sexta-feira, 30 de setembro de 2011

SUA SAÚDE É UM BIG BEN



NO RÁDIO PARAENSE NINGUÉM CRIA NADA

Conheci o professor Cláudio Oliveira na sala dos professores do "Rego Barros", em 1996.

Nos intervalos, na sala dos professores, falávamos de futebol e percebi que o meu colega de magistério falava de futebol como fala de matemática - com didática.

Um dia indadguei ao meu interlocutor se não tinha interesse em ser comentarista esportivo na Rádio Liberal-AM. "Topo!" Respondeu.

Em 2002 o professor Cláudio Oliveira estreia na equipe de esportes do ex-empresário Chico Ferreira. Logo ficou conhecido como o "Analista de Primeira", epíteto concebido pelo Walmir Rodrigues, que era diretor de programação da emissora.

Ouvindo a Rádio Clube, ontem, ouvi este mesmo Walmir Rodrigues anunciando um tal de Gerson Nogueira como o "Analista de Primeira". Égua! Será possível que o Walmir Rodrigues esqueceu que foi ele quem deu este qualificativo ao professor universitário Cláudio Oliveira, a grata revelação do rádio esportivo paraense.

Quanta falta de percepção no rádio esportivo paraense.
Boa-noite!

PAREDÃO

Diretoria do CR esperava à tarde de hoje a presença do goleiro Adriano no Baenão, mas até às 18h30 o excelente goleiro não se apresentou aos diretores e comissão técnica remista.

Contrato de Adriano com o Independente termina hoje, 30.

"Esperamos que o Adriano esteja segunda-feira conosco", falou um dos colaboradores remista, Dr. Marco Antônio, conhecido como "Magnata"!

Para amanhã: O que bebiam os "cardeais" bicolores em uma das mesas do restaurante da concentração bicolor.
Boa-noite!

EM BELÉM POSTE MIJA NO CACHORRO

As despesas do jogo da seleção brasileira contra à agentina quarta-feira à noite, no Mangueirão, nignuém sabe, ninguém viu. Eu pelo menos até hoje não consegui informação.

35.642 pessoas pagaram ingressos, proporcionando arrecadação de R$ 2.579.160,00. 8.496 pessoas entraram sem pagar.

Exigir de quem, se os caras da KLEFFER já se mandaram com os bolsos cheios de dinheiro?

Ainda ficaram chateados com a legislação paraense(que é a única no Brasil) quwe obrigou a darem ingressos para idosos e cadeirantes.

Aliás, com relação a essa lei, Belém prova para o mundo que nesta terra poste mija no cachorro.

E digo o por quê: Só em Belém que uma lei estadual se sobrepõe à uma federal.

PATINHO FEIO VAI BATER PONTO NA JUSTIÇA
Vice-presidente de futebol do CR, advogado e jornalista Hamilton Gualberto, deu entrada ontem na secretaria do juízado especial(Jurunas) de Ação de Reparação de Danos Moraes contra o colunista Carlos Ferreira, conhecido nos meios esportivos como O PATINHO FEIO.

No dia do centenário azulino(15/8), "Patinho Feio" escreveu em sua coluna que o Remo é uma instituição "falida". Os "Cardeais" remistas não gostaram e ensairam reação, mas ficou por isso mesmo.

Apenas Ronaldo Passarinho, numa roda, foi irônico: "Foram meter um paleté nele deu no que deu."

Recentemente, "Patinho Feio" voltou atacar os dirigentes do CR, colocando na boca do jogadeor Giovanni que teria chamado para os dirigentes do CR de "amadores".

O vice de futebol do Remo, Hamilton Gualberto, bateu às portas da justiça na manhã de ontem, em processo de reparação de danos e juntando a este decisão judicial em que "Patinho Feio" foi condenado a pagar R$ 126.717,00 ao ex-árbitro de futebol, Wagner Tardelli,que o processou em 2003.Portanto, não é réu primário.

Como ele não teve esse dinheiro, sobrou para a empresa onde trabalha.
É o que há!

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

DESPEITADO

Esta no blogue do Juca Kfoury: "...O mais feio do jogo em Belém foi o areião do Mangueirão, porque aquilo não é gramado nem aqui e nem no desetor do Saara. Uma vergonha digna da CBF que nem sequer olha para esses "detalhes", preocupada apenas em seus acertos políticos".

O que me causa espécie é que o jornalista Juca Kfouri(passei a duvidar se ele é realmente jornalista ou mais um desses embusteiros travestidos de jornalistas) não estava no Mangueirão. Portanto, viu pela TV. Com certeza!

A prova dos nove da verdade jornalística é a demonstração dos fatos.Juca nunca pisou o gramado do Mangueirão e se a TV mostrou algumas falhas no quadrilátero é porque estamos vivendo, na região, época estival e a grama resseca. O indigitado embusteiro não conhece a região, e agora sei que escreve ou fala sobre futebol vendo TV, ou ele tem o poder da ubiquidade?

É por isso que o Ricardo teixeira já o acertou judicialmente.
É o que há!

ÊXTASE!


“O tempo é tão cruel que acaba com o mais belo dos sentimentos, o amor”. Penso ser verdadeiro o axioma que está no extraordinário romance ficcional de Marcel Proust “No Caminho de Swann”, monumento literário que li e tenho em minha humilde estante.

Ontem, à noite, no Mangueirão, de onde apresentei uma hora de O PROGRAMA DO TUDÃO, vivi gloriosamente mais um belo momento que o futebol tem me oferecido ao longo dos 39 anos que tenho caminhado por essa praia.

A gente vai ficando velho (vou fazer 61 dia 7), vai ficando mais seletivo, macambúzio e sensível às coisas belas e às não belas da vida. Por exemplo: paro prá observar a estética, o gesto de uma pessoa com transtornos mentais.

Num(a) doido(a) caminhando pela rua vejo humildade, bondade; no seu gesto vejo uma criança; a pessoa com esse tipo de doença não tem maldade, não tem usura, não se preocupa com que vai comer ou que Remo e Paysandu estão comendo rato e tomando água de esgoto. E vou mais além: paro prá ver um doido nu e presepeiro, o que faz careta. Vejo inocência, pureza nestes irmãos, que infelizmente o poder público os trata como um traste.

Adolescentes na rua, pedindo e cheirando cola e uma pessoa doida mexem com a minha alma e seu eu tivesse dinheiro criaria uma fundação para tirá-los da rua. Eu sou um eterno sonhador. “Sonha meu filho, sonha, que sonhar não faz mal!” Dizia a Tia Maria lá em Macapá quando eu dizia que queria ser jornalista. Na mais tenra idade me via padre.

