperava. Pelo menos era assim no passado.

“Este TJD reage mal. É lento. Devemos agradecer ao Clube do Remo pela denuncia que fez da irregularidade do atleta do Independente. É nosso dever de ser se o atleta está irregular”, argumentou o auditor André Oliveira, que votou a favor do Remo e deixou a sala do Tribunal bufando de raiva.

Remo perdeu de 6 x 1 o recurso impetrado contra o despacho do presidente Antônio Cândido Barra Brito, que não altercou às acusações do advogado do Remo.

Sinceramente, saí da sala do TJD encucado: não sei se os auditores são despreparados juridicamente, frouxos, educados, paspalhões ou trapalhões. Foi des-mo-ra-li-zan-te. Eu vi e ouvi,meninos! São fatos!
É o que há!

segunda-feira, 20 de junho de 2011

A MINHA RESPOSTA

Rui Sales deu a ideia sobre a mensagem do PSC em Tucuruí contra a divisão do Pará e este blogueiro postou no @tudaoetudinho e o Paysandu acatou através do presidente Luís Omar.

Penso que o PSC está fazendo a política da gratidão, retribuindo ao governo do Estado apoio à política da integridade -no sentido de inteiro, completo - do Estado do Pará.

Como não sou amorfo e indefinido como homem e jornalista, oriundo de uma cidade desmembrada do Pará em 1944(Macapá), a princípio, sou pela divisão: que fiquem prá lá Tapajós e Carajás e vamos cuidar do nosso Pará, inclusive do nosso futebol com TLB, CR, PSC, ANANINDEUA, CASTANHAL e ABAETÉ.

E não aceito a pecha de forasteiro porque não tenho interesses políticos. Aliás, se um dia vocês ouvirem dizer que o José Maria Trindade é candidato a cargo eletivo podem me chamar de mau-caráter.

Se isso acontecer um dia, o que não passa pela minha cabeça, terei que mudar de caráter.
É o que há!

CAMBADA DO MAL! E PSC E YAMADA FAZEM ACORDO


O presidente do PSC, Luís Omar, não refresca a oposição bicolor.

Ontem, 19h, programa BOLA NA ÁREA, da Rádio Liberal-AM, ele falou que a Novos Rumos é “a cambada do mal”, porque alguns dos membros da chapa participaram da administração do Artur Tourinho, corrupto de carteirinha.

A indignação de Omar é que Tourinho, quando presidente bicolor, reconheceu dívida superior a R$ 400 a uma factory que pertence à esposa do ex-presidente e que recentemente o clube foi intimado pela justiça a quitar o débito.

O departamento jurídico do Paysandu tenta negociar a dívida, pagando de forma parcelada. Isso deixa o presidente bicolor indignado.

Se os débitos causados pela administração do Tourinho tiram Omar do sério, a parceria com o grupo Yamada o faz mudar de tom.

“O Fernando Yamada está ajudando o Paysandu, pois acertamos que as 600 cadeiras VIP da Curuzu sejam vendidas pelo cartão Yamada, com o interessado pagando R$ 240,00 pelos quatro jogos na Curuzu”, ressaltou Luís Omar, acrescentando que haverá antecipação do valor do pacote.
É o que há!

domingo, 19 de junho de 2011

DISK BIG BEN: 3201-3000



PSC e Yamada fazem acordo para venda das 600 cadeiras VIP da Curuzu.
Amanhã neste blogue.
Boa-noite!

TIME GRANDE É TIME,PRINCIPALMENTE EM RETA FINAL

Paysandu empatou em 2 x 2 com o Independente,mas o Galo sem cinco titulares foi melhor em campo.

O meio-campo bicolor marcou e não criou e por isso os dois atacantes - Rafael Oliveira e Mendes - não apareceram.

Joãozinho, do Independente, perdeu a bola do jogo: aos 37, do 1ºempo, entrou de cara e chutou em cima do Fávaro com a bola espirrando prá dentro do gol e o Alexandre Carioca evitou àquele que deveria ser o 3º gol do Galo.

Andrei, aos 18,fez Paysandu 1 x 0,chutando de fora da área.
Fábio Gaúcho, aos 23, 1 x 1, chutando, também, de fora da área.
No segundo tempo,em contra-ataque, aos 18, Joãozinho fez 2 sx 1 Independente.
E Mendes, aos 41, cobrando falta, fez 2 x 2.

Se o treinador do PSC errou em escalar um meio-campo marcador(sem criatividade), Sionmar fez besteira ao tirtar Gian, no segundo tempo, quando ganhava de 2 x 1, e meteu zagueiro Marraquete, querendo segurar o resultado, o Paysandu foi prá cima.

No próximo domingo, no Mangueirão, será campeão quem vencer por qualquer resultado.
Se empate, pênalti pra se conhecer o campeão de 2011.
É o que há!

INDOMÁVEL, NEFANDO, IRREVERENTE, IMPOSSÍVEL, METICULOSO E INSTIGANTE


O PULO DO GATO
Prá quem não acredita: “O GOVERNADOR DO ESTADO RESOLVE:
“Nomear, de acordo com o art. 6º, inciso II, da lei nº 5.810, de 24 de janeiro de 1994, ANTONIO COSTA para exercer o cargo em comissão de Assessor Especial, com lotação na Governadoria do Estado. Palácio do Governo, 31 de maio de 2011. Simão Jatene - Governador do Estado.” (Pág. 05 do Diário Oficial do Estado do dia 02. o6. 2011)

SEM FUTURO
Quinta-feira, um atento torcedor bicolor que assistia ao treino do time do Paysandu, na Curuzu, que joga hoje em Tucuruí contra o Independente, dizia que Roberto Fernando ia “ter dor de cabeça com o meio-campo que montou”.
“Desse elenco do Paysandu, no meu time”, dizia o ‘pentelho’, “eu só queria o goleiro e os dois atacantes - Mendes e o Rafael Oliveira”.

CABEÇA DE BURRO
Sem patrocínio do governo estadual, Raimundo Ribeiro, aos trancos e barrancos, e muito criticado por alguns embusteiros “travestidos” de jornalistas baixavam a taca no presidente, diariamente.
Emprestando dinheiro de Deus e o mundo (inclusive do empresário dono do ARMAZÉM), Remo foi bicampeão paraense - 2007 e 2008.
“O Raimundo não pagava, mas ganhou dois títulos”, disse um funcionário do Baenão.
De lá prá cá é só derrota: o presidente Cabeça vive a ameaça de ser preso por prática de atos ilícitos em órgão público federal.

O MAL
Luís Omar cunhou a oposição representada pela NOVOS RUMOS de “O MAL”.
No fundo, no fundão o presidente bicolor tem lá suas razões: na oposição tem gente que morra de amores pelo ex-presidente Artur Tourinho, um dos maiores corruptos que passou pelo clube.
O Departamento Jurídico do bicola tenta fazer acordo - a perder de vista - com a factory que cobra do Papão R$ 415 mil. Dívida reconhecida pelo Tourinho e que - judicialmente - não há mais o que fazer: é prego batido e ponta virada.

