terça-feira, 31 de janeiro de 2012

SUA SAÚDE É UM BIG BEN



NEGOCIAÇÃO
O presidente da Tuna Luso Brasileira, advogado Fabiano Bastos, passou a tarde de hoje, no "Francisco Vasques", tentando minimizar o problema causado pelo seu diretor de futebol, Chipelinho.

Fábio Oliveira, 37, está no "Souza" por indicação do treinador Charles Guerreiro, que é amicíssimo do jogador e este confirmou que está na Tuna porque é "amigo" do Charles. "Estava na minha casa, no Rio, à beira da praia, e o Charles me conta - pelo telefone - o seu problema e eu estou aqui porque gosto e acredito no Charles Guerreiro, agora não é legal eu saí da minha casa prá ficar aqui na concentração sem condições. Eu gosto de morar bem, comer bem e tomr meu uísque.", revelou o jogador.

O presidente Fabiano Bastos não nega que há problemas na Vila, mas que o problema já foi solucionado e o Fábio Oliveira vai para o Grão Pará, na Presidente Vargas.

Mantive diálogo com Fábio Oliveira e revelarei mais detalhes no post de amanhã. Aguardem.
É o que há!

BELIAL


“Amamos a verdade quando ela nos esclarece e odiamos a verdade quando ela nos acusa”.

O axioma de autoria de um dos mais consagrados filósofos da Igreja Católica, Santo Agostinho, está nas essências dos comportamentos do monstro do rádio esportivo paraense (que está mais para belial do que para o excepcional general dos exércitos de Saul) e o presidente do Clube do Remo, Sérgio Cabeça.

A verdade foi esclarecida no Baenão e esta mesma verdade acusou o monstro( o belial, o indigno, o mau-caráter, lúcifer) que só fica feliz quando produz maldade contra o seu semelhante. É do DNA desse individuo que num dia do mês de outubro de 2002 tentou contra a minha vida, após reunião de serviço na sala da SERVICE BRASIL (onde o pai arquitetou a morte dos irmãos Novelinos).

Pelo simples fato de Franciel Gonçalves, 31(foto), porteiro da concentração do Baenão, pedir que ele se identificasse, baixando o vidro do seu carro, quinta-feira, noite chegando e chovia muito, o monstro dirigiu impropérios, humilhou o funcionário que nada fez a não ser cumprir com sua obrigação. “Amigo, por que você faz isso comigo?”, indagou o porteiro."Vai-te f...!F... tua não passas disso!", disse o belial.

Não contente com as ofensas verbais, telefona para o Cabeça, relatando inverdades e o presidente azulino afasta o humilde funcionário. Diretores e funcionários do Baenão, conhecendo o DNA do monstro (inclusive o vice de futebol, Hamilton Gualberto), ficaram do lado do colega e pressionaram para que o presidente não cometesse injustiça.

Cabeça viu a verdade e esta acusa o ser de caráter descomunal: “Peço desculpas, presidente, eu errei!”, disse o monstro no telefone ao presidente azulino.

Com a consciência pesada, o belial se dirigiu ao Baenão e fala com “Missão”: “Amigo, eu tenho meus problemas e não posso me expor. Perdão!”

“Missão” o perdoou como eu um dia o perdoei, e se hoje ele é o que é na Rádio Liberal-AM deve muito a mim e ao Hamilton Gualberto: nós o abraçamos, e o dócil Rubens Onetti (tio dos Maiorana) ficou boquiaberto sem entender nada. No outro dia pediu prá ser transferido para o Jornal Amazônia.

Rubens Onetti já está na infinita escuridão, mas o Hamilton Gualberto está vivinho da silva...

Agora, porque revelo o instinto cruel e assassino, ameaça-me de agressão física e de levar-me às barras da justiça. Aguardo convocação judicial posto que é perante juiz que pretendo revelar verdades.

Ando livremente nesta cidade porque faço minudente reflexão sobre minhas atitudes como homem e como jornalista esportivo.
É o que há!

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

SUA SAÚDE É UM BIG BEN



ENCONTRO
Ricardo Rezende e Sérgio Chermont vão se encontrar nesta terça-feira na capital paulista.
Rezende está a tratamento de saúde e Chermont participando de curso sobre odontologia.
O motivo do encontro é a "Revolução" postada neste blogue que foi lida em São Paulo pelo presiente licenciado do CONDEL bicolor.

ASSENTOS
Através do diretor de futebol do Cametá, Joperso Coutinho, estádio "Parque do Bacurau" receberá 360 cadeiras cativas e 52 para a tribuna de honra do estádio.
O conjunto de cadeiras já está em Belém e será transportado para Cametá via marítima.
A intenção do presidente do Cametá é inaugurar a nova estrutura no jogo contra o PSC, no segundo turno.

RESENHA
A fim de explicar o diálogo que houve entre ele e o ex-presidente bicolor, Rui Sales, recebo chamada telefônica do educado engenheiro Sérgio Serra,candidato a vice-presidente na chama Novos Rumos.
Ouvi atentamente suas explicações, inclusive citando que o encontro aconteceu na saída da "Camaões"(Brás e Aguiar com Rui Barbosa - Nazaré),e eu, sem fugir da minha postura, disse ao respeitadíssimo bicolor:
"Quando escrevo no TudaoeTudinho que o patife engravatado foi 'defenestrado' da Novos Rumos, Dr, assumo como minha expressão e não tergiverso. Se não o cito nominalmente é porque quero encarapuçá-lo.E aos 62 anos, jornalista calejado de tantas demandas judiciais(inclusive com o maior político deste Estado, Jader Barbalho), não é este dissimulado, que o filho me levou R$ 600.00(lá do meu Remadinha) e ele enganou a mim, ao Agripino e o Dinho Menezes, que vai me calar. É preciso revelar o nome desse bifronte, Dr?"

"Zé, quando eu não posso, não prometo", terminou Serra."
"Obrigado, Doutor!", finalizei, afirmando que o Rui Sales não me dá corda. Ora Bolas! Como repórter e como homem não preciso de tal comportamento para agir como jornalista.Aliás, não tenho limites com quem me engana. Amigo que é amigo não engana o amigo.No mínimo, pede desculpas e não se cala como se nada tivesse acontecido.

TUDÃO
O altíssimo comando remista esteve hoje no Baenão: Cabeça,Paulo Motta, Hamilton Gualberto,pedro Minowa e Marco Antônio("Magnata") pediram explicação do treinador Sinomar Naves sobre o vareio de bola que o time azulino tomou do Payandu, no Mangueirão.
Sinomar disse que "realmente não esperava pela reação bicolor" e que jogadores como Joãozinho e Betinho "desapareceram" do jogo. Naves ressaltou as agtuaçõs de Jamilton e Balu.
Tem cartola no Baenão que não tolera Sinomar não aceitar indicação de atletas feito pela diretoria.

MEDO
O monstro do rádio, que se arrependeu da maldade engendrada contra um humilde porteiro do Baenão, assim como pediu desculpas ao presidente Cabeça, foi ao Baenão e disse ao "Missão": "Amigo, os meus problemas são sérios e eu não posso me expor!" Eu, hein?! É o DNA acusando esse monstro(Amanhã mais detalhes).
É o que há e boa-noite!

REVOLUÇÃO


Ele não tem papas na língua. Fala o que pensa e é - declaradamente - oposição à administração Luis Omar.
Odontólogo Sérgio Chermont, 56, conselheiro bicolor, levanta a bandeira de uma revolução no Paysandu porque em cinco anos o Paysandu não ganhou nada e ele vê com preocupação o desencanto da torcida bicolor. E convoca os “cardeais” bicolores para o que ele chama de “revolução bicolor”.
DESENCANTO
“Acho que o Paysandu precisa urgentemente de uma revolução, porque parece que passou na Curuzu um tsunami. São cinco anos de desmandos, que não ganhamos absolutamente nada e o pior de tudo: a torcida perdeu o encanto. Estou sozinho nesta briga, lamentavelmente, mas estou cumprindo com a minha obrigação como conselheiro e benemérito. É lamentável o CONDEL vê a banda passar e não toma providência.”
CONVOCAÇÃO
“Eu quero aproveitar a oportunidade e convocar os grandes beneméritos que se afastaram do clube, os beneméritos, os conselheiros, os suplentes prá nós discutirmos uma forma de tirar o Paysandu desta situação. Tá vexatória! Essa diretoria está marcada pelas piores derrotas do clube; está sendo humilhante o negócio. Eu não estou mais agüentando essa situação. E vou te repetir: eu posso ficar sozinho, mas o meu dever eu vou cumprir até o meu último dia de vida.”
OS AMIGOS
“O Toninho Assef é meu amigo de longas datas. Eu já conversei com ele, inclusive esta semana que ele esteve no meu consultório: Toninho não vou respeitar nem a ti se o Paysandu cair, mais do que já está. É obrigação de quem está dirigindo, arrumar mecanismos para sair dessa situação e não ficar acusando os outros que passaram: fulano, beltrano e sicrano! Quem tem o bastão é que tem que resolver a situação e deixar a soberba. Esta soberba, no Paysandu, por muito tempo é que vem levando o clube a essa situação. Zé, a coisa mais bonita do mundo é a humildade. As pessoas não têm humildade prá perguntar 'onde foi que errei'; não dão um passo atrás para depois ir à frente, não. Quem entra lá(Paysandu) se intitula o presidente do Brasil. Não prestam conta, é um desmando total. Tudo que começa errado, termina errado e não adianta; tomando essas medidas radicais, mandando todo mundo embora. Não vai resolver nada. Tá aí o resultado! Eu fico bobo de ver a torcida do Paysandu calada, não fazer protesto. Eu nunca vi isso na história do clube grandioso como o Paysandu. Faço um apelo a todos os bicolores que façamos uma revolução contra isso. Uma revolução prá ajudar até os caras que estão lá. Se a gente faz uma chapa, é do mal; se a gente fala no rádio, a gente não presta. Vamos acabar com isso, meus amigos! O Paysandu não tem dono! Este papo de meia dúzia achar que manda no Paysandu, enquanto eu tiver palavra ninguém vai calar minha boca! Agora, estou revoltado com isso e tenho certeza que muita gente quer falar isso e não tem coragem.”
BEM INTENCIONADAS
“As pessoas que estão agora no Paysandu são bem intencionadas, mas não adianta! Sem dinheiro não tem condição. Mandaram todo mundo embora, muitos foram com cheques, promissórias e que ainda vai aparecer por aí e botaram o Time Negra em campo. Não se faz um negócio deste. O Corintians acabou de ganhar a Copinha e no máximo subirão dois ou três jogadores. No máximo três jogadores! Aqui pegaram os meninos e desvalorizaram , estão desvalorizando os jogadores e vão culpar um cara excepcional, que é o Nad, excelente funcionário e você não vê o Nad reclamando de nada, agora colocaram ele nessa situação vexatória. Por favor, vamos respeitar o Paysandu. Tá demais! Eu não quero ser repetitivo. vou lhe prometer uma coisa: è a última vez que estou falando. O que quero agora é que o conselho reúna prá gente discutir os problemas lá dentro, mas quando reúne é só prá vender jogador; o estatuto, prometeram e até hoje não terminaram. É uma vergonha isso! E outra coisa: a reunião do conselho, não é reunião do conselho do Paysandu, é a reunião do conselho, misturado com a diretoria do Paysandu que inclusive eles votam. Os caras têm direito a voto. Vamos acabar com isso! Cada qual com seu cada qual.”
TIME PERDEDOR
“Não torne o Paysandu um time perdedor como vocês estão tornando o clube. Vocês têm que sentar os pés no chão e discutir o que é melhor para o Paysandu e não três ou quatro pessoas tomarem conta desse clube e fazerem essa vergonha que estão fazendo.”
NOVOS RUMOS
“Eu já disse para o Toninho Assef que o meu candidato é o Vandick, presidente, e o vice, Serra ou vice-versa prá acabar especulação. Zé, eu não sei o que é que motiva a pessoa a apanhar cinco anos e continuar apanhando. Que tipo de motivação tem esse pessoal no Paysandu. Não resolvem nada. Ficam falando do passado: não olhem pro passado. O Paysandu tem o menor número de público, piores derrotas na Curuzu. Só tá faltando o Paysandu cair prá segundinha. Então, meus amigos, vamos nos unir pelo amor de Nossa Senhora de Nazaré!”
É o que há!

domingo, 29 de janeiro de 2012

TUDINHO


RECONHECIMENTO
Vice-presidente de futebol do CR, advogado e jornalista Hamilton Gualberto, após a derrota do seu Remo para o Paysandu por 2 x 0, atravessou o gramado do Baenão e bateu à porta do vestiário da arbitragem.
“Vim aqui prá parabenizar você e os seus assistentes pelo trabalho nota 10!”, disse Hamilton.
A nota triste foi à atitude do nauseabundo tesoureiro da FPF, a ex-ratazana Guilherme Salze, que cobrou R$ 300.00 do árbitro Joelson, porque este pretendia ter a bola do jogo como relíquia pelo seu primeiro REPA.
Talvez seja indignação porque Salze, num passado bem recente, depois de um jogo como o de ontem, estava nababescamente com os bolsos teitei de dinheiro. Agora, o Zé Ângelo colocou o dedo na boca do suspiro e as ratazanas estão sem “ar”.