O coral de 43 mil pessoas à noite de ontem no Mangueirão, entoando o Hino Nacional Brasileiro, antes do jogo Brasil e Argentina, me deixou em estado de êxtase e é pra ser exigido (com provas) pelo governo do Estado o registro no “Guinness Book” (Guinness World Records). Contemplei aquele mar de gente e fiquei com a voz embargada. E pensando: Tu não mereces o futebol que o Pará tem.

O governo do Estado foi aplicadíssimo na organização do evento. E Neymar e companhia desencantaram e salvaram a pele do Mano Menezes.
É o que há!

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

RICARDO TEIXEIRA É UM CARTOLA ACUADO


43.038 pessoas proporcionaram uma linda festa nesta noite no Mangueirão e viram a selelção canarinho levantar a taça "Super Clássico das Américas" ao vencer a seleção Argentina por 2 x 0.

Depois de um primeiro tempo chinfrim, no segundo, seleção de Mano Menezes jogou pelos lados, tocando a bola e aos 9 Lucas fez 1x0, e aos 30, Neymar fez 2x0.

35.642 pessoas pagaram ingressos, proporcionando arrecadação de R$ 2.579,160.

Vivi um dos belos momentos do futebol brasileiro no Mangueirão e percebi que o Ricardo teixeira é um cartola acuado.

Diferentemente das autoridades estaduais e dirigentes esportivos, o presidente da CBF chegou ao estádio no ônibus da seleção, ficando no vestiário da seleção e faltando poucos minutos para começar o jogo saiu pelo corredor(cercado de seguranças), entrou no elevador que parou no primeiro piso, saindo para as tribunas de honras, evitando a imprensa.

De parabéns o governo do Estado pela organização impecável. Sinceramente, senti orgulho de ser paraense de coração. O povo paraense mostrou ao Brasil a injustiça que o senhor Ricardo Teixeira cometeu com o Pará.

43 mil pessoas entoaram o Hino Nacional Brasileiro. Foi de arrepiar. Eu me emocionei. Eu vivi um grande momento da minha carreira de jornalista esportivo.

A Copa América de 2015 será em Belém.
É o que há!

GOVERNADOR ACREDITA...


No Restô do Parque Residência,à noite de ontem, o governo Estado ofereceu jantar à imprensa brasileira e estrangeira que cobrirá o clássico Brasil x Argentina de hoje no Mangueirão, 21h50. Ambiente aristocrático e radiante.

Govenaador Simão Jatene se fazia acompanhar, em uma mesa, do presidente da CONMEBOL, o paraguaio Nicolás Leoz,e outros assessores, quando, antes do comes e bebe e do agradecimento à imprensa, falou da pujança da nossa torcida que "pode existir igual, mas mais alegre que a nossa não há". "Tudo isso que está acontecendo em Belém é fruto do esforço coletivo da nossa gente. O Pará tem toda condição de receber grandes eventos esportivos e estamos preparados", disse o governador Simão Jatene.

Depois do caranguejo social(prato de entrada), os confrades se empaturraram no arroz paraense com filhote grelhado e filé ao molho madeira e para adoçar a boca pavê de cupuaçu ou de chocolate. Eu, Joperso, Walber Pantoja e Chiquinho Chuta Porta estávamos numa mesa em que se encontravam confrades argentinos.

"Os Hermanos" lambiam os beiços e elogiavam o sabor da nossa comida. Que é originalíssima.

Vi que o governador se preparava prá deixar o ambiente; aí entrei em ação: partir prá mesa de sua excelência e puxei o meu gravador.

Faliou da sua satisfação e da expectativa de Belém ser sede da Copa América, mas o que mais me interessava era saber se ele estava disposto a ajudar o Paysandu e o próprio governador me deu a deixa, quando revelou que "inobstante ser remista está torcendo para que o Paysandu chegue a segunda divisão". Era o que eu queria.

- Governador, o Paysandu está encontrando dificuldades prá viajar, o governo está disposto a ajudar o Paysandu? - Indaguei.
- Deixa eu dizer: estou disposto a discutir. O Paysandu é o Pará. Eu não faço favor,eu sou um servidor público e tudo que tiver ao meu alcance estarei disposto a colaborar com o Paysandu - respondeu Simão Jatene.
- Governador, se o Luís Omar lhe procurar o senhor o recebe? - Insisti.
- Estou pronto a conversar com o presidente do Paysandu. O paysandu é o Pará!

Taí Luís Omar, a largada foi dada. Não custa à noite de hoje no Mangueirão cochichar com o governador Simão Jatene!
É o que há!

terça-feira, 27 de setembro de 2011

SUA SAÚDE É UM BIG BEN



Governo do Estado do Pará ofereceu jantar á imprensa esportiva paraense, brsileira e internacional no Restô do Parque da Residência à noite desta terça-feira.

Fui convidado e estive lá e não perdi a oportunidade de perguntar ao governador se ele não vai ajudar o Paysandu.

Neste blogue, amanhã!
Boa-noite!

DESTA VEZ SAI O JUÍZADO NOS CAMPOS DE FUTEBOL


Não vai ficar assim, não. O Ministério Público do Estado do Pará vai agir contra os vagabundos que promoveram o pandemônio nos arredores da Curuzu, domingo, 25.

Os confrontos entre as torcidas começaram nas confluências da Rômulo Maiorana e Antônio Baena, onde membros da Remoçada se concentravam para (travestidos de torcedores do América) irem ao estádio do Paysandu, onde promoveriam baderna a fim de prejudicar o bicolor paraense.

Torcedores da Terror Bicolor souberam da armação e partiram para o confronto que resultou em batalha campal em plena Almirante Barroso e que foram contidos pela Polícia Militar.

Os presos foram levados para a Delegacia de São Brás e a delegada de plantão se recusou a indiciá-los, mas depois de muita conversa houve por bem cumprir com que determina a lei.

O Promotor Público Nilton Gurjão (Meio-ambiente), Domingos Sávio (Direitos Constitucionais) e Marco Aurélio (Consumidor) reuniram na manhã de ontem e decidiram convocar Luís Omar, presidente do PSC; o Comandante do Policiamento da Capital, coronel Hilton; a delegada de plantão domingo na DP de São Brás e membros da justiça estadual para decidirem o que fazer com essas torcidas que vivem nas redondezas dos estádios de CR e Paysandu.