A QUEM INTERESSA
PT, PMDB e DEM são os partidos políticos, aliados do governo federal, que lucrarão com a divisão do Estado do Pará.
Santarém, capital do Estado do Tapajós, tem Maria do Carmo (PT) prefeita, e o Lira Maia (DEM) os mais votados na região. Um desses será o governador do novo estado.
No sul, Marabá seria a capital de Carajás, tem Asdrúbal Bentes (PMDB) e Giovane Queiroz (PDT) deputados federais bem votados na região.
E o Jader Barbalho calado está sobre a divisão, mas recebeu votos em todas as regiões do Estado.
O futebol, no Oeste se resume a São Raimundo e São Francisco; no Sul, Águia (Marabá) e Independente (Tucuruí). Parauapebas está sonhando com um time de futebol que pode ter Sérgio Cosme como treinador.
Ganha Belém com CR, PSC, TLB, Ananindeua, Castanhal, Abaetetuba e Santa Izabel.

LIBERDADE
É um dos bens da humanidade. O Todo-poderoso deu ao homem o livre arbítrio, que significa dizer que o homem é livre prá pensar e ser o que quiser.
Ontem no Rio de Janeiro e outras cidades brasileiras aconteceram passeatas em nome da Liberdade de expressão.
Além dessa há a liberdade de opinião e á de imprensa. O que são essas liberdades?
A de expressão é caráter, ditos e gestos (foi o que aconteceu ontem no Rio de Janeiro);
A de opinião é parecer emitido, modo de ver as coisas, capricho e pode ser teimosia;
A de imprensa determina registro dos fatos, pluralidade de ideais, interpretações, outras opiniões.
Nada disso existiria se não houvesse o direito do livre debate.
É por isso que eu como professor e jornalista diplomado me recuso a ser formador de opinião, como dizem por aí em salas de aulas,nas redações e nos microfones.
Estou fora desse seguimento que pensa assim. Pensem no tema?
É o que há!

sábado, 18 de junho de 2011

GANHA QUEM FOR OUSADO E DETALHISTA


Ninguém, mas ninguém mesmo, até o mais ranzinza remista, acredita que o Independente possa tirar o tricampeonato do Paysandu.

Sinomar tem problemas para escalar o Galo e fará improvisações.

Adenísio (volante) e Whégno (atacante) cumprirão suspensão; Evandro Pará (volante) e Marcelo Peaberu (atacante) estão com os joelhos lesionados e praticamente estão descartados da relação dos 18 jogadores convocados para o jogo.

Pelo lado bicolor, ficou evidente que o técnico Roberto Fernando não gosta de trabalhar com jogador acima dos 30 e - pelo menos dos treinos - sacou Wânderson e testou em exaustão Álisson, Marquinho e bily, ficando o meio-campo bicolor com três volantes e um meia de ligação - o jovem Andrei.

Sidiny e Zeziel são mais alas que laterais, daí, pelo que vi em um dos treinos na Curuzu, Roberto Fernando terá três volantes de contenção, mas quando com a bola dominada o Papão terá cinco jogadores no ataque: Sidiny, Zeziel apoiando pelas laterais, Andrei, Mendes e Rafael enfiados entre os zagueiros do Independente.

Nas duas últimas duas partidas contra o Cametá, o time de Sinomar foi bafejado pela sorte, posto que a onzena de Fran Costa, tecnicamente, foi superior, mas em futebol nem sempre quem joga melhor vence. Vence quem sabe aproveitar as oportunidades. E isso aconteceu com o Independente.

Vi os treinos do Paysandu, ao comando de Roberto Fernando, na Curuzu, e gostei do que assisti: o técnico trabalha posicionamento dos jogadores e repeti jogadas. Isso é ser detalhistas.

São dois treinadores que cruzarão os bigodes pela primeira vez, mas a diferença entre os “professores” não está no conhecimento tático (um pode saber mais que o outro), e sim na ousadia e na leitura dos detalhes da partida, principalmente no primeiro tempo.

Tenho dito que técnico de futebol eu conheço quando ele muda o seu time no intervalo. E muda prá melhor no segundo tempo.
É o que há!

sexta-feira, 17 de junho de 2011

TIN-TERRA-VIVO

O Remo era feliz com Raimundo Ribeiro e não sabia.

Não teve presidente mais criticado nos últimos cinco anos no clube (e sacaneado) do que Raimundo Ribeiro.

Criticado porque não rezava na cartilha de alguns “cardeais” que pensam ser “donos” do clube. Excomungado porque não tolerava intrometimento na sua admini8stração e nem tampouco indicação de jogadores partindo de gente que tem tal de agenda maldita.
O ex-presidente bateu de frente com remista do tipo Hilton Moreira um dos “Frankenstein” que vivem dentro do clube.

Sem patrocínio governamental (e os que existiam, de empresas privadas, todos bloqueados pela justiça do trabalho), Raimundo Ribeiro, aos trancos e barrancos, foi bicampeão paraense -2007 e 2008. Ele sofreu mais do que sovaco de aleijado nas bocas e canetas de aluguel de alguns embusteiros radialistas e colunistas esportivos.
Ribeiro deixou o Remo bicampeão paraense e na terceira divisão.

Amaro Klautau assume o clube com a proposta de reengenharia administrativa, porque o seu currículo, como executor do projeto de macrodrenagem do governo Almir Gabriel, o credenciava para tal. Engano! Decepção! Engodo!

Klautau só não foi pior que Tourinho, no Paysandu, porque não vendeu o Baenão por R$ 33 milhões como desejava.

O time de futebol remista não ganhou nada e perde a vaga da terceira divisão para o Águia de Marabá e assisti ao Paysandu ser bicampeão paraense.

Como se não bastasse, Amaro insisti em vender o Baenão por valor vil. Os “cardeais” se unem e o Baenão continua de pé.

“O Baenão não está vendido” (Hamilton Gualberto, advogado e jornalista). “Não vão vender o Baenão” (Benedito Sá). “Duvido que alguém construa um estádio com R$ 18 milhões” (José Brito).Lembram?

Amaro, inobstante a marca de bom administrador público, foi um dos piores presidentes que o Remo teve nos últimos anos. Alguns “apadrinhados” se deram bem, como o engenheiro Sandro Rogério Nogueira Souza Matos, que recebeu R$ 230 mil (dinheiro de emenda parlamentar) para reforma do “Serra Freire” e o ginásio azulino continua fechado, porque o dinheiro foi insuficiente prá concluir a obra.

Souza Matos, engenheiro amigo do Amaro Klautau, está preso acusado de improbidade administrativa na Assembleia Legislativa do Estado do Pará.