MONSTRUOSIDADE
Quinta-feira, 26, noite caindo, chovia forte (se fosse a rainha do toró diria: “Toró! Toró! Toró!”). No portão da concentração do CR estava funcionário conhecido por “Missão”.
Eis que chega um carro. Buzina. “Missão” abre a janelinha da guarita e pede que o motorista abaixe o vidro da porta do carro. O motorista não obedece e continua buzinando. O carro continua hermético.
“Missão” faz gesto para que o motora se identifique, baixando o vidro do carro. O vidro se abre e o vigia houve impropérios: “Tu és um f...! Não passarás de porteiro, f...!” E vai embora.
Era o monstro, àquele que é capaz de pisar no pescoço da velha mãe prá se dá bem na vida. É o mesmo que foi defenestrado da TV Recorde (Belém). Este elemento, que é reconhecido na sociedade belenense por ser hospedeiro da síndrome de heróstrato (DNA é DNA), telefonou para o presidente do Remo, Cabeça, e mente, acusando “Missão” de tê-lo desrespeitado. O funcionário foi afastado do Baenão.
A mentira não vinga por muito tempo. Hamilton Gualberto investiga e reconhece que o seu ex-colega de rádio mentiu e alerta Cabeça para a injustiça. Mesmo porque, o vice de futebol conhece o caráter do monstro.
Vendo que sua maldade não vingou, o monstro telefona prá Cabeça e se desculpa pela maldade.
“Missão”, nesta segunda-feira, retornará as suas atividades no Baenão.
O monstro faz de tudo para deixar seu nome na história nem que para isso seja obrigado a praticar atos desonrosos e desumanos.

PEDIDO
De São Paulo recebo telefonema do presidente Luís Omar, querendo saber o que o odontólogo Sérgio Chermont falou no SHOW DE BOLA da Rádio Marajoara, hoje.
Então, nesta segunda-feira, será postada "sonora" no blogue. Estou preparando.
É o que há e boa noite!

SUA SAÚDE É UM BIG BEN



O PAI DO REMO É O PSC
Respeite o pai ia, ia,
Respeite o pai ia, ia,
Respeite o pai,
O pai do Remo é o Paysandu.
Eu sei que dói ia, ia,
Eu sei que dói ia, ia,
Mas ele é o Papão da Curuzu.
Levanta prá sentar,
Levanta novamente,
Vai sentando de vagar,
Você pateta,
E você sofre prá chuchu,
Se o pai do Remo,
O pai do Remo é o Paysandu.
(Na UFPa, na década de 80, tive o prazer de ser aluno do pai desses versinhos: Rui Barata).
É o que há!

RESILIÊNCIA

A literatura hebraica e rica em histórias de vitórias inacreditáveis.

Uma delas é à de Davi sobre Golias.

Este fato aconteceu havia milênios de anos, quando um garoto foi deixar comida para os seus irmãos e viu aquele imenso monstro desafiando o povo hebreu.

O garoto Davi indagou aos irmãos “quem é este incircunciso?” e um deles respondeu que era um gigante que queria "engasgá-los."

Deus operou milagre e o resta da história os senhores sabem.

Eu vi a repetição dessa história hoje no Mangueirão. Os meninos do Paysandu foram prá cima do gigante remista comandado pelo fanfarrão Diego Barros.

Remo sempre foi um time limitado tecnicamente, e vinha vencendo contando mais com a sorte do que propriamente com a competência dos seus jogadores.

E hoje Nad, que estava ameaçado de voltar à base, organizou o meio-campo bicolor de forma que defendia e atacava, e na frente dois velocistas - Bartola e Cariri e depois Ellington. Acabou com o Remo.

E o Sinomar nada fez e nem podia fazer porque no jogo desta tarde o meio-campo remista constituído de Felipe Baiano, Aldivan, Adenízio e Betinho que não conseguiam impedir as ofensivas do meio bicolor e não criavam.

Disparadamente, o Paysandu ganhou de 2 x 0 o favorito Remo porque foi o melhor durante os 90min.

Élington foi o melhor jogador em campo: deu passe do primeiro gol de Leandrinho, a 1min do segundo tempo, e Robinho meteu prá direita e Élington chutou em diagonal e fez 2 x 0. Matava o Remo, que teve no seu goleiro Jamilton o melhor atleta, porque salvou o Remo de tomar goleada.

Faltou ao Remo criatividade o que sobrou no Paysandu.

Renda de R$ 535.740,00 para um público pagante de 26.706 torcedores.

O Payaandu, com a vitória, recuperou-se, moralmente!
É o que há!

INDOMÁVEL, NEFANDO, IRREVERENTE, IMPOSSÍVEL, METICULOSO E INSTIGANTE: O PULO DO GATO!


DESCRENTE
Está ausente das rodas dos amigos e do Paysandu havia quatro meses
De repente o empresário Ricardo Rezende, 56, se viu obrigado a residir em São Paulo para cuidar da saúde. Perdeu peso, careca, deixou de tomar uísque e fumar, mas não perdeu a vontade de viver e de se preocupar com a família, com os amigos e, em especial, com o seu Paysandu.
Na tarde de ontem, num restaurante do centro da capital paraense, Rezende chega para se encontrar com amigos e dentre eles o vice-presidente do Paysandu, Toninho Assef, empresários e profissionais liberais. Foi uma festa ao verem Popó. Abraços efetivos e demonstração de amor fraternal.
Sentou à mesa onde eu estava e vi a possibilidade de lhe fazer perguntas sobre o momento que vive o time do Paysandu, a oposição lançando Vandick e Serra às próximas eleições presidenciais em dezembro, contive-me porque percebi que o empresário está sensível às fortes emoções. Mas aos poucos foi se soltando e pediu pastel recheado com carne.
O médico Fernando tomou a iniciativa de perguntar como estava Rezende e este respondeu: “Bem! O tumor desapareceu, mas estou indo a São Paulo amanhã (hoje) para me submeter a exames que dirão como estão as células”. “Vai dá tudo bem!”, respondeu o médico.
O assunto era doença e os equipamentos modernos da medicina que ajudam a prolongar a vida do homem, e entrei no papo, mudando a prosa.
- Rezende, concordas com o lançamento das candidaturas Vanddik-Serra?
- É a democracia. Eles estão no direito deles. São conselheiros e é bom saber que tem quem queira presidir o Paysandu!
- Acreditas no Paysandu amanhã (hoje) c ontra o Remo?
- Não acredito!
Percebo que a crise bicolor o deixa abatido e embarga a voz. Toninho Assef me olha e pisca, balançando a cabeça como que dizendo “para!”. Parei.

TÁ EXPLICADO
Dois promotores de justiça - Nelson Medrado e Arnaldo Azevedo - ajuizaram ação civil pública por improbidade administrativa, quando presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Pará no período de 2003 a 2007, contra o hoje senador Mário Couto (PSDB-PA).
Segundo os promotores, o rombo nas contas da ALEPA supera R$ 2,3 milhões e a maçaroca processual foi encaminhada à justiça.
O ex-deputado Mário Couto, à época presidente da Assembleia Legislativa, adquiriu fazenda em São Francisco do Pará e distribuiu, nas colônias daquele município do nordeste paraense, muitos fornos de farinha e a comunidade dizia que a fazenda (entre São Francisco do Pará e a Vila de Jambuaçu) era a mais moderna da região. E era. Gado a perder der vista na imensidão do pasto e uma estrada asfaltada do portal à casa da fazenda.
Depois de um assalto (quando os “sócios” levaram todo o dinheiro que era prá pagar os funcionários da fazenda), Couto vendeu o patrimônio.
Agora, surge em Cuiarana (Salinas) com um clube estruturado e contratando jogadores que se recusam a defender Remo e Paysandu, porque a “baba” ofertada pelo senador é farta.

CONFIANÇA
Nunca os remistas estiveram tão confiantes antes de um clássico contra o Paysandu como estão agora. É só prazer!
Os cartolas bicolores estão sentindo o cheiro da perpétua: Luís Omar está em São Paulo e o Nad muda o time prá vencer, mas se não ganhar voltará à base na segunda-feira.
Para o Paysandu é tudo ou nada e por assim dizer o time entrará em campo com: Paulo Rafael; Picachu, Douglas, Tiago Costa e Jaiminho; Wânderson, Billy, Leandrinho e Cariri; Robinho e Bartola.
O Remo desfrutando da ótima campanha, embora bafejado pela sorte, terá: Jamilton; Balu, Diego Barros, Sosa e Alexi Juan; Felipe Baiano, Adenízio, Aldivan e Betinho; Rodrigo Ayres e Marciano.

TÁ FORA
As logomarcas CLARO e BIG BEM vão estar ausentes das camisas dos jogadores do Paysandu no dérbi de hoje contra o Remo. Para renovar, Paysandu apresentou proposta além dos R$ 50 mil ofertados pelas empresas.
A marca de um colchão de cama deve aparecer no uniforme bicolor.

TV CULTURA
Escalou o que há de melhor no seu quadro de locutores e comentaristas: Plácido Ramos narrará REPA, tendo ao seu lado a revelação do comentário esportivo no rádio e na TV paraense, professor Cláudio Oliveira.

SHOW DE BOLA
12h na Rádio Marajoara-AM-1130!
É o que há!

sábado, 28 de janeiro de 2012

SUA SAÚDE É UM BIG BEN


ESTÉTICA
O jovem jornalista Mauro Tavernard, 23, convenceu-me da repaginação do Tudão e Tudinho.
À tarde deste sábado, no Remdinha, ao lado do Web-designe, Haroldo Bezerra,nasceu (juridicamente) Tudão e Tudinho. Ele existia, mas não tinha regitro de nascimento.
Nos próximos dias, Bezerra cuidará da nova cara deste blogue.
Agurdem!

SEM CABOTINISMO


Há uma regra em jornalismo que não se deve ercever em primeira pessoa. Pode parecer cabotinismo. Não é!É a necessidade de divulgar a verdade nua e crua diante dos conselhos e dicas que tenho recebido da nova geração de jornalistas que me dá audiência neste blogue.