“Precisamos instalar logo o juizado do torcedor nos campos de futebol”, revelou o Promotor de Meio-ambiente, Nilton Gurjão (foto).

No PROGRAMA DO TUDÃO, na rádio Marajoara, presidente bicolor, Luís Omar, lamentou os acontecimentos que resultaram em prejuízo financeiro superior a R$ 100 mil ao clube, pois muitos torcedores deixaram de ir a campo, preferindo ficar em casa depois que ouviram pelas rádios o tumulto que estava ocorrendo na Almirante Barroso, esquina da Curuzu.

“Fui convidado e estarei no MP na terça-feira, pedindo providências para identificar e punir esses mal-feitrores do futebol paraense”, sentenciou Omar.

O PSC se precaveu, registrando BO na delegacia de São Brás, mas o árbitro capixaba Pablo dos Santos Alves, 35, comerciante e fomado em educação física, não registrou nada em seu relatório do que ele viu no estádio da Curuzu. Ainda bem!...
É o que há!

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

XÍCARAS COM RAÍZES MARAJOARA SÓ NA BIG BEN



O Ministério Público do Estado do Pará vai agir contra os vagabundos que promoveram o pandemônio de domingo nas rededondezas da Curuzu.

Reunião está marcada para terça-feira, 4/10,14h com órgãos de segurança e membros do judiciário.
Amanhã neste blogue
Boa-noite!

PAPO DESCONTRAÍDO NO CAFÉ DA MANHÃ


Edson Gaúcho,depois que deixou o PSC, em 2009, foi contratado pela Rádio Eldorado de Criciúma(interior de Santa Catarina)para ser o coementarista esportivo. Segundo informações de confrades catarinenses, Edson Gaúcho fala fácil e sabe fazer leitura de futebol.

Voltou a Belém para treinar o Paysandu e não é mais àquele homem sizudo e carrancudo. Edson Gaúcho é um outro ser humano: afável, prosador e falante. Legal!

Hoje, de manhã, fui ao hotel Regente saber da minha credencial para o jogo de quarta-feira, no Mangueirão, e encontrei, em uma das mesas do restaurante "Tropical",o diretor de futebol do PSC, Louro; Edson Gaúcho e o presidente da Associação dos Cronistas Esportivos de Santa Catarina, jornalista J.B.Teles(foto)que é, também, chefe do credenciamento da CBF.

"Zé,os meninos não me pegam mais. A Rádio Eldorado foi um aprendizado prá mim. O Teles é meu amigo", disse Gaúcho ao cumprimentado por mim.

Saí do hotel pensando: seria bom que todos os jornalistas esportivos brasileiros fizessem estágios em clubes de futebol para depois exercer a profissão e dirigentes e técnicos de futebol fizessm o mesmo numa redação.

Com certeza ambos aprenderiam muito. Em Belém tem comentarista de futebol que nunca chutou uma bola e não se preocupa em assistir treino técnico-tático.E fala com ar professoral.
É o que há!

IRRESPONSABILIDADE

Ele é bom goleiro, mas é irresponsável. Sua reputação não é das boas no futebol paraense. Estou falando do goleiro Dida, ex-Independente, ficou de fora da partida final do campeonato por atitude inconveniente.

Sábado,23h, véspera do jogo decisivo do campeonato paraense deste ano, chega na porta do Hotel Paraíso, onde se encontra a delegação do Independente, um carrão, o mototista pede prá chamar o Dida.

A recepcinista, pelo interfone, chama o goleiro.Este desce, entra no carro e fica por mais de 1h conversando com uma mulher no interior do veículo.

O técnico Sinomar presencia o fato e o tira do time. Independente empata com o PSC em 3 a 3 e, nos pênaltis, é o campeão paraense de 2011.

Na primeira partida lá em Tucuruí, Dida foi visto conversando com o empresário Bode, diretor de campo do Paysandu.

Dida, após o campeonato, foi contratado pelo PSC, e sábado manda recado para o Edson Gaúcho que não iria treinar porque estava com problema.

Ontem mesmo, o golerio foi desligado do elenco bicolor, por determinação do técnico Edson Gaúcho.
É o que há!

OS PRIMEIROS A CHEGAREM


Técnico da seleção brasileira, Mano Menezes, chegou às primeiras horas da madrugada desta segunda-feira em Belém do Pará.

De Val-de-cães, Mano, em carro particular, foi para o hotel Crowne Plaza.

Logo depois desembarcaram em Val-de-cães, Diego Souza(meia-atacante), Rômulo(volante) e o zaguiro Dedé.

Os demais jogadores e membros da comissão técnica chegam hoje de manhã.

domingo, 25 de setembro de 2011

BATALHA CAMPAL EM PLENA ALMIRANTE BARROSO


Depois da batalha campal entre terror bicolor e remoçada, às 14h deste domingo, a PM agiu energicamente contra os desocupados travestidos de torcedores de Paysandu e Remo.

ROTAM e TROPA DE CHOQUE da PM chegaram ao local, aqiram energicamente, atirando para o alto, bombas de efeito moral e sprei de pimenta botaram prá correr os desordeiros e outros foram presos(foto) e colocados deitados na calçada do "Evandro Chagas".

Após o jogo, a PM voltou a agir na Almirante Barroso, esquina da Chaco.

O Ministério Público do Estado do Pará tem como agir contra esses bandidos que so fizeram mudar de razão social, mas continuam em seus endereços, desafiando as autoridades desta cidade.

EDSON GAÚCHO FOI CORAJOSO
O América não é um time bobo. Pagou caro pela falta de determinação em atacar.

Entrou em campo, à tarde de hoje,na Curuzu, para marcar homem a homem, e marcou o Paysandu, que o meio-campo não teve o desempenho esperado no primeiro tempo.

Daniel, o melhor em campo, jogava por ele e pelo Sandro; Luciano Henrique lento e isso facilitou a marcação do América, que aparesentou-se com 5 jogadores no meio-campo, marcando colado. Dificultou as ações do meio-campo bicolor porque além de lento não armava as jogadas para Rafael Oliveira e Josiel.

No segundo tempo, Edson Gaúcho foi audácioso: tirou Sandro e meteu Robinho; Luciano Henrique cedeu lugar para Tiago Potiguar, e Josiel saiu para a entrada de Welington.Tornou o meio-campo bicolor veloz e tocando a bola na frente dos zagueiros Fábio, Marcio e Rodrigão.

Mas coube ao centroavante Max, aos 38' do segundo tempo, perder o lance mais cristalino de gol: de frente com Alexandre Fávoro finalizou errado.