À época, Klautau preteriu Max Fernandez, que era diretor de ginásio do Remo, para entregar a “baba” nas mãos do amigo que hoje se sabe ser um corrupto. E por isso está preso.

E o Remo servindo de chacota nas bocas e nas dicas:
- Fulano, tu sabes quem são os patrocinadores do Remo?
- Não! Quem são?
- Tim-Terra-Vivo!

O que deixa este blogueiro apostolado enculcado é que as nossas duas maiores instituições clubísticas vivem empestados de crises financeiras e administrativas e os dirigentes não aprendem a lição.

"Quando você está fracassado,é forçado a ser criativo" (Bill Gates, o homem mais rico do mundo)
É o que há!
É o que há!

quinta-feira, 16 de junho de 2011

ELES TÊM FUTURO


Dewson Fernando Freitas da Silva, 30, belenense, licenciado em letras, professor em Santa Izabel, está desde 2004 no quadro de apitadores da FPF e havia dois anos no quadro nacional da CBF.

Na terça-feira, em Goiânia, apitou Goiás 0 x 3 Paraná pela segunda divisão do campeonato brasileiro e mereceu encômios da crônica esportiva goianiense pela conduta dentro de campo, não permitindo que atletas reclamasse das marcações porque sempre esteve em cima dos lances.

Ontem foi escolhido, em sorteio, para comandar Independente e Paysandu, em Tucuruí, com o apoio dos dirigentes dos dois clubes o que havia tempo não acontecia no futebol paraense de um árbitro local apitar uma decisão.

Não há dúvida de que o apito paraense está vivendo momento de transição por que esta nova safra se respeita e sabe o que quer. São árbitros com formação superior e que não dependem do apito prá viver e muito menos dos “favores” dos cartolas.

Dewson Fernando vibra quando fala de si e dos seus companheiros, dando a entender que todos estão imbuídos da limpeza moral que a arbitragem do Pará precisava. “Hoje eu e os meus colegas sabemos que tudo depende da nossa aplicação dentro de campo e das nossas atitudes perante a sociedade. Eu já recebi telefonemas de gente ligada a clube, mas com educação tiro de letra”, concluiu Dewson que estará viajando sábado à tarde para Tucuruí, sabendo que depende da sua atuação para que ele ou outro colega esteja apitando a final no Mangueirão, dia 26.

O novo quadro de árbitros do futebol paraense não tem vendilhão, maus-caracteres; tem gente pobre, digna com futuro promissor.
É o que há!

quarta-feira, 15 de junho de 2011

DISK BIG BEN: 3201-3000


Serginho, você pode postar o comentário.
É o que há e boa-noite

NÃO A DIVISÃO


O presidente, Luís Omar Pinheiro, confirmou à noite de ontem que o time do Paysandu entrará enfaixado contra a divisão do Pará no jogo de domingo contra o Independente, em Tucuruí.

A campanha desencadeada por alguns políticos pela divisão territorial do Estado do Pará e que terá plebiscito este ano para que a população decida, tem alguns beneficiários. E esses são aliados do governo federal.

Os separatistas são: Maria do Carmo (PT) atual prefeita de Santarém, que será a capital do Tapajós e que tem em Lira Maia (DEM) o mais votado parlamentar com assento na câmara alta do país.

Marabá seria a capital do Carajás (perto de Tucuruí) tem Asdrúbal Bentes (PMDB), atual secretário de Pesca do Estado do Pará e Giovane Queiroz (PDT) são os dois deputados que descaradamente lutam pela cisão territorial do Pará.

Além de Jader Barbalho (PMDB) com potencial de votos nos dois novos Estados, mas que faz boca de siri quando o assunto é divisão. E por assim dizer, há quem diga que Jader, se acontecer a divisão, sai do Pará e cantará de galo no novo Estado. É evidente pel sufrágio da última eleição quando Barbalho foi muito bem votado na região para o senado.

E se o Independente for o campeão paraense deste ano, será um aliado importantíssimo à luta de Asdrúbal, de João Salame, de Giovane Queiroz e de todos àqueles que sonham em ser governador ou prefeito na região.

Além do aspecto político partidário, a vitória do Independente será a consagração do presidente da FPF, Antônio Carlos Nunes de Lima, que sempre lutou prá acabar com a hegemonia de Remo e Paysandu no campeonato estadual.

Então, caberá ao time do Paysandu honrar- dentro de campo- pelas hegemonias geográficas do Pará e do futebol paraense.
É o que há!

terça-feira, 14 de junho de 2011

SÓ A IMPRENSA ESPORTIVA NÃO SABIA


Mais uma vez este blogue sai na frente: desde à noite de ontem - na chamada - que este blogueiro apostolado informava a participação do Independente na série D.

Obrigado às minhas fontes - de Tucuruí à FPF.
É o que há!

INDEPENDENTE JÁ CONFIRMOU


Deley Santos está aproveitando às 24h que tem para definir participação do Independente na série D para ter seus “15 minutos de fama”.

Ontem só deu ele nas emissoras de rádio e TV e a todos disse que aproveitaria o tempo para “acertar detalhes com os patrocinadores do time”. A confirmação ou não ficou para hoje, às 18h na FPF. Não é bem assim: ao coronel Nunes ele já disse que o Independente participará da competição nacional.

Ontem, por telefone, este blogueiro apostolado conversou com uma fonte fidedigna de crédito com atuação no “Galo Elétrico”. Homem educado, humilde e competente no que faz no mundo da bola me disse que a “conduta do presidente do Independente é uma estratégia prá chamar a atenção da sociedade tucuruiense porque o problema financeiro existe, mas que o prefeito está disposto a investir no time porque sabe que é projeção para a cidade.”

Por volta das 21h de ontem conversei com o presidente da Federação Paraense de Futebol, Antônio Carlos Nunes de Lima, que confirmou ao blogue que no início do expediente desta terça-feira passará “emeio” à CBF comunicando que o Independente será o representante do Pará na série D.

Portanto, é puro charminho do presidente do independente. Está na dele.
É o que há!

segunda-feira, 13 de junho de 2011

DISK BIG BEN: 3201-3000



Independente de Tucuruí confirmará participção na série D!
Amnhã neste blogue!
É o que há e boa-noite!

CHGOU A HORA, PRESIENTE, TEM QUE PAGAR

O Independente empatou em 2 x 2 com o Cametá e vai decidir o título do Parazão com o Paysandu.

O primeiro jogo será domingo, 19, em Tucuruí, e nenhum dos clubes tem vantagem.
O segundo jogo será em Belém, e segundo o diretor técnico da FPF, Paulo Romano, a final será no Mangueirão. Não é bem assim.

Romano, ao final do jogo entre Independente e Cametá, falou que a invasão da torcida bicolor ao gramado da Curuzu por ocasião da decisão do 1º turno penalizou o Paysandu. Não é verdade.