- Tu és o Zé Maria Trindade?
- Sou eu mesmo!
- Parabéns pelo conteúdo do blogue!
- Obrigado!
- Dá uma repaginada no teu blogue!

Francamente, foi mais um que me deu no queixo, porque TudaoeTudinho começou no dia 7 de abril de 2010 de forma passatempo, posto que pensava ser incapaz de manter diariamente este espaço. Depois de um ano se transforma em apostolado e aonde chego as indagações são constantes sobre o desajeitado Tudão e Tudinho.Estou vivendo uma das melhores fases da minha vida profissional.

Para desespero do patife engravatado, àquele que tem filho bandido(levou-me R$ 600)e enganou a mim, o Agripino Furtado e o Dinho Menezes, que sonhou em ser presidente do Paysandu um dia e foi defenestrado da Novos Rumos. É o mesmo que o Sargio Serra disse para o Rui Sales que foi sacado. É cínico como todo Patife. É preciso dizer o nome dele?

Agradeço ao jovem jornalista Mauro Tavarneard, 23, repórter de O LIBERASL,na manhã de sexta-feira, no CEJU, por ocasião do coletivo do CR, aconselhou-me(foto). Obrigado, meu querido confrade!

Contratei web-designe - Haroldo Bezerra - prá dá uma nova cara a este que é meu caráter, meu desabafo!
É o que há!

NO G4

O presidente Fabiano Bastos deu um aviso aos jogadores da Tuna Luso Brasileira: "Se vocês não vencerem arrumem às malas e vão embora!" A Tuna venceu e venceu bem o SãO Francisco de Santarém agora de manhã na Vila por 3 x 1.

Sob um sol "bochechudo", time de Charles Guerreiro foi melhor em campo, dominando as ações de meio-campo e no ataque André Mensalão e Fábio Oliveira corresponderam a expectativa.

Aos 25, do 1º tempo, André Mensalão fez 1 x 0, e Bruno Oliveir ampliou para 2 x 0 aos 29 da primeira etapa.

No segundo tempo, São Francisco voltou mais afoito e diminuiu através de Balão Marabá aos 29 cobrando falta.

Fábio Oliveira deixou sua marca aos 35,celando a vitória lusa, que integra o G4 com 6 pontos ganhos; CR é o primeiro com 10; Águia em 2º com 9; Cametá com 8 é o 3º colocado e a Tuna é a 4ªcom 6; São Francisco com 6 é o 5º; São Raimundo com 6 pg é o sexto; Com 3 é o PSC na 7ª posição e na lanterna Independente com 1 ponto positvo.
É o que há!

COMPROMETIDA

Não é só em torno do placar do REPA que a expectativa é acentuada.

Os credores, através dos seus advogados, acionam a justiça trabalhista e esta, cumprindo dever, determina bloqueio da renda líquida dos clubes. Tem sido assim.

Como o Paysandu é o mandante na partida de amanhã, desde ontem que os bloqueios começaram a ser comunicado à direção do Papão.

Centroavante Aldrovani, que fez parte daquele time que tomou 9 x 0 do Paulista de Jundiaí, em 2005, campeonato da segunda divisão, conseguiu bloquear R$ 50 mil junto ao Banpará.

O Banco comunicou à direção do Paysandu que vai cumprir ordem judicial. A cota do banco do mês de janeiro já era.

Alexandre Fávaro cobra do Paysandu R$ 45 mil e se a diretoria não pagar até segunda-feira, a sede do Papão poderá ir a leilão.

Dia 10 de cada mês o clube tem que depositar na Justiça do Trabalho R$ 30 mil do acordo com Arinelson. São R$ 4,9 milhões para o ex-atleta bicolor, que obteve um contrato estratosférico com o Paysandu à época do Tourinho.

Andrei, que foi para o futebol coreano, tem prá receber R$ 25 mil de cinco meses de salários atrasados.

A renda líquida do REPA está toda comprometida.

Coitados dos funcionários que ganham salários mínimos!
É O QUE HÁ!

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

SUA SAÚDE É UM BIG BEN



R$ 8 MIL
É quanto o Paysandu pagará pelo aluguel do Mangueirão como mandante do REPA, de domingo.
SEEL comunicou o clube no início da noite de hoje. Se o jogo exigir refletores, mais R$ 2 mil.

DEFINIDOS
Embora não diga, treinador do CR, Sinomar Naves, tem onzena azulina definida, sim.
No coletivo de hoje, no CEJU, Sinomar conversou antes da bola rolar convrsou demoradaamente com: Jamilton; Balu, D.Barros, Sosa e Alexi Juan; Felipe Baiano, Adenízio, Aldvan e Betinho; Rodrigo Ayres e Marciano!
Do outro lado da avenida: Paulo Rafael; Picachu, Douglas, Tiago Costa e Jairinho; Wânderson, Billy, Leandrinho e Cariri; Robinho e Bartola.
É o que há!

DESENCANTO


“O Time Negra, ideia do Miguel Pinho, sempre usou a base e nunca teve sucesso. Em toda competição que participou não se classificou. Como é que agora o Paysandu usa essa mesma base no campeonato paraense e quer obter vitórias?”

Ouvi este enorme axioma da boca do conselheiro Sérgio Chermont no final da manhã de ontem, e revelou que está disposto a pedir reunião extraordinária do Conselho Deliberativo do Paysandu porque não acredita que o clube obtenha sucesso com essa equipe comandada pelo treinador Nad. ”Não se faz isso. Jogaram o Nad e os meninos da base às feras”, disse Chermont.

O São Paulo, o clube de maior estrutura no futebol brasileiro, ano passado fez o que o Paysandu está concretizando em Belém e não ganhou nada. É o exemplo que está nas bocas e nas dicas da torcida bicolor que se mostra descrente com o atual elenco bicolor.

Ontem à tarde, na Curuzu, entre os poucos torcedores que assistiam ao treino bicolor um dos torcedores dizia que a “galera está perdendo o encanto com este time e isso é perigoso porque em casa o pai demonstra insatisfação com o time e o menino não torce pelo time do pai”.

Mas o que mais me chamou atenção foi o comentário do repórter Agripino Furtado nesta mesma roda: “Como exigir o máximo desses garotos se eles, na base, só treinavam um expediente? E agora, no profissional, eles treinam de manhã e de tarde. A carga de exercício e puxada e eles precisam de tempo para se condicionarem à nova metodologia de trabalho”. Tem razão o experiente e ótimo repórter Agripino Furtado.

No campeonato paraense deste ano, sem novidade e lugar-comum, o Paysandu corre o risco de ser rebaixado se assim continuar, e o Nad, se perder domingo, volta prá base acompanhado de alguns jogadores que - francamente - não têm futuro. A chance foi dada!
É o que há!

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

SUA SAÚDE É UM BIG BEN



ESTORVO I
No início da noite de hoje contactei com o empresário Raul Aguilera, pai de Raul Aguilera Neto e Roger Aguuilera, que voltou a confirmar que não tem fundamento a notícia de que a "família Aguilera" estaria contratando 3 ou 4 jogadores para o Paysandu.
Zé, é mentira. E se o Roger estiver envolvido com o pessoal do Paysandu é doidice dele. E que ele diga que é o Roger e não a família Aguilera", declarou o empresário Raul Aguilera.

UMBRO
Ficou prá fevereiro a festa de lançamento do novo uniforme do Clube do Remo com a marca da multinacional UMBRO.
A direção do clube pretendia vestir o clube com o novo uniforme domingo contra o PSC. "Não deu", disse Cabeça!

JURURU
Luís Omar Pinheiro chegou à tarde de hoje na Curuzu cuspindo fogo.
Encontrou a porta da concentração aberta e a fechou com uma sonora "tacada".
Gritou pelo "seu" Meireles, indagando o por quê da porta arreganhada.
As escalações de Nad incomodam o presidente. Exemplo: ele não admite Bartola no banco.
Este que ganhou uma chuteira ADIDAS de uma fã.

TROCO
Joperso Coutinho, conselheiro bicolor, que apostou com Bode e Olívio que o Paysandu não ganhava do Cametá, e levou do Bode, mas do Olivio "neca-neca", está na "mutuca" esperando que alguém leve o assunto ao CONDEL.
"Eu não desrespeitei o Paysandu. Se me punirem, gterão que punir conselheiro que aluga apartamento ou condomínio fechado para o clube. O que é pior?", disse Joperso.
É o que há!

ESTORVO


É inconcebível que em Belém se divulgue, nas emissoras de rádio, o que nunca existiu. É a tal da notícia “plantada”. A “barrigada”. Toda fonte merece crédito, mas é preciso se checar o fato. E isso não tem sido feito nesta terra por alguns repórteres despreparados.

A notícia divulgada por alguns “propagandistas”, que o empresário Raul Aguilera(foto) ajudaria o Paysandu com as contratações de 3 ou 4 atletas não tem fundamento e tem sido um estorvo na vida do empresário.

“Quem noticiou é mentiroso. Não tem fundamento, Zé! Toda hora tem gente me ligando perguntando se vou contratar fulano, sicrano para o Paysandu. Isso não existe. Estou concentrado na minha empresa e, por enquanto, não estou interessado em Paysandu”, revelou o empresário Raul Aguilera pelo telefone à noite de ontem.

No início do ano passado Roger Aguilera, filho de Raul Aguilera, e o odontólogo Sérgio Chermont passaram uma temporada na Curuzu, tentando organizar o clube e não ficaram porque o trabalho deles incomodou muita gente.

Luís Omar preferiu ficar com Fred, Ozimar Vasconcelos, Izomar Souza e outros despreparados e deu no que deu.

Paysandu perdeu o campeonato para o Independente, não subiu para a segunda divisão(perdendo para o América de Natal) e hoje se vê na situação crítica de ficar de fora do quadrangular do primeiro turno deste "lugar-comum" que é o campeonato paraense.

O que seria da competição se não fosse o governo estadual bancar despesas? Campeoanto curto de jogos terças, quartas, sábados e domingos, sem atrativos técnicos que incentivem o torcedor a ir a campo.

Na noite de ontem, em Marabá, 2.117 torcedores foram a campo, proporcionando arrecadação de R$ 30.920,00. Não paga as despesas.
É o que há!

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

NÃO DÁ, NAD!

Por mais que se queira apoiar a base do Paysandu, o time é o inverso de tudo que há de positivo numa partida de futebol: é só chutão, não há posse de bola,não existe controle do jogo, não há precisão no passe e o meio-campo é incompetente prá criar jogadas.

O Paysandu não tem técnico. Tem treinador, infelizmente! Um time de futebol, em campo, é o "caráter" do seu técnico.

Paulo Rafael foi o melhor jogador do jogo em que o Águia, que não é lá essas coisas, ganhou de 2 x 1 o Paysandu, que está, praticamente, fora do quadrangular decisivo do primeiro turno.

Através dos laterais, Jr. Ferrari e Rairo, e o "pião" Flanel Águia apresentou qualidade no passe e fez o goleiro bicolor fazer "milagre".

Pelo Paysandu Juba e Nene Apeu não disseram o que foram fazer em campo.

Aos 2min, depois de dois rebotes do goleiro Paulo Rafael, Rairo cabeceou prá cima e a bola caiu dentro do gol bicolor: 1 x 0 Águia.

Aos 21min, do segundo tempo, Rairo cobra falta e, na trajetória Charles mete a cabeça: 2 x 0.

Aos 25, Leandrinho lança Yago, que chega chutando de fora da área: 2 x 1. E só.

O PSC caminho para mais um recorde na era Luís Omar: ficar de fora de um quadrangular decisivo.

No complemento da rodada, São Francisco venceu a TLB de 2 x 1, e em Tucuruí o Independente empatou em 1 x 1 com o São Francisco.
É o que há!