Em seguida o Paysandu sai em velocidade com Daniel, que toca para Sidny e este mete para Rafael Oliveira, que comete falta no zagueiro Rodrigão, e chuta direto pra fazer 1 x 0 Papãos aos 43'.

Com este resultado o Papão é o lider da chave com 3 pontinho positivos. CRB e Rio Branco empataram em zero a zero na noite de sábado.
É o que há!

INDOMÁVEL, NEFANDO, IRREVERENTE, IMPOSSÍVEL, METICULOSO E INSTIGANTE


DESENTENDIMENTO
“Meu irmão, diretor tem que pagar ingresso. O Paysandu precisa da ajuda de todos”. Quem assim se expressou foi o diretor de campo, o empresário Bode, que vive o dia a dia na Curuzu.
O vice-presidente do clube, Toninho Assef, ouviu a “indireta”, não gostou e foi prá cima: “O Luís Omar não está e o presidente sou eu. Os ingressos que estou recebendo são para amigos que têm ajudado o clube, mas se o problema é dinheiro, então toma essa porra”.
Assef jogou os ingressos sobre a mesa de uma das salas da Curuzu e saiu tiririca.
Enquanto Toninho Assef devolvia a sua cota, um dos “cavaleiros do apocalipse” (Izomar Souza) deixava a Curuzu com seus bilhetes.

DESENTENDIMENTO II
O Louro, que é o manda-chuva da Curuzu, queria que a segurança do Pará - folia tomasse conta dos acessos da Curuzu no jogo de hoje do Paysandu contra o América.
O coronel Cláudio, que é o diretor de segurança do Papão, não gostou e numa das salas da Curuzu os dois discutiram - dizque - asperamente sobre o esquema adotado em dias de jogos.
Louro quer mudança e o imbróglio será solucionado pelo presidente Luís Omar.
No arranca rabo entre Louro e o “cavaleiro do apocalipse” Izomar Souza, Luís Omar ouviu Antônio Louro.

PEQUENEZA
Está pronta a Ação de Reparação de Danos Moraes que o vice-presidente de futebol do CR, Hamilton Gualberto, dará entrada nesta segunda-feira no Tribunal de Justiça do Estado do Pará contra o colunista de O LIBERA, Carlos Ferreira, conhecido “Patinho Feio”.
O diretor do Remo convidou Giovanni para participar do clássico entre Remo e Tuna de forma “amadora”, revelou Ferreira em sua coluna.
“No dia em que o CR completou 100 anos (15 de agosto) o colunista escreveu que o Remo é um time falido, agora me acusa de amadorista e por isso mandei emeio a ele pedindo direito de resposta e ele não concedeu, então vou à justiça buscar meu direito”, revelou o advogado Hamilton Gualberto.
“Cardeais” Azulinos e bicolores têm broncas do “Patinho Feio” por criticá-los de forma desrespeitosa: no início deste ano ele acusou o CONDEL do Paysandu de “Conselho Decorativo”.
O ex-presidente bicolor, Rui Sales, foi cerebral: “O teu patrão, Ronaldo Maiorana, é um dos decorativos”. Ele silenciou e não escreveu uma linha sobre as respostas dos conselheiros bicolores.

LINGUAGEM
Ano passado, em sua casa, no centro de Natal, o médico do América e seleção sub-20 da CBF, Matorlinque, foi surpreendido por 4 assaltantes quando entrava na garagem da residência.
O médico e sua esposa (que também é médica) ficaram por mais de 2 h sob a mira de revolver.
Matorlinque levou duas coronhadas na cabeça e entregou 7 mil reais e a esposa indicou o local onde guardava jóias.
O falar dos bandidos (que estavam de caras lisas) fez o médico identificá-los como sendo de Belém do Pará: “Égua, fdp onde está o dinheiro!”
Os bandidos fizeram faxina na casa do médico e foram embora. Ele foi à polícia e revelou detalhes dos assaltantes, inclusive do sotaque.
A polícia de Natal entra em contato com à de Belém, dando detalhes dos bandidos. Eder Mauro entra em ação e descobre tudo: os assaltantes que entraram na casa do médico do América de Natal são os mesmos que fizeram uma das maiores “faxinas” numa madrugada no hotel Vila Rica, em Val-de-Cães.
Diego Calado, 23, residente no Tapanã (distrito de Icoaraci) era o líder do bando e está preso em Americano.

INCRÍVEL!...
Quinta-feira, 20h, no PROGRAMA DO TUDÃO, na Rádio Marajoara-AM-1130, o cardiologista Henrique Custódio anunciava com pompa a instalação do novo DM do departamento amador do Clube do Remo. Alvíssaras!
Passadas 48h, o sub-20 do Remo entrou em campo para jogo contra o Independente, no Baenão, e não havia médico para atender jogadores que precisavam de atendimento.

MESTRE CUCA
A senhora Lourdes não é mais a cozinheira da Curuzu.
Edson Gaúcho não gostou dos quitutes da “Lurdinha” e indicou o profissional que já trabalhou na Curuzu na primeira estada do técnico na Curuzu em 2009.

SHOW DE BOLA
Às 12h estarei na Marajoara comandando programa com reportagens e muita premiação!
Participe, dando sua opinião!
É o que há!

sábado, 24 de setembro de 2011

COLEÇÃO BIG BEN RAÍZES MARAJOARA



- Hamilton Gualberto entra na justiça com ação de danos morais contra "Patinho Feio"!
- Toninho Assef e Bode se desentenderam na Curuzu por causa de ingressos!
- Edscon Gaúcha contrata Mestre Cuca para a Curuzu e isola cozinheira!
- Louro e cel. Cláudio discutiram sobre esquema de segurança!
- Bandidos que assaltaram médico do América de Natal estão presos!
- Não tinha médico no jogo do sub-20 do Clube do Remo!
- Amanhã no PULO DO GATO!
- Boa-noite!

REGRA UNIVERSAL DE ÉTICA OS RADIALISTAS DESCONHECEM

Alguns radialistas estão criticando a diretoria do Paysandu pela majoração dos ingressos para o jogo de amanhã, na Curuzu, contra o América de Natal. Eu não tolero esse tipo de comentários. Francamente, só em Belém que profissionais do rádio se arvoram a discutir em programas radiofônicos quanto valem jogos de Remo e Paysandu.