O Paysandu não foi penalizado pelo TJD do Pará porque o clube apresentou defesa através dos seus advogados e a Curuzu está apta a receber jogos desde que o clube tenha o mando de jogo.

E como o mando é do PSC, a Curuzu pode ser sim palco do jogo final, mas não será se depender da vontade do presidente Luís Omar.

Os jogadores bicolores querem Curuzu, o técnico quer Mangueirão e a torcida quer o Colosso do Bengui, conforme pesquisa realizada ontem no programa BOLA NA ÁREA, quando 100% dos entrevistados (num universo de 27) se manifestaram favorável ao Mangueirão.

Hoje, Luís Omar convoca diretores, comissão técnica e jogadores prá decidirem, democraticamente, onde será a final contra o Independente.

Antes de qualquer decisão com relação ao local do jogo, o clube tem que pagar funcionários e jogadores. Àqueles com três meses de salários atrasados e estes com dois.

Se não pagar, presidente, o axioma “Vampetiano” marcará mais uma vez a sua administração: “Eles fingem que me pagam e eu finjo que jogo”.
É o que há!

domingo, 12 de junho de 2011

O BOM GOSTO


Depois de passar pela Praça da República e assistir ao Arraial do Pavulagem em show esplendoroso, fui ao restaurante da BIG BEN Batista Campos.

Simplesmente, harmonia agradável a vista da Praça e aos ouvidos dos comensais que almoçam ao som de violino elétrico com o violonista indo às mesas.

Parabéns à família Aguilera pelo bom gosto!

3 MINUTOS DECISIVOS PARA O INDEPENDENTE

De nada adiantou o Cametá apresentar bom futebol, fazer dois gols e Balão perder a bola do jogo

O Cametá foi melhor durante os 90m, mas o Independente, no momento certo, arrancou das mãos dos cametaenses a taça Estado do Pará e vai decidir o campeonato com o Paysandu em dois jogos.

Dia 19, em Tucuruí, e 16, em Belém, segundo a FPF, no Mangueirão, mas o presidente Luís Omar decidirá amanhã com seus diretores e comissão técnica se será na Curuzu ou Mangujeirão.

O regulamento do campeonato é omisso com relação ao local da final.
É o que há!

INDOMÁVEL, NEFANDO, IRREVERENTE, IMPOSSÍVEL, METICULOSO E INSTIGANTE


PASSAPORTE
Presidente e vice do PSC, Luís Omar e Toninho Assef, se encontraram com dois executivos do grupo Yamada.
Fábio e Evandro, diretores do grupo, ouviram os representantes do clube sobre o projeto PASSAPORTE BICOLOR que visa à venda das 1.800 cadeiras e camarotes do estádio da Curuzu.
1.200 cadeiras laterais e 600 centrais são as ofertas dos dirigentes para os empresários.
Dos 20 camarotes, 10 já foram vendidos.
Omar e Assef estão otimistas quanto à parceria com o grupo Yamada e as negociações deverão ser concluídas por toda esta semana.

BIRRA
Depois de dizer que o Wandik é “oportunista” e “paraquedista”, Luís Omar, presidente bicolor, no seu estilo bateu levou, num almoço na sede, disse para todos ouvirem: “Esse GAP não é Grupo de Apoio ao Paysandu é: Grupo de Alta Periculosidade.

BERÇO
Parauapebas pode ser o novo endereço do ex-treinador bicolor, Sérgio Cosme.
Prefeito Darci Lernem tem projeto de fundar o Parauapebas Futebol Clube e já contatou Joperso Coutinho, atual representante do Paysandu na FPF.
Todo o processo de filiação à FPF deverá ser concluído no segundo semestre deste ano e depois do aval da Federação o clube contrata Sérgio Cosme e comissão técnica para a formatação do elenco.
Joperso Coutinho deverá ser o diretor de futebol da nova agremiação, que surge em berço de ouro.

PAVIMENTAÇÃO
O prefeito Duciomar Costa autorizou a SESAN a pavimentar estacionamento sob as arquibancadas e camarotes da Curuzu.

REFORMA
A sede náutica bicolor, que está entregue às baratas, vai ser totalmente reestruturada com apoio da SEEL - Secretaria de Esporte e Lazer.

ESCALA
Passará por Belém sexta-feira, 16, Ministro dos Esportes, Orlando Silva.
Vai a Macapá para tocar projeto 2º Tempo e ver “in loco” reforma do estádio Zerão, que está sendo executada graças à liberação da “baba” da União.

BOLA NA ÁREA
Hoje, às 19h, na Liberl-AM,logo após Independente e Cametá!
É o que há!

sábado, 11 de junho de 2011

DISK BIG BEN:3201-3000

NÃO É AMOR, NÃO, É FUTEBOL, DINHEIRO


Quando Sérgio Cosme se despediu da Curuzu, deixando o cargo de técnico do PSC, ele falou que “não deixaria o Pará”.

“Gostei de Belém, da sua gente e do seu carinho para comigo”, falou o esperto treinador carioca, mas a história não é bem o afeto da cidade para com o cidadão Sérgio Cosme ou vice-versa.

O 3º município mais rico do Pará, Parauapebas, onde está localizada a maior jazida de ferro do planeta terra, está pensando em ter um clube de futebol para disputar o campeonato paraense.

Joperso Coutinho, o representante do Paysandu junto a FPF, está agilizando as negociações com o prefeito parauapebense, Darci Lernem, para que Cosme seja contratado para montar o elenco de futebol do time que representará o município nas disputas da segundinha do ano que vem.

Dinheiro não será problema, com certeza, porque Parauapebas está entre os três maiores PIB do Pará: só perde para Belém e Barcarena.

Parauapebas fica a 662 km da capital, no sudeste paraense, e tem 153 mil habitante, segundo pesquisa do IBGE de 2010.

A palavra Parauapebas significa rio que corre raso.
É o que há!

sexta-feira, 10 de junho de 2011

FALTOU PLANEJAMENTO AO REMO E O PSC QUE SE CUIDE


Na terça-feira o presidente Sérgio Cabeça convocou reunião entre os membros do departamento de futebol no Baenão. Além do presidente, apareceu um advogado conhecido por “Magneto”.

Tonhão, Levy, Castilho, Sérgio Dias não deram as caras.

A pauta do encontro: distrato dos jogadores que não interessam ao clube.

Como o encontro não aconteceu, no Baenão, como estava previsto, Cabeça programou para receber atletas ontem na sede social para acertar as contas.

E os membros da diretoria de futebol lá não estavam para em conjunto com o presidente darem satisfação aos jogadores. Além do Cabeça, estava o tesoureiro do clube, Mário Sérgio, que no Remo está desde a primeira administração do Raimundo Ribeiro.

Os “cardeais” do futebol remista desapareceram do Baenão e da sede, e, consequentemente, quando o clube começar a excursionar pelo interior do Estado não terá chefe de delegação.