SUA SAÚDE É UM BIG BEN

O MELHOR


Joelson Nazareno Ferreira Cardoso, 33, casado, diplomado em gestão empresarial, havia cinco anos como árbitro de futebol, é um homem temente a Deus.

Tudo que acontece em sua vida (de bom ou de ruim) ele diz que é a “vontade” do ser onipotente, onipresente e onisciente - Deus.

Ao ser escolhido ontem, na sede da FPF, em sorteio, prá apitar o clássico Rei da Amazônia, REPA, de domingo, no Mangueirão, ele estava com os companheiros de apito se exercitando fisicamente no complexo da Escola Superior de Educação Física do Pará e foi cumprimentado pelos colegas e até por torcedores dos dois clubes que lá estavam fazendo Cooper.

Ele agradeceu a Deus e depois fez uma revelação: “Ano passado fui mais bem avaliado pela Comissão Nacional da CBF e incluído no quadro nacional da arbitragem brasileira com a maior nota em todo o Brasil, mas como eu não tinha diploma de curso superior fui desligado. Em seguida entrei cinco vezes em sorteio no campeonato paraense e perdi inclusive a final entre Paysandu e Independente, que o “Galo” foi campeão, arbitrado por Clauber José Miranda, mas foi à vontade de Deus porque ele estava reservando coisa melhor prá mim: o REPA”, disse Cardoso.

Joelson Nazareno diplomou-se em gestão empresarial e agora aguarda pelo exame nacional da CBF, que deverá acontecer em setembro.

O último árbitro regional a apitar um REPA foi Domingos de Jesus Viana Filho em 2007, no Mangueirão, e o jogo terminou em 1 x 1.

Atualmente o quadro de apitadores da FPF é composto de homnens honestos(inclusive a coordenação) que não vive bajulando dirigentes e pedindo favores como acontecia em épocas passadas.

Lembro de um encontro que tive com o ex-dirigente do Águia de Marabá e hoje deputado estadual, João Salame, que me disse, em uma das mesas do Boteco(Casa das onze janelas) e não pediu reserva: "Tem pilantra na arbitragem paraense."

Que o Deus do Joelson o ilumine prá que ele faça uma boa arbitragem. Apitar ele sabe e marca em cima do lance. É o único árbitro paraense a não deixar dúvida na cabeça dos jogadores porque marca em cima.

É o melhor apito do Pará!É a minha opinião!
É o que há!

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

SUA SAÚDE É UM BIG BEN



SEM JOGAR BEM, REMO É O LÍDER
Mesmo perdendo o seu melhor jogador, Soares, que foi expulso aos 23min do segundo tempo, o Cametá, que ganhava de 2 x 1, acabou cedendo espaço e o Remo chegou ao empate aos 40min. através de cabeceio de Rodrigues Aires, o pior jogador em campo.

Com melhor atuação do meio-campo, Cametá soube se impor e abriu o escore aos 42 do segundo tempo, por intermédio de Álison.

Com meio-campo sem qualidade e Marciano atuando de forma errada, o Remo só chegava à àrea do Cametá através de bolas alçadas pelo lateral Balu.

E em cobrança de falta, aos 12, Marciano fez 1 x 1.

Logo em seguida, o melhor jogador da partida, Soares, chutando de fora da área fez Cametá 2 x 1. Um belo gol.

Técnicamente, o Remo não se houve bem dentro de campo, mas foi mais uma vez bafejado pela sorte: aos 23min Joelson Silva expulsa de campo Soares depois de simular falta.

Melhor pro Remo. Aos 33min os refletores apagam-se e o árbitro espera e depois de 12min volta a normalidade.

Com um a menos, Cametá se encolhe e o Remo vai prá cima, chegando ao empate aos 40min num cabeceio de Rodrigo Aires que fez só isso.

O Cametá enquanto completo foi melhor em campo. O Remo, técnicamente, é um time sem qualidade.

Remo mantem a liderança do campeonato com 10 pontos ganhos.
É o que há!

MUDOU


O "Iluminado" ex-presidente bicolor, Rui Sales, que representa o Paysandu na Federação Paraense de Futebol, defende arbitragem local para o clássico RE-PA de domingo no Mangueirão.

No tempo de Sales presidente do Papão ele não queria nem ouvir falar em apitador local para comandar o clássico rei da Amazônia porque sabia da inconfiabilidade da grande maioria dos apitadores paraenses.

Homens que viviam no bolso de muitos dirigentes: assim como "facilitavam" as coisas(dentro de campo) para o Papão, assim agiam com o adversário.

Miguel Pinho, que seu corpo já está na infinita escuridão, dizia que "os melhores ponteiros bicolores eram os bandeirinhas". E tinha fundamento. Quantos gols de clubes chamados pequenos foram anulados pelos assistentes?

Quem não se lembra de Paysandu e Castanhal, no Mangueirão, gol legitimo de Edil para o Castanhal que o bandeirinha anulou? E o Paysandu campeão!

Hoje este tipo de caráter não existe mais na arbitragem paraense. É verdade que existem os erros, e as cismas como à que há sobre a paixão(diz-que) de Andrei Silva e Silva pelo Clube do Remo, mas nenhum bicolor ousa dizer que este rapaz é safado.

Os bicolores não desejam ver Andrei Silva apitando jogo do Paysandu e, muito sutilmente, já o "queimaram", mas não que ele sejá desonesto, simplesmente pela "fama" o que é uma pecha desagradável para um árbitro que nasceu em berço pobre, mas honesto.

Atualmente, a FPF disponibiliza de Delson Fernando Freitas dsa Silva(foto), Joelson Nazareno Cardoso("Cabeção") apitadores de primeira grandeza e que um desses poderá está à frente do clássico de domingo.

Ainda, ontem, pelo telefone, Rui Sales sugeriu ao presidente Luís Omar que o Paysandu realize os restantes das partidas pelo campeonato paraense e jogos da Copa do Brasil no campo de Paragominas.
É o que há!

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

MAIS 2


Douglas Sobral de Lima, 30, zagueiro, pernambucano, jogava no Lemense(SP), e Jállison Souza Tavares(Cariri), 23, atacante, de Araguaína(TO) foram apresentados à tarde de hoje na Curuzu como os novos contratados do Paysandu!

Segundo os próprios atletas, estão aptos tanto na parte documental como fisicamente.
É o que há!

RESOLUTO


Vi pela TV Cultura (sem áudio) seleção de Paragominas e Paysandu.

No Rádio: 690 - o excelente locutor Claudio Guimarães narrava, aos 36min do segundo tempo, o gol assinalado pelo Zé Augusto e concluía: “O Zé faz história!...”

Depois da feitura o Zé Corria e recebia o afeto dos colegas que estavam no banco. É a prova de como o “titio” Zé Augusto é querido pelos meninos da Curuzu. Após o jogo travei um diálogo com a minha consciência, tendo como personagem o “Terçado Voador”.

“Zeca, por que criticas o Zé Augusto?”
“Não dá mais! Está velho para o futebol”
“Ouviste o que ele disse após a partida?”
“Ouvi, sim, ele falando que não é nenhum bobo e que conhece suas limitações e que sabe fazer gols e que quer marcar no campeonato!”
“Zeca, o que pensas sobre a determinação do Zé?”
“Deste-me no queixo, porque não duvido de ninguém que pensa de forma determinada. Acredito nas pessoas humildes e que têm intentos. O Zé tem propósito e não se entrega, inobstante os 37 anos de idade.
“Acreditas que ele é um ungido de Deus, porque ele é humilde e a humildade é a marca dos homens glorificados?”
“Eu não sei se ele é um ungido de Deus, porque não acredito que Deus - ser onipotente, onipresente e onisciente - se envolva com jogo de futebol, mas acredito na humildade como qualidade humana. O maior exemplo, de humildade, no mundo contemporâneo, é Mandela.”
“Pra encerrar: Então, tá! Tens dignidade de dizer o que pensas do Zé?
“Ele é simples, ser dócil, educado, não afronta jornalista que o critica, cumprimenta o mundo que o cerca e ontem fez história porque é uma pessoa boa.”

Volto ao meu estado cognitivo, pensando no que já revelei sobre o jogador Zé Augusto: merece uma estátua na Curuzu por tudo que já fez pelo Paysandu (em tom irônico), mas verdadeiramente será homenageado pela Federação Paraense de Futebol com uma placa pelo primeiro gol que fez no moderníssimo estádio “Arena do Município Verde”.

Rendo-me diante da humildade determinada do Zé Augusto!
É o que há!

domingo, 22 de janeiro de 2012

SUA SAÚDE É UM BIG BEN



EXPERIENTE
A torcida bicolor, que participou do programa SHOW DE BOLA, da Rádio Marajoara-AM,hoje, apresentado pelo José Maria Trindade(este blogueiro),revelou que concorda com a renovação do time bicolor, mas desde que haja enxerto com jogadores experientes.

"O Paysandu precisa de um goleiro, um zagueiro, um meia e um atacante", revelou a ouvinte Luzia Moura, que está descontente com as apresentações do seu time.

A vitória bicolor diante da Tuna Luso Brasileira, por 1 x 0, deu mais ânimo aos diretores bicolores que mantêm o discurso de apoio aos novos jogadores da base.

No jogo de hoje, em Paragominas, na inauguração do estádio "Arena do Município Verde", Nad colocou em campo jogadores que estão lutando por uma oportunidade na Curuzu e Joaelton fez bonito.

O iluminado Zé Augusto fez o gol da vitória bicolor. Zé fez história aos 36min do segundo tempo ao marcar o gol inaugural da "Arena do Município Verde".
É o que há!

100%

Ao término da terceira rodada do Parazão, Clube do Remo mantém a liderança da competição com três vitórias através do escore mínimo sobre Águia,São Raimundo e Independente.

Fazendo o dever de casa nas duas primeira partidas, Remo obteve no sábado vitória importante sobre o Independente, dentro de Tucuruí, quando o time da casa foi disparadamente o melhor dentro de campo, mas o Remo foi bafejado pela sorte ao aproveitar falha da zaga do "Galo", com Marciano marcando aos 43min do segundo tempo.

Águia conseguiu a segunda vitória consecutiva ao vencer do São Raimundo por 3 x 1 em Marabá.

Remo é o líder com 9 pontos; Cametá com 7 é o segundo colocado; Águia é o 3º colocado com 6; com 5 pontos o São Francisco é o 4º; na quinta posição aparece o Papão com 3 pontos; em seguida vem a TLB com 3; 7º São Raimundo com 1 e na lanterna o Independente que ainda não ganhou nenhum ponto.

Na terça-feira, Cametá e CR; quarta-feira, São Raimundo e Tuna; em Marabá, Águia e Paysandu, e em Tucuruí, Independente e São Francisco.
É o que há!

INDOMÁVEL, NEFANDO, IRREVERENTE, IMPOSSÍVEL, METICULOSO E INSTIGANTE..