O presidente do Paysandu, Luís Omar, não tem mais prá onde correr em busca de dinheiro prá pagar salários dos jogadores, comissão técnica e funcionários do clube. O jeito foi majorar os ingressos: arquibancada, R$ 25.00; cadeira lateral, R$ 60.00, e cadeira central, R$ 80.00. Quem ama o clube não medirá esforços prá ver, incentivar o time bicolor diante do “Diabo Rubro”.

É hora de o torcedor fazer sua parte, mesmo sabendo que a Cultura vai transmitir o jogo prá capital. É verdade que CR e PSC assinaram contrato com a FUTELPA sem ler, e a emissora estatal está cumprindo com o acordado em 2009, assinado por Amaro Klautau (Remo) e Paulo Moraes (PSC), todavia, quando Luís Omar, antes do início da série C, pediu mais uma ajuda ao governo do Estado e lhe foi negado, o governador Simão Jatene deveria determinar que a FUNTELPA não transmitisse o jogo prá capital. Seria uma forma de ajudar o Papão.

Assim como sou contra radialistas e jornalistas passarem horas e horas discutindo valores de ingressos de Remo e Paysandu, sou visceralmente contrario a aplicação de dinheiro público em futebol. Há outras prioridades...

O engraçado é que quem assim age na imprensa esportiva da terra vive de patrocínios e só existem essas contrapartidas porque há Remo e Paysandu. Eles esquecem a principal regra de ética: “Aquilo que eu não desejo prá mim, não devo desejar ao meu próximo”. Quanto vale um patrocínio desses arautos da moralidade que - alguns - estão ricos? Infelizmente, o que vale prá essa turma é antirregra do "farinha pouca, meu pirão primeiro".

Ficam a discutir valores de ingressos de futebol e não discutem quanto vale uma entrada no “bs” (baile da saudade).Festas que se realizam na periferia de Belém a cada final de semana. O individual custa R$ 15.00 e o balde com 4 latinhas R$ 15 e o valho paga e nem se lembra que há Estatuto do Idoso. E se se arvorar a querer valer o EI pega pé na munda.

Por que esses camafeus não criticam o Águia de Marabá que cobra R$ 30.00 num ingresso de arquibancada? É porque dá IBOP falar de bem ou de mal de CR e PSC!
É o que há!







sexta-feira, 23 de setembro de 2011

NA BIG BEN XÍCARA DE PORCELANA

"UM OU DOIS INGRESSOS É MUITO POUCO..."

Desde a última quarta-feira que o empresário Bode(Ice Bode), que é diretor de campo, e o técnico Edson Gaúcho(penso que este não deveria estar se envolvendo neste tipo de aasunto) apelam, através das rádios, que todos os diretores do clube paguem seus ingressos domingo quando o Paysandu enfrentará o América de Natal.

A princípio comunguei da ideia e fiz apelo através do PROGRAMA DO TUDÃO, da Rádio Marajoara-AM-1130, das 20h às 22h de segunda a sexta-feira, mas ontem na Curuzu Wandik(que não é diretor), Joperso Coutinho e o repórter Agripino Furtado me chamaram atenção para um detalhe: os colaboradores do clube.

Antes de tocar neste assunto, digo que fiz levantamento sobre as cadeiras cativas centrais da Curuzu: são 600, e dessas, domingo por ocasião do jogo do Paysandu contra o Araguaína, foram vendidas 260, 140 foram doações.

Conversei com o Luís Nascimento, que é o responsável pelos acessos da Curuzu a quando de jogos, e me revelou que são muitas as gratuídades que o clube oferece.

Volto aos colaboradores: Esses bicolores anônimos(não aparecem na mídia) são os que abastecem a despensa da concentração com hortigranjeiros,o DM com medicamentos e materiais hospitalar, água mineral, etc.

Decerto que esses bicolores são endinheirados, mas, como disse Toninho Assef, vice-presidente. "É muito pouco a doação de um ou dois ingressos que o clube oferece a esses homens que sempre estão dispostos a ajudar o Paysandu".

Muitos desses colaboradores acabam comprando seus ingressos.

É o ato da gratidão.
É o que há!

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

DIRIGENTE QUER A REPOSIÇÃO DA VERDADE


Vice-presidente do CR, Hamilton Gualberto, não gostou do que escreveu o colunista Carlos Ferreira em sua coluna de hoje: "Giovanni definiu como 'muito amadora' a abordagem que recebeu de um diretor do Remo".

Hamilton informou ao blogueiro que mandou "emeio" ao colunista, solicitando que ele reponha a verdade dos fatos em 48h. "Se ele não repor no mesmo espaço a verdade da minha conversa com o Giovanni irei bater às portas da justiça contra ele e o ex-atleta", revelou Gualberto.

Hamilton telefonou para Giovanni na terça-feira e o convidou para receber plaqueta e dá o pontapé inicial no clássico Remo x Tuna, dia 7 de outubro, no Baenão.

Depois de ouvir o que os dirigentes azulinos e tunantes pretendiam fazer com a sua presença em campo, Giovanni teria indagado: "Só isso?! Não, não dá! Vou viajar neste dia."
O bicho vai pegar!

VENDO MEU TRABALHO, JAMAIS MINHA CONSCIÊNCIA

Tem gente que pensa que pratico o ofício de jornalista conforme meus bofes ou minha bílis.

Se o ser humano José Maria Trindade Pereira não gosta do caráter de fulano, tenho que, como jornalista, só ver os defeitos dessa pessoa e criticá-lo. Penso diferente.

Não gosto dos caráteres do Ronaldo Porto e da Tânia Pimbinha, e, com certeza, eles do meu (os dois movem processos contra o jornalista José Maria Trindade), mas, profissionalmente, são bons no que fazem. E eu os ouço.

Tenho “quebrado o coco” nas cabeças de alguns dirigentes paraenses: presidente da FPF, Nunes; vice-presidente, José Miranda; presidente do CR, Cabeça; presidente do PSC, Luís Omar; diretor de futebol, Louro, e outros cartolas; se mantenho a postura de crítico quando eles merecem ser criticados, necessariamente, são merecedores de encômios quando praticam atos dignos, como Antônio Louro exerceu postura de dirigente diante das necessidades prementes na Curuzu, e fez por merecer elogios deste blogueiro apostolado.

Por isso fui criticado por ter postado A AUDÁCIA DO ANJO (Antônio Louro). E não me abstenharei de quantas vezes for necessário o Louro merecer elogios de minha parte, como não me eximirei de criticá-lo se merecer. Hoje, o Louro manda e desmanda na Curuzu.