Goleiro Lopes, que foi à sede acertar rescisão contratual, foi agredido fisicamente por um grupo de torcedores que lá estava à espera do jogador. Lopes nunca foi de dá papo prá torcedor e na concentração era do tipo “chinelinho”.

Mas, Lopes não tem culpa de ser o maior salário do atual plantel remista e não é obrigado a dá satisfação a torcedores desocupados.

Pelo que aconteceu com o time do Remo, culpado são os dirigentes que não souberam planejar.

E por assim dizer, o técnico do Paysandu, em conversa com o presidente Luís Omar, indgou "quanto é o planejamento financeiro do clube para a campanha da terceira divisão." Fiocu no ar a resposta.
É o que há!

quinta-feira, 9 de junho de 2011

SOPRANDO AO VENTO


O Remo de Sérgio Cabeça Braz passa por uma fase negra.

Penso que pior à qual passou quando o Amaro Klautau assumiu o clube.

O presidente foi condenado por um juiz federal por atos ilícitos na antiga Escola Técnica Federal do Pará e responde processo em liberdade;

O time foi desclassificado do Parazão e está ameaçado de não participar da série D e ficar sete meses sem competições oficiais;

Eivadas de falhas, a peça judicial encaminhada ao TJD do Pará foi indeferida pelo presidente do órgão, Antônio Cândido Barra Brito, em que o clube solicitava suspensão do Parazão;

Ontem, no final da tarde, o juiz João Batista do Nascimento Norat, da 8ª Vara cível da capital, indeferiu pedido do clube sobre sua marca que pertence a Gol-Story por dez anos.

O magistrado mandou citar a Gol Story para que a empresa se pronuncie sobre a solicitação remista.

Do outro lado da avenida, o presidente Luís Omar vive chamando a oposição de "o mal" e esta a lhe cutucar, vez por outra, em programas da RBA.

Toninho Assef, em conversa com o presidente, Luís Omar, deu a ideia de convidar o pessoal da Novos Rumos para assumir o departamento náutico do clube que está acéfalo.

Pasmem! Luís Omar respondeu: “Baixo portaria, nomeando-os desde que não venham fazer política dentro do clube.”

Por assim dizer, entendo o que levou o presidente Luís Omar, em dias da semana passada, dizer que Wandik é um “oportunista” que caiu de “paraquedas” no clube.

É porque Wandik não esconde de ninguém seu desejo de ser um dia presidente bicolor.

Quanta falta de agudeza de espírito, presidente! Qualquer benemérito, sócio pode sonhar em ser presidente deste clube que tem as maiores glórias do futebol da Amazônia.

Penso que é um assunto que a comunidade bicolor pode falar em qualquer momento, desde que não denigram a figura do presidente.

O Wandik orientado ou obedecendo a seu sentimento bicolor respondeu ao presidente de uma forma que calou àqueles que pensam que o ex-jogador quer se aproveitar do clube: conseguiu junto ao prefeito perdão de dívidas passadas e isenção do IPTU para Remo e PSC.

E não deixou de estar á frente das obras do estacionamento sob os camarotes e arquibancada. Bem que a Novos Rumos, que tem gente que adora aparecer, poderia seguir o exemplo do ex-jogador e deixar de cutucar o Luís Omar, que por natureza é uma porra-louca.

Remo e Paysandu, através dos seus dirigentes, continuam soprando contra o vento. Até quando?
É o que há!

quarta-feira, 8 de junho de 2011

DISK BIG BEN:3201-3000



CR e PSC continuam soprando ao vento! Amanhã.
Boa-noite!

IGUAL TICO E TECO


Na semana passada, no hall da sede social do PSC, eswte blogueiro apostaolado flagrou o presidente ds diretoria, Luís Omar, em papo isolado, com o presidente do CONDEL, Ricardo Rezende, que gesticulava bastante e Omar escutava sem se importar com os arredores.

Depois de alguns meses igual cão e gato, agora estão igual aos personagens de quadrinho...Que papo rolava entre os dois "cardeais"?

Quem souber que se manifeste.
É o que há!

ELE SERÁ DO QUADRO NACIONAL


O quadro de árbitros da FPF hoje está bem servido de apitadores.

Jovens estudantes, que se respeitam, que são honrados e que sabem que a condição de árbitro é uma figura pública. Portanto, têm que andar na linha.

Hoje o futebol paraense dispõe de Joelson Nazareno Ferreira Cardoso (o melhor da temporada), Delson Fernando Freitas da Silva, Joelson Silva dos Santos, Andrei Silva e Silva, Glauber José Miranda e um jovem promissor de 26 anos Waslei Couto, que já apitou algumas partidas pelo campeonato e se saiu bem.

Couto é formado em educação física e fala fluentemente Inglês e espanhol. É um ótimo começo prá quem sonha chegar ao topo da arbitragem do futebol.

Desses somente três pertencem ao quadro nacional da CBF: Glauber José Miranda, Andrei Silva e Silva e Delson Fernando Freitas da Silva, mas o presidente da Comissão de Arbitragem do Pará, José Guilhermino de Abreu, garante que na próxima relação aparecerá o nome de Joelson Nazareno Ferreira Cardoso, 30, acadêmico de gestão empresarial, e que poderá apita sua décima partida pelo campeonato no próximo domingo em Cametá.

Para a final do segundo turno em Tucuruí entre Independente e Cametá, domingo, estão cotados: Joelson Nazareno, Joelson Silva e Glauber José Miranda.
É o que há!

CAMAROTES À VENDA

Dos 20 camarotes que há na Curuzu, o PSC já vendeu 8.

Ao custo de R$ 18 mil, bicolores estão entrando em contato com o vice-presidente, Toninho Assef, e estão adquirindo seus espaços reservados para garantir tranqüilidade a quando dos jogos do clube na temporada 2011.

Pedro Abílio, vereador Pio Neto, Professor Reinaldo (ESAMAZ), Louro (bicheiro), engenheiro Felipe Fernandes, empresário João Carlos Pontes, empresário Paulo Lazera e Nonato são bicolores que já pagaram seus camarotes.

Os endinheirados interessados poderão entrar em contato com o vice, Toninho Assef.
É o que há!

terça-feira, 7 de junho de 2011

DISK BIG BEN: 3201-3000


O PSC não dá prá quem quer!
Os endinheirados estão comprando no "cacau" os camarotes da Curuzu.
Imagine esses endinheirados unidos em prol do Papão?
É o que há e Boa-noite!

REMO E PSC NÃO DEVEM NADA AO MUNICÍPIO


Ladeados dos dirigentes de Cabeça e Rezende, prefeito Duciomar Costa assina decreto de isenção do IPTU para CR e PSC.

Agora, os dois clubes, a cada início de exercício, terão que solicitar as isenções, comprovando que disputam três modalidades esportivas olímpicas. Só. Somente só.