FRAUDE
2006. O presidente do Clube do Remo era Rafael Levy.
Campeonato paraense. Baenão lotado para assistir Remo e Castanhal. Eu estava no estádio.
De repente correu a notícia que a polícia havia pegado um bilheteiro com as mãos teitei de ingressos falsos. Constatei que o fato era verdadeiro.
Policiais lacraram a bilheteria e levaram o bilheteiro para a sala da tesouraria da Federação Paraense de Futebol no Baenão. O bilheteiro era Francisco Lopes, funcionário eletricista do clube, que estava fazendo “bico” e que “bico”.
Passado algumas horas, Lopes foi liberado e desapareceu do Baenão. Depois se soube que o eletricista foi dispensado do clube com todos os seus direitos pagos. “Se me prenderem eu abro a boca e derrubo quem me passou os bilhetes”, teria dito. Até hoje ficou o dito pelo não dito.
À época Guilherme Salze, Iva e Edmilson eram os que comandavam confecção, distribuição e venda de ingressos nas bilheterias dos campos de futebol, e no Clube do Remo o responsável era o Mário Sérgio, como ainda éaté hoje, tendo como assistente o irmão Pedro.
Zé Ângelo chega à FPF e corta a boca do Salze, da Iva e do Edmilson (este foi prá rua depois de ser assaltado e os bandidos levaram R$ 30 mil da Federação), e os ingressos ficam nas mãos de funcionários de CR e PSC.
Pelo novo estatuto do torcedor é proibido venda de ingressos acima do valor estampado no bilhete, e atualmente, nas cercanias de “Francisco Vasquez”, Baenão e Curuzu, os cambistas vendem bilhetes pelo mesmo valor das bilheterias. Como?
“Zé nós conseguimos bilhetes junto as torcidas que nos vendem pela metade do preço e nós vendemos para o torcedor pelo mesmo preço que é comercializado na bilheteria. Não é crime. Eu fui preso por um policial, mas ele me soltou porque provei que estava vendendo ingresso pelo mesmo valor da bilheteria”, revelou-me um cambista na tarde-noite de sexta-feira nas cercanias da Curuzu.
Outro cambista, revoltado, disse: “A PM fica a nos perseguir, mas ela tem que prender quem pega os ingressos aí dento e nos repassa prá revender aqui fora. É o bate-volta.”
Mário Sérgio e o seu irmão, Pedro, são os responsáveis pela distribuição dos ingressos nos jogos do Clube do Remo.
Baenão havia tempo, nunca mais recebeu 15, 20 mil torcedores. INSS está sendo fraudado, no mínimo.

TEMPO
Iva Lima, funcionária da tesouraria da FPF, que quando era a toda-poderosa manda-chuva nos campos de futebol do Pará, que escalava gente da sua família prá trabalhar nos portões e bilheterias do Mangueirão, Baenão e Curuzu, agora que está de flozô com a chegada do Zé Ângelo à FPF, nos borderôs que manda à imprensa traz mensagem bíblica do Eclesiastes - 3: “Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu...”
Pelo visto, Iva se entregou a Jesus, depois de anos de “mágica” prá amealhar bens patrimoniais como simples funcionária da FPF. Só não tem mais porque o Zé colocou o dedo na boca do suspiro.
A maioria dos heróis bíblicos foi adúltera, assassina, criminosa, mentirosa, e depois se arrependeu e são hoje santificados. Davi, o único homem que Deus se comparou a ele, meteu “tudão” em Bate-seba e mandou matar o esposo, Urias.
Há tempo prá tudo, é verdade, inclusive prá se arrepender de passado bem recente.

ESTIGMA
O árbitro Andrei Silva e Silva é um apitador marcado pelos bicolores como sendo remista fervoroso e chora quando o Leão Azul perde. É o que dizem alguns bicolores.
Desde que surgiu no apito paraense que o árbitro tem sido “queimado” pelos cartolas bicolores e quando há descuido e a comissão escala Andrei para jogo do Paysandu, o bicola perde.
Ontem o dirigente do Independente, Delei, ao ser entrevistado pelo repórter Nelson Torres, da Liberal-AM, disse: “Todo mundo sabe que ele (Andrei) é remista!”
A contrariedade do dirigente do “Galo” era porque Andrei não teria marcado pênalti contra o Remo.
Uma coisa é certa: O Remo dá largura quando ele apita. Tem sido assim.

ABNEGADO
A desgraça da abnegação que há em Remo e Paysandu têm levado essas duas instituições à banca rota.
O abnegado só chega ao clube depois de um dia de expediente em seu escritório. Que tempo tem prá raciocinar projetos para o clube?
Antônio Miléo é um advogado bem sucedido, financeiramente, e é remista apaixonado. Foi ele quem bancou Finazi no Baenão.
Não gosta de aparecer, mas sempre mete a mão no bolso prá ajudar ou emprestar dinheiro ao CR, como aconteceu recentemente que emprestou R$ 40 mil para que o clube pudesse saldar alguns compromissos com jogadores.
Foi um pacote de R$ 75 mil que fez Finazi passar três meses no Baenão e não jogou 90min. No momento da assinatura de contrato o jogador recebeu de Antônio Miléo R$ 25 mil e o restante parcelado de duas vezes.
O acerto era que o abnegado pagaria uma parte e o Remo outra. O clube cumpriu com seu compromisso, pagando R$ 35 mil, mas faltou a outra quitação.
Finazi bateu à porta da Justiça do trabalho e quem vai pagar é o clube.

E SÓ...
A CLARO, empresa de telefonia celular, ano passado disponibilizou R$ 100 mil/mês para CR e PSC - R$ 50 mil prá cada.
O contrato previa lançamento no mercado paraense de 100 mil telefones com as marcas e hinos de Remo e Paysandu. Deu chabu porque a Yamada empastelou e provou que tinha contrato com os dois sobre o mesmo item.
A CLARO não questionou e cumpriu com o acordo.
Agora, a empresa manifesta interesse em renovar com os dois grandes do nosso futebol. O PSC através do seu departamento de marketing (existe isso no Paysandu?) apresentou projeto específico, contendo internet, televisão, novas mídias dentro da Curuzu, e, consequentemente, valor acima dos R$ 50 mil.
Através de Raul Aguilera Neto A CLARO diz não ter interesse em negociar acima do permitido pelo caixa da empresa. “Se o Paysandu não aceitar os R$ 50 mil, não fechamos com nenhum clube”, disse o empresário Raul Neto.
Presidente do CR, Sérgio Cabeça, terá um encontro nesta segunda-feira com os representantes da CLARO em Belém.

SHOW DE BOLA
Às 12h na Rádio Marajoara!
Imperdível!
É o que há!

sábado, 21 de janeiro de 2012

SUA SAÚDE É UM BIG BEN




BAFEJOTécnicamente, o time do Remo é limitadissimo, mas é um elenco bafejado pela sorte.Foi assim nos três jogos que ganhou pelo escore mínimo.

Vi "in loco" contra o São Raimundo, no Baenão, contra o São Raimundo e o único gol foi de cobrança de falta e o São Raimundo merecia empatar.

Contra o Independente, nesta noite de sábado,em Tucuruí, o time de Sinomar Naves não conseguiu se impor, e o velho Jean determinou o ritmo de jogo no meio-campo, mas não fez, e quem não faz, no futebol, leva.

Bem postada, a zaga remista garantiu a vitória diante de um Independente mais ativo dentro de campo, mas não soube aproveitar as oportunidades.

Fraca a atuação do Remo. O time remista não tem padrão técnico e Rodrigo Aires não disse o que veio fazer em Belém. Técnicamente, é fraco.

O Remo jogou pior, mas fez o melhor: o gol, aos 41, Marciano aproveitou rebote do goleiro Dida e fez o único gol da partida.

Dirigentes do Independente reclaramaram bastante da atuação do árbitro Andrei da Silva e Silva que - segundo eles - deixou de marcar uma penalidade contra o Remo.

(As imagens da TV Cultura não permitem-me dissecar o lance, portanto, não tenho como opinar)

"Todo mundo sabe que ele(Andrei) é remista", falou Delei no microfone do repórter Nelson Torres, da Rádio Liberal-AM.

Dia 24 o Remo enfrentrá o Cametá, e o Independente recebe o São Francisco.
É o que há!

EQUIVOCO

Vou entrar numa seara alheia, mas meus neurônios estão me cutucando.

O humorista Rafinha bastos, no mês de setembro do ano passado, na bancada do programa CQC, da TV Bandeirante, ao entrevistar a cantora Wanessa Camargo disse que “comia ela e o bebê”. A cantora, à época, estava gestante.

A piada de mau gosto teve repercussão nacional e o humorista foi condenado a pagar R$ 20 mil à cantora, ao esposo e ao filho que estava por nascer (agora, já está no mundo)

Em sua defesa, Bastos disse que “o direito ao humor constitui dignidade constitucional sob pena de incidir em censura e que a piada não deve ser levada ao pé da letra”. É verdade! Mas, Rafinha esquece que quem ainda nem sabe que está no mundo não merece tal compostura. Cá com meus botóes:foi humilhação para uma senhora casada.

Penso que Rafinha (que gosto da sacanagem dele, como adorava a Dercy Gonçalves) confundiu Liberdade de expressão com falta de respeito.

A liberdade de expressão significa caráter, ditos e gestos e o dito do humorista desrespeitou um ser nascituro que não pode se defender ou dá o troco no mesmo tom.

Agora, gostaria que a justiça brasileira fosse tão célere com os políticos corruptos, patifes engravatados deste país que assaltam os cofres públicos e que ficam a gozar da nossa cara.
É o que há!

JOGO ABERTO

O Paysandu entrou em campo, ontem contra a Tuna, na Curuzu, com formação diferente das duas que perdeu para Cametá e São Raimundo.

Vânderson deu qualidade ao meio-campo bicolor, mas o time de Nad continua pecando nas finalizações.

Bartola, Djalma e Juba perderam gols inacreditáveis. Penso que não é ansiedade: é falta de pensar o que fazer com a bola. O jogador inteligente pensa, antever o lance. É por essa e outras que Romário é rico.

Na Tuna, Charles Guerreiro desloca Lineker da lateral para o meio-campo e mesmo assim ele foi o melhor jogador tunante. Ele é bom. É um jogador futuroso e vai dá o que falar neste campeonato.

Paysandu e Tuna fizeram um grande jogo, e a Tuna no segundo tempo apresentou mais volume de jogo, mas não soube ser competente. Jogo aberto.

Miolo da zaga bicolor é fraco e à Tuna falta atacante finalizador.
Robinho fez 1 x 0 Paysandu aos 5min, chutando forte no canto direito do goleiro André Luís.

Aos 39min Tiago Costa aproveitou cobrança de escanteio e cabeceou prá fazer 2 x 0.

Aos 2min do segundo tempo Edilson Belém diminuiu prá Tuna, fazendo 2 x 1 rebote da zaga bicolor.

Amistosamente, Paysandu joga neste domingo em Paragominas, inaugurando o novo estádio municipal, mas volta a jogar pelo Parazão no dia 25, em Marabá, contra o Águia.

A Tuna, que começou bem o campeonato ganhando do Independente por 2 x 1, perdeu pela segunda vez, e vai a Santarém jogar contra o São Raimundo, 25.
É o que há!

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

SUA SAÚDE É UM BIG BEN



ACERTO
À tarde desta sexta-feira Sandro Goiano e Luís Omar Pinheiro se encontraram na sede social do Paysandu.

Depois de 35min o ex-jogador bicolor deixou a sede bicolor sem falar nada à imprensa.

Luis Omar declarou que foi sempre "cordial" os acertos com Sandro Goiano. "Ele aceitou nossa proposta de pagar os trezentos mil que o clube lhe deve, pagando R$ 20 mil de quinze vezes", revelou o presidente bicolor.

P.S.: Galera, o dia foi de corre-corre e não consegui o que queria: ficar cara a cara com Sandro Goiano. Ele foge de mim!
É o que há e boa-noite!

É VERDADE!


Vandik e Serra são candidatos da Novos Rumos à presidência e vice nas eleições de dezembro no Paysandu.

Vandik está em férias na Bahia, mas hoje o engenheiro eletricista da ELETRONORTE, Sérgio Tadeo Ferreira Serra, 40,recebeu amigos e simpatizantes da chapa em almoço no "Avenida".

"Somos candidatos, sim, sem críticas a ninguém do Paysandu", disse Serra, ladeado da classudinha e inteligente jornalista Siane Nenno, da RBA.