Às criticas são bem-vindas, desde que não sejam carregadas de maldades. Nunca fiz e pretendo não praticar jornalismo “marron”. Pena ou língua de aluguel. Isso não!

Nunca critiquei ou elogiei quem quer que seja pensando em me dar bem lá na frente. E desafio dirigentes esportivos, vereadores, deputados, empresários, prefeitos, governador, seja lá quem for, que diga que eu ando pegando “ponta”.

Meu velho pai morreu e não me deixou bens materiais, mas imprimiu em mim os sentimentos de gratidão, do ser justo e de só querer o que é meu. Por isso eu brigo!
É o que há!

A OPINIÃO DO BLOGONAUTA

zeca o caso do giovani ja era pedra cantada,me desculpe o hamilton mas foi ideia de gerico

que pegou corda do tomazo,o giovani ja havia manifestado inumeras vezes seu pensamento

a respeito dos clubes paraenses,e ainda foi só pra pegar um NÃO NA CARA.A mesma ideia de

gerico essa ideia de apoiar o ricardo teixeira ,o que o ricardo teixeira fez pelo futebol paraense

ou pelo remo? perdão por uma divida passada de mil anos atras? E A COPA JOÃO HAVELANGE

EM QUE O FLUMINENSE , SÃO CAETANO E O BOTAFOGO DE SP FICARAM NA SERIE A E O

REMO NÃO FICOU? E O DIREITO QUE O REMO TINHA EM DISPUTAR A SERIE D NO PRIMEIRO

ANO DESSA COMPETIÇÃO POR TER CAIDO E FICOU PARADO EM 2009? só com essas duas

situações o remo ja pagou e muito suas dividas ,só quero ver se o todo poderoso ignorar solenemente

remo e paysandu a cara do sr hamilton e do luis omar, ate entendo não se posicionar contra o ricardo

pois o remo precisa da cbf,mas dai a BAJULAR O CARA ,COMO VC DIZ ZECA, PIRA PAZ NÃO QUERO MAIS!!!


ASS:DANIEL DUTRA

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

"SÓ ISSO?!"


Seria de bom alvitre que o ex-jogador de futebol, Giovane, que começou brilhante carreira na Tuna Luso Brasileira, viesse a público e dissesse o que faz ser arredio à imprensa esportiva e aos clubes paraenses.

Mágoa porque alguns comentaristas belenenses diziam que ele era lento com a bola nos pés? Francamente, não sei. Só sei que Giovane no auge da carreira no Santos e no futebol Europeu não era badalado pela imprensa esportivo.

Talvez a sisudez do excelente jogador que foi deva-se aos parcos conhecimentos culturais e a gagueira que o torna um homem envergonhado de si mesmo. O gago é taquilárico: ao falar tenta ser mais rápido que o pensamento.

Comigo e outros confrades já aconteceu de irmos ao aeroporto de Belém esperar pelo jogador do Barcelona e ele se mostrou indiferente. Então, lhe sou incivilizado. Não critico, mas também não o elogio.

Dirigentes de Clube do Remo e Tuna Luso Brasileira acertaram clássico amistoso para o dia 7 de outubro, no Baenão, e o pensamento era fazer homenagem ao craque Giovane, que na década de 90 vestiu a camisa da Tuna para depois despontar no Santos e ganhar o mundo com seu futebol refinado.

Não foi à toa que o seu “padrinho” foi o Rei Pelé.

Ontem o vice-presidente de futebol do CR, Hamilton Gualberto, pelo celular, manifestou as pretensões de remistas e lusos em torná-lo o centro das atenções antes do jogo entre CR x TLA, na antevéspera do Círio de Nazaré.

- Giovane, antes do jogo nós entregaremos a você uma plaqueta e em seguida você dá o pontapé - disse Hamilton todo empolgado por está falando com um ex-craque.
-Só isso?! Indagou perplexo Giovane.
- É só o que podemos lhe oferecer! - respondeu Hamilton.
- Quando é mesmo o jogo? - Voltou a indagar o ex-jogador.
- Será no dia 7 de outubro. - Confirmou Hamilton.
- Não, não dá! Neste dia eu vou viajar!

O dirigente agradeceu pela atenção e intuiu a primeira pergunta de Giovane: “Só isso?!”

Ele queria algo além da homenagem. Pensou o dirigente.
É o que há!

terça-feira, 20 de setembro de 2011

SUA SAÚDE É UM BIG BEN



Geovani disse "não" para os dirigentes do CR!
Sinomar Naves conversou com o vice de futebol do CR, Hamilton Gualberto!
Amanhã no blogue!
Boa-noite!

OS IDIOTAS SÓ SERVEM PARA BAJULAR

Na maioria das vezes o patrão prefere ouvir o subserviente que vive a charelar à acatar a opinião de quem fala a verdade na cara.

Antônio Louro tem sido este amigo do Luís Omar que fala a verdade, que diz o que deve ser feito na Curuzu e o presidente faz que não houve e vai empurrando com a barriga.

Por causa dessa teimosia, o PSC perdeu o campeonato estadual para o "coronelista" Independente.Os "idiotas" não reslvem só querem aparecer; O Louro pensa, duvida e decide.

Está na pauta do diretor de futebol do Paysandu, Antônio Louro, a rescisão contratual de alguns jogadores e do Lexeva, que o Edson Gaúcho no quer na sua comissão técnica.

PANTEÃO
Justíssima homenagem para àqueles que construíram a história futebolística do Clube do Remo ao longo dos 100 anos de existência do FILHO DA GLÓRIA E DO TRIUNFO.

O vice-preidente de futebol azulino,Hamilton Gualberto, lançou a ideia,e o advogado, radialista e professor,Guilherme Tadeo,deverá encabeçar comissão de jornalistas e radialistas que fará levantamento dos atletas que ajudasram a construir a hitória do CR.

Parabéns, Hamilton!
É o que há!

O SONHO DOS GÊMEOS

Eles são gêmeos. Arrimos de família. O pai abandonou-os ainda pequenos e a mãe lavou roupa, arrumou casas prá dá sustento aos meninos.

Desde pequenos que Blendyson Kleber e Blenyson Kleiton tinham tinos prá bola e um amigo da família viu-os jogando peladas no bairro de Águas Lindas, em Ananindeua, e aos 14 anos levou-os para a Curuzu.

Passaram pelas bases: sub-15, sub-18, sub-20. Hoje, aos 22 anos, são profissionais, ganhando R$ 5 mil, mas havia três meses que não recebem vencimentos.