Pio Neto e Walter Arbage, vereadores, marcaram presenças à solenidade e ressaltaram em seus discursos a importância do gesto do prefeito Duciomar Costa.
É o que há!

ÉGUA DA RESPOSTA


"Os amigos nos fazem bem, os inimigos nos promovem", foi o que fez o presidente do PSC ao chamar o Wandik de "paraquedista".

Não respondeu com palavras, mas com fato: como vereador fez injunções junto ao prefeito Duciomar Costa e hoje o gestor municipal belenenense perdoou dívidas de R$ 7 milhões (CR) e R$ 5 milhões(PSC)e os dois estão isentos de IPTU a partir de agora.

Na foto Wandik aparece ladeado de Rezende e Cabeça, antes da assinatura do projeto.
É o que há!

O FURO

Os maiores “furos” do jornalismo brasileiro os repórteres estão “a latere” dos que conversam, geralmente sobre o assunto que interessa ao jornalista. O profissional de imprensa tem que ter visão macrodimensional. Quem ensina é o filósofo da contracultura Herbert Marcuse.

O “furo” jornalístico se caracteriza pela notícia divulgada em primeira mão - isso acontece no rádio, porque minutos depois outra emissora pode também veicular a matéria.

Neste caso não existe exclusividade como alguns embusteiros radialistas, travestidos de “jornalistas” anunciam.

A exclusividade do “furo” só existe em jornal e TV. Porque se trata de imagem (foto e vídeo0.

A matéria postada na manhã de ontem intitulada INDEFERIMENTO, às 7h, neste blogue desajeitado aconteceu devido à insistência deste blogueiro apostolado em querer falar com o presidente do TJD do Pará, Antônio Cândido Barra Brito, e este não atendia o chamado para o seu celular. Isso desde sexta-feira.

Domingo, cedo, saí de casa pensando no parecer do presidente-auditor do Tribunal e fui como faço dominicalmente, tomar café na Praça da República, sem antes deixar de passar pela banca do Alvino, onde gente de todas as classes lá vai comprar revistas, jornais e créditos telefônicos.

Em todas as rodas o papo era Remo e o seu desejo de paralisar o campeonato. Na banca,quando cheguei, pediram minha opinião e eu disse nada saber. Peguei a Veja e dei mais um tempo...

Fui ao Bar do Parque tomar café e saber do que se passou por lá durante a noite. Este local é um “ninho” de gente que sabe das coisas: advogados, jornalistas, políticos, empresários, autônomos lá se encontram e resenham sobre os acontecimentos do dia entre uma “gelada” ou um moca.

“Zeca, ainda a pouco aqui no balcão, pelo papo eram advogados, três homens tomavam café e um dizia que o presidente do TJD vai indeferir o pedido do Remo”, disse-me o Pelé, gerente do Bar do Parque.

Fiquei com a aquilo na cabeça e comecei a perseguição para o celular do advogado Barra Brito sem ser correspondido pelo menos com “só amanhã” como fez quando resolveu falar à Rádio Clube.

Como não atendeu ao meu chamado, resolvi criticá-lo, dizendo que quem manda no TJD é o coronel Nunes, presidente da FPF. Era uma cutucada prá ver se a “paca” saia do buraco. E saiu.

Acreditem: um telefonema de gente que eu conheço, que me acompanha desde que aqui cheguei, vive no meio de gente importante em todos os setores desta cidade, telefona para o meu celular e fala: “Zé, é o fulano, olha o homem já está com o parecer pronto e ele indeferiu o pedido do Remo que foi feito de forma errada. Eu conversei com ele hoje cedo. Mas não revela meu nome. Zé, este teu horário é uma praga. Não revela meu nome se não vai sobrar prá mim”.

“Deixa comigo e obrigado!” Respondi ao meu interlocutor que estava do outro lado da linha telefônica. Não titubeei: abri a boca no BOLA NA ÁREA, às 20h20, e às 20h30 tuitei no @Tudaoetudinho. A fonte é mil anos e trabalha com advogados consagrados. Ele era um dos que tomavam café no Bar do Parque.

Às 16h da segunda-feira, a confirmação nos microfones dos confrades que cobrem a FPF.

Foi o segundo “furo” deste blogue e o primeiro do @Tudaoetudinho.

É a prova de que o repórter não deve ser unidimensional. Quem procura acha.
É o que há!

segunda-feira, 6 de junho de 2011

DISK BIG BEN:3201-3000



Amanhã relatarei como consegui o "furo" do indeferimento do presidente do TJD do Pará, Antônio Barra Brito, sobre o pedido do CR em paralisar o Parazão 2011.
É o que há e boa-noite!

INDEFERIMENTO


Continuo acreditando na minha fonte de informações.

Sem essa de profetada, mas o campeonato paraense não sofrera solução de continuidade.
E ontem, no BOLA NA ÁREA, da Rádio Liberal-AM, divulguei que o Remo não terá futuro com as duas socilitações feitas ao presidente do TJD do Pará, Antônio Barra Brito, assinada pelo presidente do clube, Sérgio Cabeça Brás.

Por que um dos advogados do Departamento Jurídico do Remo não assinou à peça judicial?

O consagradíssimo advogado e jornalista Hamilton Gualberto garante que Cabeça está exercendo plenamente o seu direito como representante legal do clube. Portanto, pode.

Dr. Antônio Cristino, auditor do TJD do Pará, falou ao blogueiro apostolado que foi correta a atitude do presidente remista, posto que a justiça desportiva é uma “via administrativa” do desporto nacional, mas que seria de bom alvitre que o clube fosse representado por um advogado, que é quem entende de leis.

Certo ou errado a peça jurídica foi produzida por um advogado e assinada pelo presidente Cabeça.

E nesta peça o dirigente remista pede duas coisas: paralisação do campeonato paraense até decisão do Tribunal de Justiça Desportiva do Pará e Reconhecimento da ilegalidade da inscrição de Edilson Belém como atleta vinculado ao Independente de Tucuruí.

E por assim dizer, Edilson Belém não apareceu nem no banco de reservas do Independente à tarde de ontem em Cametá, quando o Galo Elétrico ganhou de 2 x 1 do Cametá. É sintomático.