Domingo, 12h, no SHOW DE BOLA, da Rádio Marajoara, reportagem completa sobre a "avant Premiere" da candidatura do Vandik e do Serra, que, oficialmente, acontecerá no dia 2 de vererio, data maior do Papão.
É o que há!

7 MESES


Desde não sei quando que o Sandro Goiano se nega a ser entrevistado por mim.

Duas vezes na Curuzu o abordei ano passado, ele me pediu desculpas e se saiu de fininho.

Perdi a conta das insistências pelo telefone, ele não me atende mal, mas se sai com evasivas e entendo que ele não está querendo ficar cara a cara comigo.

Desde quarta-feira que ele está em Belém e tento, pelo telefone, marcar um encontro com àquele que foi um dos mais polêmicos jogadores que passaram pelo Paysandu nos últimos anos, desde a derrota para o Salgueiro dentro da Curuzu em 2009.

Ontem, depois de muita insistência, Sandro Goiano atende ao meu chamado pelo celular, e ao me identificar ele disse: “Zé, deixa prá depois! Não toca no assunto!”
Insisto em querer saber o por quê da sua presença em Belém, e ele em tom contrariado afirma: “Zé, tento um contato com o presidente Luís Omar e não estou conseguindo porque ele está viajando, mas deixa eu resolver este problema com o Paysandu!”

- O Paysandu te deve, Sandro? - Indago.

- Me deve sete meses de salários, Zé, mas peço que não toques no assunto, deixa eu primeiro falar com o presidente”, disse o jogador.

Fui informado que Sandro Goiano tem cheques que não foram compensados no dia aprazado por falta de reservas financeiras.

É bronca feia porque Sandro não tem essa de que é apaixonado pelos Paysandu. Ele quer tudo a que tem direito.
É o que há!

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

BABAU


Jornalisticamente, não tolero a conjunção apassivadora "se": se não fosse a trave;se não fosse o árbitro; se não fosse o campo. Penso que no futebol não vale.

Mas, se o Paysandu perder prá Tuna babau primeiro turno do Parazão. É preciso ter propósito para encarar às adversidades de derrotas consecuitvas.

Jédson da Silva Macedo(Da Silva), 31, zagueiro, paulista(foto) está na Curuzu e está havia três meses sem jogar oficialmente, mas garante que está "em condições de jogar".

Seu último clube foi o Noroeste-SP.
É o que há!

CLARO


Mesmo sendo desrespeitada na essência do contrato assinado no início do ano passado, a empresa de telefonia celular CLARO pretende renovar contratos de patrocínios com Clube do Remo e Paysandu por mais um ano.

Os acertos estão sendo entabolados pelo empresário Raul Aguilera Neto, 31(foto), que hoje conversou com os dirigentes locais da empresa e estes manifestaram interesse.

O novo contrato deverá ser concretizado com as assinaturas das partes interessadas - empresário e dirigentes de CR e PSC. Cada clube terá mensalmente R$ 50 mil.
É o que há!

SHOWS E RECEITAS


Tanto no programa que apresento na Rádio Marajoara-AM, o SHOW DE BOLA, como neste espaço, mantenho postura crítica - e vou continuar mantendo esta postura - contra a praga da abnegação nos nossos clubes.

Em Remo e Paysandu os abnegados chegam de mansinhos e aparecem na mídia como sendo a salvação dessas instituições. Não são. Profissionais liberais que aparecem ao final do expediente nos clubes, após um dia em seus escritórios: advogados, médicos e engenheiros. Tem sido assim de afogadilho.

Estes profissionais chegam aos clubes 17h, cansados de um dia de estafa em seus gabinetes. Como planejar nos clubes?

Remo e Paysandu continuam, administrativamente, obsoletos. Demodê até quando?

Um grupo de jovens publicitários, encabeçado por André Anaice, 39(foto), surge com o projeto O REMO É MEU com a finalidade de re-erguer o Clube do Remo.

Para montar a estrutura (telão) na entrada do túnel da arquibancada do estádio que dá para a “Rômulo Maiorana” Anaice e amigos pagam R$ 4 mil, por jogo, e este dinheiro é arrecadado junto às empresas que anunciam no equipamento durante o jogo.

“A ideia é comprar este equipamento e promover shows nos jogos do CR. Para o RE-PA a galera que for ao Mangueirão verá um grande show”, revelou André.

É pensamento dos idealizadores de O REMO É MEU que o clube tenha receita extra bilheterias em cada jogo e isso será possível com trabalho profissional. “Aqui não têm abnegados, têm profissionais que pensam em trazer receita para o Remo”, concluiu Anaice.
É o que há!

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

SUA SAÚDE É UM BIG BEN



EPIFANIA
Decidi ir ao Baenão cedo e vi a entrada dos ambulantes, coordenada pelo Osvaldo Campos e o Eliel.

Vi técnicos consertando roletas que apresentavam defeitos; conversei com pessoas ligadas ao Remo e vi a distribuição de roleteiros e bilheteiros comandadas pelo Mário Sérgio e seu irmão Pedro. Penso que esta relação de irmãos dentro do remo é incestuosa e lembrei quando a Iva, funcionária da tesouraria da FPF, colocava seus irmãos nas bilheterias do Mangueirão, Curuzu e Baenão. So tinha prá família. Hoje, com a presença do José Ângelo na FPF acabou a "boquinha" dela e do Guilherme Salze.

conversei com o Andrei Anaice, um dos responsáveis pelo projeto O REMO É MEU e vi o jogo da arquibancada da "Rômulo Maiorana". Havia tempo que não fazia isso.

Vi a epifania da "Fenômeno Azul"(adoração) pelo CR. Esta criação do cerebral Guilherme Tadeu ( que até o culto e educado Guilherme Guerrerio não dá crédito, deixando transparecer que a "fenômeno Azil é criação da Rádio Clube, o que não é, pois Paulo Caxiado não tem talento prá tal)me deu a convicação de que quanto mais o time sofre, mais a torcida adora. É um verdadeiro estado de êxtase!

Jogo dinâmico no primeiro tempo, mas não gostei do time do CR porque peca nas finalizações. Técnicamente, foi um jogo bom.

O único gol da partida foi de falta cobrada por Betinho que meteu "tudão" aos 7'do segundo tempo no ãngulo esquerdo do goleiro do São Raimundo, Labila, que nem se mexeu.Golaço!

No segundo tempo o São Raimundo perdeu a impetuosidade e o Remo cadenciou o jogo. Mereceu ganhar diante de 8.525 torcedores que pagaram e proporcionaram arrecadação de R$ 118.063,00.

Em Cametá o time que empresta nome da cidade ganhou do Independente por 1 x 0, gol do Rafael Pati, indicação do Costinha.
É o que há!

PATROCÍNIOS


Três empresários paraenses - Zezinho Alírio, Fernando Yamada e Zé do Formosa - reuniram domingo com os diretores de marketing da AMBEV, Silvio e Leandro, nas dependências do Grêmio Literário Português e ao final a Tuna Luso Brasileira foi à beneficiada.

Contrato de patrocínio será assinado nesta sexta-feira entre a Tuna Luso Brasileira e a maior produtora de cerveja da América Latina, AMBEV que produz BRAHAMA, ANTARCTICA, SKOL e O GUARANA ANTARCTICA.

R$ 50 mil para estampar a marca da cervejaria na camisa da Tuna e mais: 100 jogos de mesas e 18 freezers para a sede social da Elite do Norte.

Além da parceria com a AMBEV, a Tuna garantiu parceria com o grupo BIG BEM (Raul Aguilera) e laboratório AMARAL COSTA.

Antônio Louro, ex-Paysandu, foi convidado a trabalhar no futebol luso, mas não aceitou. Na foto Louro e Zezinho conversavam sobre futebol ontem no estádio “Francisco Vasquez”.

ZÉ AUGUSTO
O ex-diretor de futebol do Paysandu, Antônio Louro, disse não entender como Nad “deixa Zé Augusto no banco e libera Djalminha” na partida contra o Cametá.
Louro também discute a renovação de contrato de Zé Augusto com o Paysandu por um ano, quando no seu entendimento o clube deveria acertar a parte financeira e liberá-lo. “Não dá mais: o que o Zé fez contra o Cametá?” Indagou Antônio Louro.

ELEIÇÃO
A eleição para presidente do Paysandu já começou a esquentar pelo menos para o ex-diretor bicolor que foi convidado prá fazer parte de um grupo, mas não aceitou, prefere fazer parte de um novo movimento que está surgindo para concorrer no final deste ano.

“Estamos reunindo, e em breve pretendemos anunciar a nossa chapa. Não tem nada a ver com a Novos Rumos”, revelou Antônio Louro, garantindo que não pretende se envolver com futebol este ano.
É o que há!

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

SUA SAÚDE É UM BIG BEN



A VERDADE
O Paysandu não jogou hoje contra o São Francisco nem a metade do que jogou contra o Cametá.

No sábado, na Curuzu, não merecia perder e perdeu por 2 x 1, mas hoje, em Santarém, time bicolor foi tecnicamente sofrivel e o azulino mocorongo fez por merecer 2 x 1, gols assinalado na segunda etapa; Ricardinho 1 x 0 aos 32, Léo Oliveira aos 38, e Bartola, aos 45, descontou para o Papão.

Indiscutivelmente, Edson Bala se destacou, e a zaga bicolor voltou a falhar. Ronaldo saiu mal no segundo gol do São Francisco.

Os meninos bicolores precisam de colegas com mais experiências: de um goleiro, um zagueiro, um meio-campista e um atacante. Urgentemente!
É o que há e boa-noite!

JOGO TRUNCADO

A Tuna não conseguiu reeditar a excelente partida que fez contra o campeão paraense, o Independente, quando venceu por 1 x 0 na abertura do Parazão.

Hoje, na Vila, Tuna e Águia de Marabá fizeram um jogo corrido e com forte marcação de ambos os lados, mas se perderam nas finalizações.

A tuna teve um gol anulado por irregularidade do atacante, mas aos 40, aproveitando rebote, Valdenes disparou forte fazendo 1 x 0 para o Águia.

Na sexta-feira a Tuna vai à Curuzu enfrentar o Paysandu, e o Águia recebe o São Raimundo, domingo.
É o que há!

GRATIDÃO


Ele nasceu numa família bicolor no bairro do Trem em Macapá.

O pai, Herondino, e a mãe, Joana, bicolores apaixonados e não deixavam de escutar jogos do bicola pela Rádio Clube do Pará. À época, a emissora belenense mais ouvida em Macapá.

Da imensa prole do velho “heró” (guarda territorial), cinco filhos jogavam o fino da bola. Garotos peladeiros da praça “Nossa Senhora da Conceição”: Assis, Aldo, Haroldo Santos, Bira e Marco Antônio. Estes cinco “piquenos” foram titulares do time do Esporte Clube Macapá, campeão da Copa Amazônia, em 1973, em Rondônia, em partida memorável contra o Juventus do Acre.

Macapá era uma cidade de 100 mil habitantes e que todos se conheciam pelo sobrenome do patriarca ou matriarca da família: Espírito Santo, Waith, Nely, Ramos, Trindade (a minha mãe tacacazeira em uma das esquinas da “Conceição”), Ramos, Barbosa, enfim... E com a conquista do título de campeão da Amazônia pelo Azulino macapaense surgem três nomes nos programas esportivos das rádios Difusora e Educadora “São José” de Macapá - Haroldo Santos, Aldo e Bira, os meninos do velho “Heró”.

Eu e Luís Melo apresentávamos o programa O MOMENTO ESPORTIVO, 13h, na Rádio Educadora “São José” de Macapá, emissora de propriedade da Prelazia de Macapá, que tinha como bispo Dom Aristides Pirovano (Anos depois foi transferido para administrar o leprosário de Marituba)

Haroldo Santos (o craque), o Nacional (AM) mandou emissário em Macapá para levá-lo à desejada Zona Franca e ele se escondeu na “privada” no fundo do quintal e não quis acordo. Hoje é policial civil aposentado em Macapá.