Blendyson Kleber é Brayan (lateral-esquerdo) e Blenyson Kleiton é Billy (volante) do Paysandu que na passagem de Sérgio Cosme pelo clube, no início da temporada, foram guindados ao time profissional pela qualidade técnica.

Os irmãos quando foram guindados ao time profissional, o presidente Luis Omar disse que se eles se destacassem, o clube daria um carro para a locomoção casa-clube-casa.
Não deu outra: os irmãos agradaram a chegaram a titularidade no time de Sérgio Cosme.
“Presidente, eu posso escolher o c arro?” Indagou Brayan ao presidente Luís Omar.

Num belo dia o supervisor Carioca e o Fred convidaram Brayan a ir com eles numa revendedora prá ver o carro do seu sonho.

O escolhido foi um semi-novo selta avaliado em R$ 32 mil.

Sérgio Cosme foi embora; os irmãos Brayan e Billy perderam a titularidade no time de Roberto Fernandes e estão jogando no Time Negra. O ex-treinador quis saber quanto o presidente tinha para investir em contratações e não se interessou por Brayan, Billy, Ciro e outros meninos que estão clamando por uma chance.

Ontem este blogueiro conversou com Brayan, que revelou não perder a esperança de ter um carrinho. “Jogador que chegou ontem na Curuzu já anda de carrão dado pelo clube e eu e o meu irmão continuamos indo e vindo prá Curuzu de ‘gol’(grande ônibus lotado).

As más línguas na Curuzu dizem que os irmãos foram rebaixados porque não há interesse do clube em dá o carro prometido. E por que prometeu?

O diretor Antônio Louro confirmou ontem que Brayan e Billy estão nos planos do Edson Gaúcho e voltarão a treinar entre os profissionais.
É o que há!

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

SUA SAÚDE É UM BIG BEN



SONHOS DE CONSUMOS, amanhã neste blogue.
Boa-noite!

A AUDÁCIA DO ANJO


Nos últimos dias Antônio Louro tem resolvido alguns problemas financeiros que surgem na Curuzu.

Mandou o “seu” Brás retirar o ônibus que estava atravessado no portão do estádio, tarde da noite, que no dia seguinte pagaria os R$ 2,6 mil que o clube devia. Meteu a mão no bolso e pagou.

Louro resolveu os problemas de Alexandre Fávaro, Josiel e outros jogadores e foi ao Acre comandando a delegação bicolor.

Já critiquei o diretor de futebol do Paysandu por não saber se pronunciar, mas reconheço que ultimamente Antônio Louro tem sido o anjo da guarda do presidente Luís Omar.

Em Rio Branco, na hora do almoço, Louro conversou com o Roberto Fernandes e indagou se o treinador entraria com Welington. “Ele entra jogando”, disse Fernandes.

Quando o Paysandu entrou em campo, Louro não viu Welington no time. Não gostou de ser enganado. Paysandu perdeu de 2 x 1, com Welington, que entrou no segundo tempo, dando o passe para Rafael Oliveira fazer o único gol bicolor.

Em Belém, na segunda-feira, Louro disse ao Luís Omar que Roberto Fernandes não tinha condições de treinar o Paysandu. “Então, manda embora e contrata outro”, disse o presidente.

Imediatamente, na segunda-feira, contrata o amigo Edson Gaúcho e manda ordem de passagem. Roberto Fernandes retorna na terça a Belém, e, pelo telefone, Louro telefona para o treinador e marca encontro na casa deste em Batista Campos. Tudo certo.

Roberto Fernandes telefona pra Louro, querendo marcar o encontro no “ap” do presidente,na Doca. “Não Roberto vamos nos encontrar no teu “ap”, em Batista Campos. “ “Tá certo”, respondeu Fernandes.

No apartamento do treinador, Louro comunica que ele não é mais o técnico do Papão. Há revolta. "Não dá Roberto. Você me disse que entratia com Welington e não entrou", retrucou Louro.

Como entre Roberto Fernandes e o Paysandu não havia contrato, Antônio Louro meteu a mão no bolso e pagou a ele e a sua comissão os dias trabalhados na Curuzu.

O poder de resiliência do Paysandu passou pela ousadia, audácia do “anjo da guarda” do presidente Luís Omar, que desta vez parou prá ouvir o amigo.
É o que há!

domingo, 18 de setembro de 2011

SUA SAÚDE É UM BIG BEN



Amanhã, neste blogue, quem teve a ousadia de mandar Roberto Fernandes embora e a contratação de Edson Gaúcho.
Boa-noite!

"GANHA AÍ QUE EU GANHO CÁ"

A expressão que dá título a este texto é do presidente do Luverdense, o endinheirado empresário Helmuth Augusto Laviscch, que este blogue revelou em texto a semana passada, informação passada pelo advogado Bruno Castro.

E a previsão se concretizou: Luverdense ganhou de 1 x 0 do Águia de Marabá e se classificou pelo saldo de gols(5) contra 3 do time marabaense e o Paysandu goleou o Araguaína por 5 x 0, na Curuzu.

Jogando de forma simples, o Paysandu de Edson Gaúcho fez o que ainda não havia feito neste campeonato: adiantou a marcação do meio-campo, com Daniel marcando; Sandro Goinao distribuindo e Luciano Henrique e Juliano sendo meias-atacantes. Sem invencionice.

Com a eliminação do Rio Branco pela comissão disciplinar do STJD(e que não acredito em revertério)e mesmo que permanecesse na competição, o Paysandu se classificaria em segundo lugar, mas os deuses do futebol reservaram ao clube de maior expressão da Amazônia uma vitória que lavou a alma dos 10.119 torcedores que pagaram ingressos para ver Josiel(2 gols), Juliano, Fábio Gaúcho e Rafael Oliveira desentalarem por cinco vezes o grito de gol da Fiel.

Agora, o Luverdense recebe em casa, dia 25, o América de Natal; e o Paysandu, no mesmo dia, vai a Alagoas enfrentar o CRB.

Na série D, Independente e Sampaio Correa se classificaram à outra fase.

Independente vai ao Amazonas enfrentar o Penarol e o Sampaio Correa recebe o Cuiabá.
É o que há!