Segundo fonte merecedora de toda credibilidade, o presidente do TJD do Para, Antônio Barra Brito, revelará o seu parecer às 15h de hoje e será pelo indeferimento.
É o que há!

domingo, 5 de junho de 2011

INDOMÁVEL, NEFANDO,IRREVERENTE, IMPOSSÍVEL, METICULOSO E INSTIGANTE


CHEIRO DA PERPÉTUA
“Eu desafio o Nunes, presidente da FPF, a provar que o EDILSON BELÉM não está irregular.
“Ele não faz parte da delegação do Independente que joga amanhã (hoje) em Cametá.”
(Rafael Levy, Vice-de-futebol do CR no BOLA NA ÁREA)

DESCONFIANÇA
“Eu posso ajudar o PSC a vender camarotes, mas o problema é quem será o responsável pela aplicação e de que forma a verba será aplicada. Eu não acredito naquele pessoal da sede. Se eles não pagam a birita que consomem, como saberão ter responsabilidade com o dinheiro do clube?”
(Bicolor endinheirado que me pediu reserva)

OS CAVALEIROS DO APOCALIPSE
Como não sou jornalista amorfo e indefinido e atendendo solicitações darei nome aos bois.
Paulo Moraes (ex-vice-presidente), Machichão (diretor financeiro) e Izomar Souza (ex-presidente do CONDEL e atual diretor de futebol) ficavam até altas horas no restaurante da sede social do clube, bebendo e comendo os petiscos da casa.
Naná, dono do TREVISO, era obrigado a deixar um cozinheiro e garçom à disposição dos clientes.
Lá pelas tantas da madrugada, pediam a conta: olhavam e um assinava para pagamento posterior. O chamado “pendura”
O distrato foi inevitável, se não...

QUEM SAI?
O PSC tem dois diretores de futebol: Izomar Souza e Ozimar Vasconcelos. Àquele tem dinheiro prá viver, mas não tem para emprestar ao PSC quando o clube precisa; este, vez por outra põe, mas tira depois.
O Louro tem uma “babinha” e sempre serviu o clube quando a necessidade aperta como foi o caso da ida a Paramaribo que o diretor da época emprestou R$ 7 mil ao clube e depois foi reembolsado, quando Ricardo Rezende recebeu a cota bicolor.
Agora, quem o presidente vai mandar andar: há quem diga que o “Cavaleiro do apocalipse” Izomar Souza por não dá uma “Ana” ao clube e adora aparecer na mídia.
Então, que o Louro seja bem-vindo com sua “babinha”.
Sinceramente, é retrocesso de tanto de quem já vai tarde, quanto de quem volta.
Dinheiro não tolera imbecilidade!
É o que há!

sábado, 4 de junho de 2011

"QUEM ME ATACOU?"


Tudo começou com as declarações de Ronaldo Passarinho à Rádio Clube do Pará.

Passarinho tem dito a todos que não é consultado sobre contratos dos jogadores de futebol do time remista. No que tem razão, pois é ele o vice-jurídico remista. Mas, na é assim.

No caderno de esportes de O LIBERAL, de ontem, o diretor de futebol do CR, Rafael Levy, disse que Passarinho é “ingrato”, pois se ele faz acordos na justiça do Trabalho é com o dinheiro que sai do departamento de futebol.

Passarinho é um homem de fina plumagem com uma história intocável tanto no Remo como na política paraense; Levy, ex-presidente remista, levou o Remo a um título nacional e benquisto na paróquia azulina. Não é à toa que voltou ao Remo como diretor de futebol. São dois desportistas de escol.

À noite de ontem, fechando matérias para o BOLA NA ÁREA, da Rádio Liberal-AM, de hoje, 10h, telefono para o Ronaldo Passarinho e indago o porquê dessa divergência com Rafael Levy e ele respondeu, citando expressão do estadista inglês Sir Winston Churchill:
“Quem me atacou?”

Sir Winston Leonard Spancer-Churchill foi político, estadista e escritor inglês que viveu no início do século XX e Nobel de Literatura de 1953. Sua vida política foi marcada pelas divergências com os Lordes e la um dia ele foi severamente criticado por um confrade,mas que fora informado por um outro colega.
Depois de ouvir atentamente o informante, Churchill indagou:
“Quem me atacou?
“Como disse?”
“O que ele disse?”

Ronaldo Passarinho preferiu à primeira.
PS: 10h, na Rádio Liberal-AM-900kwz- Levy estará ao vivo, falando do Remo.
É o que há!

sexta-feira, 3 de junho de 2011

O "BEM" QUE O CORRUPTO FAZ AO PSC

Tive acesso ao processo 107362-l/2006 em que o juiz Álvaro José Morat de Vasconcelos, da 12ª Vara Cível, condenou o PSC a pagar R$ 413 mil à Amazon Fomento Mercantil LTDA, de propriedade do senhor Antônio Azevedo Neto.

No dia 20.11.2006 o ex-presidente do PSC, José Arthur Guedes Tourinho, confessou e assinou dívida no valor de R$ 187.520,57.

Passados sete dias (27.11.2006) Tourinho volta a confessar, com assinatura reconhecida no Cartório Diniz, com o aval de duas testemunhas, mais uma dívida: R$ 78.375.00 em favor da Amazon.

Tourinho renunciou à presidência bicolor no dia 7 de dezembro de 2006 e no dia 12 do mesmo mês o juiz Álvaro Vasconcelos deferiu o processo e mandou executar o Paysandu prá pagar em 24h ou nomear bens apenhora em favor de Amazon Fomento Mercantil LTDA.

O PSC, através do departamento jurídico da época, garantiu o juízo, colocando a disposição o estádio da Curuzu, Avaliado à época em R$ 1 mil.

A bem da verdade nem o juiz e o credor não têm interesse em levar à Curuzu a leilão -se tivessem, levariam -, mas o maior interesse é bloquear cotas de patrocínio do clube: o que foi feito, agora, com a CERPA.

No entanto, a cota de patrocínio da cervejaria não chega aos cofres do clube: a Justiça do Trabalho abocanha.

O advogado Alexi Lima, em conversa com este blogueiro apostolado, revelou que é "prego batido e ponta virada", porque houve confissão de dívida do presidente do clube da época, o senhor José Arthur Guedes Tourinho.

Mas, vai recorrer através de Ação de Exceção de Pré-executividade. Esta ação se”justifica em hipótese onde se patenteia ausência de condição de ação”.

Se o corrupto Tourinho foi o presidente que mais glórias deu ao PSC - e isso é inegável -, é também a maior "ratazana" dos cofres do clube. Como agiu na SUDAM,realizou no clube e os exemplos estão às escâncaras.

No PSC do Tourinho o que prevalecia eram os interesses particulares de membros da sua família: o filho, diretor de material do clube, saiu da Curuzu, levando no bolso mais de R$ 45 mil e foi assaltado - diz-que - na porta do prédio; a mulher vendia passagens áreas para o clube, e o cunhado, o Paulo César(conhecido PC),vendia merenda a quando dos jogos do PSC e recebia na boca do caixa, logo após os jogos do clube.

No PSC "Touráxico" o que interessava era a esperteza da família do presidente prá ganhar dinheiro e às favas a moralidade e o bem-estar da instituição.
É o que há!

quinta-feira, 2 de junho de 2011

TAÍ A PROVA PAULO CAXIADO!

Querido Amigo-Irmão Josè Maria Trindade.