Bira foi indicado pelo empresário libanês Stephan Whaite para o Paysandu. Tempos depois o “seu” Sthepan se instalou em Belém com a “Pará Amapá Compensados”.

Na Curuzu, Bira não se deu bem com o diretor da época, Agra Guimarães, e foi parar na Tuna, e lá foi reprovado nos testes. Ficou perambulando por Belém e foi bater às portas da “Casa do Azulejo”, do Álvaro Prata, que lhe deu comida e dinheiro prá voltar prá Macapá.

Nesta época Macapá era uma cidade carente de bons profissionais da medicina (como em outras áreas) e o hospital “São Camilo São Luís”, mantido por uma instituição italiana, contratava em Belém médicos para irem uma, duas vezes por mês em Macapá consultarem, e nesta leva ia o Dr. Roberto Macedo, dono da “Maymone”, e como desportista sabia o que se passava no mundo da bola tanto em Belém como em Macapá.

Sabendo que Bira havia voltada prá Macapá, foi até a casa da família Espírito Santo e conversou com Bira e o pai. Em Belém, Macedo conversa com Manoel Ribeiro e este com Jouber Meira, treinador do Remo, que deu aval para um período de testes no Baenão.

O resto da história a torcida paraense sabe o que aconteceu. Só não sabe que numa noite de balada (1977), em uma das boates de Belém, Bira (já famoso com à 9 do Remo) encontra-se com Álvaro Prata, o homem que matou a sua fome quando o Paysandu e a Tuna lhe dispensaram, e este quis brigar com o “Tremendão”.

Bira disse: “Álvaro, não vou brigar contigo porque tu mataste minha fome, mas o Agra Guimarães não me quis na Curuzu. Tu sabes disso!” Abraçaram-se e choraram!

Até hoje Bira não sabe o por quê do Agra não o ter aceitado na Curuzu. Perguntei ao Bira, por ocasião da homenagem que a FPF lhe fez no dia 11, no Pará Clube, como sendo o maior artilheiro da história dos 99 campeonatos paraenses, com 32 gols, em 1979, vestindo a camisa do Remo, se o coração de garoto continuava bicolor no que disse: “sangrou. Gosto do Paysandu, mas meu coração é azulino e espero um dia ser presidente do Clube do remo!”

Hoje, aos 58 anos, morando em Macapá, é acadêmico de jornalismo, apresentador de um programa de rádio e diretor comissionado do estádio “Zerão”.

Aliás, Bira em 1978 foi o artilheiro do campeoanto Paraense com 25 gols - também até hoje nenhum atacante chegou a esta marca. Portanto, são dois records: 1978(25) e 1979(32).
É o que há!

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

SUA SAÚDE É UM BIG BEN



INGRESSO BATE-VOLTA
Quando a tesouraria da FPF divulgou o borderô do jogo Remo 1 x 0 Águia, ontem, no Baenão, a imprensa esportiva presente ao estádio questionou o público pagante um pouco mais de 10 mil pessoas.

No momento se questiona que o Baenão já comportou 30 mil pessoas e agora não passa de 15 mil(quando dá).

Há um questionamento pertinente: como podem os cambistas venderem ingressos nas portas dos estádios da Curuzu e Baenão pelo mesmo preço das bilheterias? Eles vivem dessa prática. Estâo trocando dinheiro? Não!

A PM prendeu cambista nas cercanias do Baenão com as mãos cheias de ingresos, mas não eram falsos e vendiam pelo mesmo preço da bilheteria. Como?

É preciso o Ministério Público do Estado diligenciar dentro de CR e PSC. tem funcionários desses clubes envolvidos em falcatruas.

O vice-presidente de futebol do CR, Hamilton Gualberto, chiou barbaridade no amistoss contra o Nacaional(AM), mas ontem com o Baenão teitei de torcedor ele comeu abiu. Ele sabe quem é Mário Sérgio!...

Desde que o Zé Ângelo chegou à FPF, os clubes são responsáveis por confecçã, distribuição e venda de ingressos. Aí tem!

Estou bisbilhotando e revelarei em breve a jogada do ingresso "bate-volta".
É o que há e boa-noite!

MEMEME

Há um adágio popular que diz: "Amigos, amigos, negócios à parte".

No Paysandu mudam-se as terminológias, mas o siginificado é o mesmo: Beneméritos, beneméritos, apostas à parte!

Sábado, antes do jogo Paysandu e Cametá, Joperso Coutinho, Olívio Câmara e Jorge expedito, o "Bode", apostaram R$ 500.00: Joperso apostou na vitória do Cametá, e os dois - Olívio e "Bode" - no Paysandu. Deu Cametá: 2 x 1!

No final do jogo, na concentração bicolor, o empresário "Bode" pagou, mas o Olívio disse que não pagava, porque estava brincando. É mesmo?!
É o que há!

AVALIAÇÃO


O mesmo empresário que colocou Leleu na Curuzu, está tentando empregar Joaelton,Almir Ratinho, Rodrigo e Douglas Fubá(foto),19,atacante, originário do interior paulista, e que ontem de manhã já fazia parte do elenco que se exercitava ao comando do treinador Nad.

Luís, como se chama o empresário, bancou passagens dos jogadores, pagou hotel (Fórmula 1) e teve a autorização da comissão para hospedá-los na concentração desde a manhã de ontem.

"Todos os jogadores serão avaliados pelos departamentos do time bicolor, passando pelos médicos e depois o Nad dará a palavra final se eles servirão ou não", dizia o diretor de futebol Carlinho Dorneles.

Delegação bicolor embarcará no início da tarde de hoje para Santarém e a delegação bicolor será comandada pelo Sató(empresário responsável pela conservação do campo da Curuzu e dono do gramado onde o time do Papão se exercita quando precisa saí do seu estádio).

Nad não pretende modificar o time que perdeu de 2 x 1 para o Cametá.
É o que há!

domingo, 15 de janeiro de 2012

TESTES


Estão na Curuzu desde sábado os jogadores: Joaelton(atacante), 23,paulista; Rodrigo,lateral-direito,19, paulista(foto); Almir Rstinho e Douglas Fubá,atacante,19.

Os jogadores serão avaliados por todos os setores do clube.
É o que há e boa-noite!

SUA SAÚDE É UM BIG BEN



OTIMISMO
Na manhã deste domingo saí de casa com a ideia de ir ao Baenão assistir ao mesnos 15 ou 20 minutos do primeiro tempo de Remo e Águia, mas nem sempre o repórter pode cumprir a pauta pré-determinada.

Ao passar em frente a Curuzu vi o carro do Luís Omar entrando na Curuzu e dei o balão e desviei do caminho: fui à Curuzu e deparei-me com o presidente bicolor à vontade assistindo ao treino do time.

De burmada e sandália, alegre, cantando sambas-enredos do Quenzão, papeando com Carlinhos Dorneles que entendi de carnaval, e entre um cigarro e outro, algumas piadas e o desentendimento com executivo do governo estadual. O tempo passa e eu querendo uma "sonora".

"Posso sentar aqui, presidente?",indaguei. "Pode, zeca!", respondeu!

E o nosso papo girou em torno do neófito time bicolor, que garantiu que será este que jogou com o Cametá. "É claro que precisamos de um zagueirão, uma lateral e um atacante, mas estou feliz com que vi. Os meninos perderam e ficaram abatidos. Diferentes daqueles que vinham prá cá, perdiam e iam prás baladas!", declarou Omar.

Luís Omar falou do empréstimo de Tiago Potiguar, da venda de parte dos dreitos econômicos de Rafael Oliveira(R$ 500 mil parcelados)e da credibilidade que deposita na comissão que está à frente dos destinos do Paysandu.
É o que há!

SURPRESA

Dos quatro jogos da primeira rodada do Parazão-100, vi PSC 1 x 2 Cametá e já manifestei minha opinião em postagem aí embaixo - “Pensar”.

Em Santarém deu o previsível entre as duas forças locais: São Raimundo e São Francisco empataram em 1 x 1; no Baenão, Clube do Remo ganhou do Águia 1 x 0, e em Tucuruí a Tuna surpreendeu o campeão paraense, vencendo por 2 x 1 o Independente.

Jogando bem ou mal, Remo demonstrou determinação diante de um adversário que sempre foi difícil, o Águia. Sem calendário, o futuro do time azulino depende da conquista do Parazão.

No time da Tuna, Charles Guerreiro fez do velho adágio popular - atirar no que viu e acertar no que não viu - a força do seu elenco: Lineker, que é meia de formação, entrou improvisado na lateral-esquerda e deixou a todos boquiabertos com o desempenho excelente. "O time supreendeu", disse o preparador físico Fernando Silva.

Do time luso que ganhou do “Galo”, três atletas não são paraenses: zagueiro Edilson Belém, atacante Edilson e o Beá. No meio-campo, André Mensalão, e na zaga, Bruno, foram perfeitos, conforme opinião do treinador Charles Guerreiro.

A delegação lusa chegou às 10h deste domingo em Belém. Terça-feira, 15h30min enfrenta o Águia de Marabá; o Paysandu vai a Santarém e enfrentará o São Francisco. Na quarta-feira, Remo e São Raimundo, Baenão, e Cametá e Independente.
É o que há!

INDOMÁVEL, NEFANDO, IRREVERENTE, IMPOSSÍVEL, METICULOSO E INSTIGANTE


VALORIZADO
Fluminense (RJ) está interessadíssimo no concurso do atacante Jaime Juarez Alves da Silva, o Jaiminho, 18(foto c/"Magnata") que foi destaque do Remo sub 20 na Copinha.
Clube carioca mandou “emeio” para o presidente Cabeça manifestando cobiça no jogador. Presidente do Remo mandou dizer que o atleta vale R$ 1 milhão.

CUIDADO
Estão desde as primeiras horas da madrugada de sábado em Belém Fubá (meia), Robinho (lateral) e Rato (atacante).
Jogadores são bancados pelo empresário Luís (o mesmo que indicou Leleu)
Jogadores devem ser apresentados amanhã ao treinador Nad.

ARREDIA
A torcida bicolor não acredita nos meninos da Curuzu.
2.544 torcedores pagaram ingressos à tarde de ontem na Curuzu e proporcionaram arrecadação de R$ 37.865,00; despesa: R$ 37.644,84; déficit: R$ 679,84.
O torcedor bicolor precisa se acostumar com o que o clube pode oferecer. E os dirigentes não ouçam os empresários que vão bater às portas da Curuzu, trazendo suas “pomadas” (como dizia Jurandir Bonifácio)

BOM COMEÇO
A Tuna fez valer sua história e se impôs diante do campeão paraense, o Independente, ganhando de 2 x 1, à noite de ontem dentro de Tucuruí.
No clássico mocorongo deu empate: 1 x 1 entre São Raimundo e São Francisco no “Colosso do Tapajós”.

ALIÁS...
Que é pensamento do governo estadual fazer uma completa reforma no estádio de Santarém e tê-lo de volta aos seus domínios.
No momento, o “Colosso do Tapajós” é administrado pela prefeitura local, mas o próprio é do governo do estadual.

MAISENA
Conversa maldosa em um dos camarotes da Curuzu: que o governador Simão Jatene não está tolerando as lambanças de gente metida a VIP do seu governo. “O governador não está mais agüentando (o fulano) falar em nome dele”, dizia um engenheiro.
E haja “maisena” nas redes sociais. E gente VIP!

VERDADE
"Amamos quando a verdade nos esclarece, odiamos quando a verdade nos acusa!"

sábado, 14 de janeiro de 2012

PENSAR!

Na abertura do Parazão 100, os meninos do Paysandu perderam uma carrada de gols, principalmente no primeiro tempo, por falta de finalizações. Não faltou empenho, mas pensar as jogadas para que pudessem redundar em gols. Faltou competência aos meninos do Nad.

O Cametá não teve volume de jogo, mas soube cadenciar as jogadas e em duas oportunidades Rafael Pati foi o cara do jogo, fazendo os dois gols do representante cametaense aos 30 do primeiro tempo e aos 35 do segundo.

Luan, que desperdiçou mais de cinco oportunidades, fez o único gol do Papão, aos 22, também do segundo tempo. Mas antes cabeceou e a bola se chocou no travessão do arqueiro Evandro.

O neófito time bicolor teve volume de jogo, mas não teve habilidade individual para aplicar sonora goleada no razoável time do Cametá.

Mais uma vez o velho e surrado jargão futebolístico prevaleceu: quem não faz, leva. Foi o que aconteceu com o time do Nad.

Não diria que foi uma das maiores injustiças que já vi nos campos paraenses, mas o Cametá tem experiência e isso prevaleceu, enquanto que o time do Paysandu precisa urgentemente de três ou quatro jogadores que pensem em campo. Que saibam antever as jogadas. Jairinho foi o melhor jogador bicolor em campo.

Tobias, Luan, Netinho, Bartola precisam justificar que são jogadores do Paysandu. E à diretoria não deve jogar a toalha e buscar seus objetivos. O caminho é este! Senhores Olívio, Felipe e João não desanimem!

Sem querer chorar leite derramado, mas o Paysandu perdeu mais de dez oportunidades cristalinas por ansiedade dos jogadores.

A torcida bicolor, por não acreditar no time, foi à decepção.

ARBITRAGEM
Joelson Silva dos Santos se houve bem. Seus auxiliares - Lúcio Ipojucan e Hélcio Araújo - bem, também.
É o que há!

100 E OS MENINOS DA CURUZU


Parafraseando o ex-presidente Lula, nunca antes na história do futebol paraense um time profissional utiliza 99% dos jogadores da terra. Pelo menos nos últimos trinta anos.

“Eles estão tendo a grande oportunidade da vida profissional deles, podem não ser craques, mas terão que mostrar comprometimento com o Paysandu. Prá ser mais preciso: eles terão que comer grama no jogo de hoje contra o Cametá”, disse Olívio Câmara um dos diretores do Paysandu. E é verdade!

Do time do Paysandu que entra em campo hoje contra o Cametá na abertura do centésimo Parazão, Robinho é o único que não nasceu no Pará: é mineiro, mas já vivendo aqui havia tempo.

Os de fora - Leleu, Paulo Rafael, Juliano e Rodrigo Cardoso - não estão regularizados junto a Federação Paraense de Futebol (o tal de BID) e Leandrinho, que arrebentou nos treinos, terá que cumprir suspensão porque foi expulso de campo quando defendia o Parauapebas contra o Castanhal pelo seletivo.

Jairinho, 23, lateral-esquerdo (foto), é natural de Parauapebas e foi trazido para a Curuzu pelo Costinha, que o viu jogando no campeonato daquela cidade, é a novidade, posto que o atleta está na Curuzu havia um mês. “Estou aqui na Curuzu por causa do “seu” Costinha que tem sido um paizão prá mim e espero não decepcionar nem ele e a sua esposa que têm me dado apoio”, disse o lateral-esquerdo que não tem vício da bebida e do cigarro. “É menino bom”, diz Costinha, entusiasmado com a estreia do seu pupilo.

Nos treinos, Jairinho demonstrou aplicação tática e excelente qualidade técnica. “Ele sabe jogar e conquistou a posição pelas qualidades que ele tem”, falou Nad, que mandará a campo: Ronaldo; Yago (que é o Picaxu), Tobias, Pablo e Jairinho; Billi, Neto, Robinho e Nenen Apeú; Élington e Luan.

No jogo desta tarde na Curuzu, o torcedor terá que entender que é uma nova forma de administrar o clube com os recursos que dispõem - humano e financeiro. É acreditar!

CAMETÁ
Com uma onzena encorpada e treinada pelo ex-atacante bicolor Cacaio, o time do Cametá está hospedado no hotel Paraíso desde as primeiras horas de ontem e chegou escalada para pegar o Papão logo mais na Curuzu: Evandro; Américo, Tonhão, Álison e Souza; Ricardo Capanema, Paulo de Tarso, Soares e Ratinho; Jailson e Pati.

ARBITRAGEM
Joelson Silva dos Santos será o árbitro central. Auxiliares: Lúcio Ipojucan R. da Silva e Hélcio Araújo Neves.

O campeonato terá sequência com os seguintes jogos: 19h, no Colosso do Tapajós São Raimundo e São Francisco; em Tucuruí jogarão Independente e Tuna. Amanhã, complementando a primeira rodada, no Baenão, 9h45min CR x Águia.
É o que há!

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

SUA SAÚDE É UM BIG BEN



CADEIRAS
As cadeiras dos camarotes da Curuzu estão danificadas.
Olívio Câmara ontem, de tarde, tentava solucionar o problema junto a um representante comercial.

CONVERSA DE PÉ DE OUVIDO
Advogado Alex Lima, umn dos membros da comissão que comanda o futebol bicolor, terá uma "cochicho" com o Romário, torcedor que entra em campo com o time do Paysandu, carregando imagem de Nossa Senhora de Nazaré.
A comissão é contra.

DE OLHO
Fluminense(RJ) mandou "emeio" ao presidente do CR, Sérgio Cabeça, pedindo por empréstimo o atacante Jaiminho, 18, que foi destque do sub 20 do Remo na Copinha paulista.
"Só sai daqui se o Fluminense pagar R$ 1 milhão pelos direitos econômicos do jogador", disse Cabeça.
É o que há e boa-noite!

TAPA


Contrariando determinações do vice-presidente de futeblol do Clube do Remo, advogado e jornalista Hamilton Gualberto, o diretor de futebol(um deles), Francisco Rosas, que é desses que paga a vaidade para aparecer, entrou feliz da vida no gramado do Baenão, foi ao centro, circulou ao lado do jogador Magnun, que foi apresentado hoje de manhã ao treinador Sinomar.

As insinuações eram variadas de alguns funcionários do Baenão: "Rosas,o Hamilton vai querer a morte quando ve essa tua foto ao lado do Magnun no gramado do Baenã", diziam

Hamilton quando chegou no Baenão proíbiu os diretores de sentarem no banco da comissão técnica e entrarem no gramado a quando dos treinos do time. Hoje de manhã, como Hamilton não se fazia presente, Rosas pagou a vaidade.

Magnun, que completará 30 anos no dia 24 de março próximo, assinou contrato com o Remo depois de acrtos financeiros com o Francisco Rosas, que está bancando o jogador para o CR. "O Rosinha deu um tapa com luvas de pelica na cara de quem não quer lhe ver no Baenão", disse um diretor!
É o que há!

TUDINHO


A LATERE
Por ocasião da festa de apresentação do Parazão/2012, na boate do Pará Clube, na noite de quarta-feira, 11, o vice-presidente da Federação Paraense de Futebol, José Ângelo Miranda, não foi convidado para fazer parte da principal mesa do cerimonial.
Além de ficar de lado, não teve seu nome citado em nenhum momento pelo mestre de cerimônia, Ney Messias.
Enquanto isso, Nunes era só satisfação porque a interiorização do campeonato é uma realidade. Aliás, graças ao governo do Estado que banca tudo. Até quando?

SEM QUÊ
Kleber Ribas de Almeida por muito tempo foi árbitro de futebol vinculado à FPF.
Quando José Guilhermino de Abreu assumiu a coordenação do Departamento de Árbitros da FPF, por indicação do vice-presidente da entidade, José Ângelo Miranda, alguns apitadores não foram mais escalados para os jogos do campeonato paraense sem mais explicações.
No dia 10 passado, o ex-árbitro Kleber Ribas mandou ofício ao Nunes, presidente da FPF, pedindo sua desvinculação do departamento e ao mesmo tempo pede que a “Comissão de Árbitros desta entidade expeça e forneça ao peticionante CERTIDÃO resumida de todo o período da prestação de serviços para esta conceituada entidade...”
Antônio Nunes de Lima leu e disse “não” às pretensões de Kleber Ribas, que está com advogado engatilhado para bater à porta da Casa do índio.

CÃO E GATO
O diretor das divisões de base do Paysandu, Mancha, não tolera o diretor do departamento de futebol profissional do clube, Carlos Dorneles. “Ele quando era diretor do Remo me acusava de aliciador dos jogadores da base do clube e eu nunca fiz isso. Os pais de alguns jogadores do Remo me procuravam querendo colocar seus filhos no Paysandu e agora ele esqueceu.” Disse Mancha ao amigo Paulinho Oliveira.
Há quem diga que Carlos Dorneles entra -é claro - em todos os departamentos da concentração bicolor, mas ainda não cruzou a soleira da porta do departamento comandado pelo Mancha porque sabe que não será bem-vindo. Os dois não se falam.
Presidente do CR, Sérgio Cabeça, fez o quer no Baenão; Artur Tourinho, que o levou para a Curuzu, já manifestou interesse em tê-lo no comando das divisões de base da Tuna, de onde o tirou em 2000.
Por outro lado, há quem diga que é ciúme do Mancha, porque pretendia ser o diretor de futebol do Paysandu. “Já que o treinador é o Nad e os jogadores da base serão aproveitados no profissional, então a lógica seria Mancha, o comandante”, diz Paulinho Oliveira.
Oliveira vai mais além: “Quantos jogadores da base do Remo foram vendidos nos últimos três anos? A base do Paysandu vendeu Moises, Marabá, Jênison, Rafael Oliveira e agora lança seis no time profissional.”
Paulinho Oliveira, também, não concorda com a presença de Carlinhos Dorneles na Curuzu.

MAESTRO
Francisco Rosas foi o articulador da contratação do meia-atacante Magnum, que hoje se apresenta no Baenão.
Contrato até maio, definição de vencimento e adiantamento salarial foram definidos no escritório do diretor de futebol remista com o próprio jogador que confiou em Rosas.
Magnum surgiu nas divisões de base da Tuna, transferiu-se para o Paysandu, foi levado ao Santos pelas mãos do empresário Chico Ferreira e depois ganhou o mundo.

DIABO,MONSTRO E ASSASSINO
Já fui ameaçado de morte (tentou passar com carro por cima do meu corpo), agora sofro ameaça de porrada do monstro de caráter ogro do rádio esportivo paraense. A ameaça foi ouvida na boate do Pará Clube, numa roda onde estavam desportistas (e até um velho assassino), que ouviram e me aconselharam a tomar providências.
O velho BO, contra o monstro, faz parte do meu sórdido arquivo (e graças ao pai, desisti da ação), mas como é assassino por natureza (DNA é DNA), tomarei providencias junto às autoridades competentes.
Quanto aos que me acham chato como repórter, nada devo, nem favor. Como jornalista esportivo nunca fui desmentido, e como homem ando de nariz empinado, porque( ainda) não tirei a vida de semelhante, não ando enganando pessoas e não tenho aparência de giz.
“Eu prefiro saber quem eu sou (e me afastar) a pensar aquilo que não sou e quebrar a minha cara”, ou como disse José Alencar, o ex-vice-presidente deste país:”Eu não tenho medo de morrer, tenho medo de perder a honra” ou quando eu passar pelas pessoas e elas dizerem baixinho: “Olha, este aí perdeu o emprego por homicídio ou por ter assediado sexualmente uma colega de trabalho”. A verdade dói, principalmente quando ela nos acusa.
É o que há!