Creio não necessitar reiterar nossa convivência fraterna e sobretuo o respeito que nutro por tudo o que você faz. Não sou perfeito mas sou seu amigo. Nesta distância deste ambiente que aprendi a amar que é o ESTUDIO DE RÁDIO, não raro me deparo com a saudade deste ambiente mágico, sério e portador da alegria, do entretenimento e sobretudo da companhia de nossos queridos e fiéis ouvintes. Me apresento a você, de forma, diria até surpreendente, para agradecer-lhe os acenos de carinho e de valorização ao nosso trabalho. Confesso que não ouço rádio desde o dia que sai de férias, mas ouvintes ligam-me para dizer que você tem feito a defesa de nossas contribuições não só a radiofonia, mas a história de nosso esporte e de nossa radio-fusão, trabalho que continuamos a dar prosseguimento no objetivo de chegarmos ao fim colimado.

O que mais tem-me feito ficar, agradavelmente, surpreso com estes lembretes que, também, nas ruas me fazem, é de você sempre lembrar de nossa denominação criada para o Clube do Remo de FENÔMENO AZUL", e, se me permite, há uma outra que ganhou o Rádio Esportivo Brasileiro, que nasceu de uma recusa nossa, lá nos primórdios de nossa atividade, incipiente ainda, na Radio Marajoara, quando me recusava a nominar os clubes que disputavam o campeonato paraense com Remo, Psc e Tuna, serem denominados na Imprensa Esportiva do Pará de CLUBES PEQUENOS, quando então cunhamos a denominação de CLUBES EMERGENTES, e assim passamos a trabalhar com esta denominação. A nossa surpresa positiva, foi verificar que está denominação, dominou Belém e já ganhou o Brasil, e para completar surge agora um SERIADO NA GLOBO, DENOMINADO " A MULHER INVISIVEL, está eu não diria ter sido de nossa lavra, mas é sem duvida um gostosa coincidência.
Obrigado Mano pelas lembranças de nosso nome, eu me sinto no ar, através de vocês.

Com nossa profunda gratidão!


GUILHERME TADEU
RADIALISTA

TUDINHO, A GRAÇA DA MINHA VIDA


MEUS SONHOS
Inobstante não dividir com eles o mesmo teto, meus sonhos passam por meus dois rebentos: Mika e Tudinho. A Mika quer ser advogada e o Tudinho,quando chega à minha casa, faz da minha barriga tambor.
Então, resolvi comprar uma bateria prá ele. Resultado: a mãe e avó não têm sossego.
Agora, ele me fez um pedido: “Pai ‘Jeca’ ‘queio’ um ‘micofone’”. É que ele quer cantar e socar a bateria. Haja barulho!
Ei Bira Lima, o Tudinho está sendo preparado prá fazer parte do teu grupo musical!

MIJARAM PRÁ TRÁS
Antônio Couceiro foi prá cima dos que usaram o seu nome em vão.
Primeiro telefonou para o presidente Luís Omar querendo saber de onde ele tirou a história do “retorno do Tourinho ao PSC se a NOVOS RUMOS ganhasse eleição”. Omar disse que leu numa coluna de um monstro.
Não contente com a resposta foi prá cima do Luís Lopes que foi lá no seu escritório, ao lado do Olívio, convidá-lo para as comemorações dos 20 anos da conquista do título nacional de 1991.
Pasmem: Lopes negou.
Então, quem espalhou? Fizeram igual vaca! Ou é maldade?
“Os monstros têm como principal característica a maldade. O dia que eles não praticam a mordacidade eles não estão bem”, disse-me o advogado e jornalista Hamilton Gualberto.

CANALHA
Estava almoçando no restaurante da sede do PSC e foram chegando Ricardo Rezende, Joperso, Toninho Assef, Bode, Edvaldo Meireles, Luis Lopes, coronel Nunes, Louro e comensais do restaurante.
Em dado momento chega o engenheiro Olívio Câmara e se dirigiu à mesa onde estava este blogueiro apostolado e eu - de propósito - perguntei em tom elevado para que todos ouvissem minha pergunta:
- Dr. Olívio, o Couceiro falou ou não falou que o Tourinho voltaria ao PSC se a NOVOS RUMOS ganhasse a eleição?
Resposta, também, em tom alto: - Não falou! Se ele falou eu não ouvi!
Minha resposta na bucha: - Então, tem canalha no teu GAP! (Silêncio total)
Depois conversei com o engenheiro Olívio Câmara e mostrei a ele que pessoas dissimuladas são covardes, falsas e indignas. Não são homens para sustentarem uma parada. Continuo respeitando Olívio Câmara, mas não posso ter o mesmo sentimento por gente que faz parte do GAP - canalha e fariseu!

PQP
Estava eu numa ponta da mesa e na diagonal o Toninho Assef, vice-presidente do PSC, ao lado do corredor central do restaurante.
Chega o técnico com pinta de galã e passa direto para o gabinete do presidente. Depois de alguns minutos o cavaleiro do apocalipse, Izomar Souza, adentra ao restaurante, tendo ao lado o Roberto Fernando, passa ao lado do Toninho Assef e se dirigi à mesa de outros “cardeais” e apresenta o visitante.
Depois que o técnico está sentado para almoçar em companhia do presidente Luís Omar, eis que o Izomar veio à mesa do vice e disse: “Toninho, vamos lá com o técnico”.
“Vai- te à puta que pariu! Tu passaste do meu lado com ele e não me apresentaste. Agora, tu queres que eu vá lá? Não vou!
Toninho deixou o ambiente puto e foi se sentar fora do restaurante. O vice teve apoio de todos que estavam à mesa, e o cavaleiro do apocalipse ficou com cara de égua.

NÃO TEM JEITO
“Edilson Belém está legal na FIFA, na CBF e na FPF. Com o novo sistema ON LINE de regularização de jogador não tem como ele se apresentar com identidades falsas”
(Antônio C. Nunes de Lima, presidente da FPF, ontem na sede do PSC)

BENQUISTO
Lendo uma obra de um pastor americano (que me foge a obra e o autor - o livro foi emprestado de uma amiga religiosa) lembro de uma expressão que guardo no meu “HD”: “Os amigos me fazem bem; os inimigos me promovem”.
Nunca uma expressão foi tão direcionada a uma pessoa como à que grafei no parágrafo aí de cima
Se o presidente do Paysandu, Luís Omar, pensa que fez mal ao Wandik, ele o promoveu porque a comunidade bicolor ficou do lado do vereador por saber o que ele tem feito pelo clube que ama.
E se ele sonha em um dia ser presidente do clube é direito mais do que certo. Sonha Wandik, sonha, que os teus e os meus sonhos passam por pessoas e instituições.

EPAFRODITOS
Sábado, 13h, os meus amiguinhos “Epafroditos” vão estar no REMADINHA (restaurante da Mika) para comemorarmos os aniversários do Agripino Furtado e do Weider Vilhena.
Dois irmãos, cooperadores e companheiros de rádio.
Amo-os, fraternalmente.
É o que há!