INDEPENDENTE, NEFANDO, IRREVERENTE, IMPOSSÍVEL, METICULOSO E INSTIGANTE


FUTURO
“O meu futuro a Deus pertence”. Adágio popular que desde que tive consciência que sou gente ouço essa imbecilidade.
O meu futuro não pertence a Deus, pertence a mim. O meu futuro está a um palmo do meu nariz, alvo, límpido e cristalino. Só depende da minha capacidade de busca, de luta, de obstinação, dos meus propósitos em buscar vitórias.
O futuro do Paysandu, na série “C” (a resignada) só depende dele: os jogadores jogarem tudo o que sabem e um pouco mais e os dirigentes pagarem salários atrasados.
Caso contrario, nem Jesus salva o bicola.
Outra imbecilidade que precisa acabar no Brasil: jogador de futebol é o único profissional que tem que trabalhar sem receber vencimentos sem direito de protestar.
“Aquilo que eu não desejo prá mim, não devo desejar para os outros”. É uma questão universal de ética. Ou não é?

TAMBOR
Rio de Janeiro e São Paulo projetam e o Brasil acompanha. Até na linguagem os lá de baixo falam e os daqui de cima copiam o que os apresentadores de TV lançam: “é brincadeira”, “fui”, etc.
Agora, a Federação Paulista em acordo com o Sindicato dos jogadores de futebol anuncia que o clube paulista que não pagar em dias salários dos jogadores terá subtraído três pontos no campeonato de 2012.
Se a moda pegar, Remistas e bicolores - se assim continuarem - não serão campeões tão cedo. Os times “coronelistas” (Águia, Cametá e Independente) serão beneficiados porque pagam em dias seus atletas.
E o Parauapebas está se preparando para disputar a segunda fase do campeonato paraense de 2012. O treinador será Vitor Jaime (está em Macapá) e ontem ,Gesiel(ex-Paysandu) foi contratado.

ÉGUA!
Em Macapá (minha terra) uma gerente de uma drogaria (24h), que tem sede em Belém (EXTRAFARMA) foi processada e condenada a pagar multa por discriminação racial a uma funcionária.
A gerente só escalava a balconista prá trabalhar à noite porque esta é negra. Que absurdo!

ÚLTIMO A SABER
Na manhã de ontem o vice-presidente de futebol do CR, Hamilton Gualberto, dizia numa roda de conselheiros, torcedores e repórteres, nos corredores do Baenão, que estava igual “marido traído”.
Diego Barros foi a São Paulo e o vice de futebol não sabia. Tomou conhecimento através da imprensa.
Francisco Rosas, um dos diretores de futebol, dizia de pés juntos e mãos entrelaçadas, que não comunicou à imprensa.
“Então, quem disse aos repórteres?” Indagava Gualberto.
Acabou sobrando para o técnico Sinomar que liberou o zagueiro e não comunicou ao vice-presidente de futebol azulino que - a bem da verdade - cumpre duas horas de expediente diariamente no Baenão.
Faltou comunicação.

100%
Na administração Amaro Klautau, no Remo, o ex-árbitro de futebol, Júlio Lima, foi assessor da presidência.
Sai Amaro entra Cabeça e o Júlio é demitido. Foi à justiça e ganhou R$ 30 mil prá serem pagos em 6 parcelas de R$ 5 mil. O Remo não cumpriu com o acordo.
Resultado: o débito azulino com Júlio Lima está em R$ 60 mil.

NITROGLICERINA
Político sem mandato está oferecendo Deus e o mundo para Chico Ferreira, que está preso em Americano, conceder entrevista à revista Veja.
Empresários e ex-lobista estão na alça de mira do ex-parceiro de deputados e prefeitos do interior do Estado. É briga de mamute!
O ex-lobista, hoje executivo de rádio, que comia pão-de-ló e bebia Moet et Chandon quando Chico Ferreira era” big shot” em Parauapebas(Bel Mesquita), anda com o toba na mão.
Quem avisa amigo é.

SHOW DE BOLA
12H na Rádio Marajoara:
-Edson Gaúcho confirmando que tem ladrão no futebol brasileiro!
-Hamilton Gualberto dizendo que é igual marido traído!
-Alacy Nahun e o novo estatuto do Paysandu!
-Imperdivel!
É o que há!

sábado, 17 de setembro de 2011

FALTA DE HIERARQUIA


O vice-presidente de futebol do CR,Hamilton Gualberto, numa roda de torcedores azulinos em que estava o ex-repórter esportivo Jurandir Bonifácio, dizia que no Baenão ele é iguial ao "marido traído"(é o último a saber das coisas).

Diogo Barros foi a São Paulo com autorização do técnico Sinomar Naves, que comunicou aos diretores depois que o zagueiro viajou.

Ao lado do Hamilton estava o diretor Francisco Rosas que dizia que não passou a informação aos repórteres. "Então, quem passou?" Indagava o vice-presidente.

Este blogueiro apostolado perguntpu ao Hamilton se esse desencontro verbal não é o resultado de panela que muitos mexem. "Não é não, Zé! O problema é de obedecder hierarquia", concluiu Hamilton.
É o que há!

SUA SAÚDE É UM BIG BEN

FINALMENTE, PREVALECEU A VONTADE DO LOURO


Edson Gaúcho saiu do Paysandu, em 2009, incompatibilizado com parte da imprensa esportiva e com o presidente Luís Omar.

Um embusteiro inventou que o treinador do Paysandu teria dito: “lá vem esses ignorantes com perguntas imbecis” numa tarde, após treino do time e que a imprensa o esperava para uma coletiva.

Gaúcho diz que nunca disse tal expressão. O certo é que repórteres de rádio, jornal e TV passaram a hostilizá-lo. Hoje, o repórter que teria ouvido as ofensas à imprensa esportiva é apresentador de um programa de televisão e se tem dignidade encararia o treinador. É o bom senso.

Edson Gaúcho é um homem de atitude e não deixa prá depois o que pode dizer ou fazer; disposto a tirar as dúvidas com relação ao comportamento humano e isso ficou patente na quinta-feira quando alguns torcedores invadiram o gramado da Curuzu prá cobrar dos jogadores vitórias, e o treinador salvaguardou a integridade física dos seus atletas e encarou os desocupados.

Fala o que pensa e diz na cara, como disse para Luís Omar o que este não queria ouvir. E por isso o treinador não o é simpático.

No seu primeiro dia de trabalho na Curuzu, na segunda-feira, à tarde, ele viu o enfermeiro Ivã carregando baldes de água para a beira do gramado. “Tua função não é esta, vai lá prá dentro fazer massagens nos jogadores”, disse o enfezado treinador.

Mas, Gaúcho fez amigos na Curuzu: Clodomir Araújo, Louro, Bode gostam do cara de graça; saem com o treinador para almoçar e curtir as noites belenenses.

Louro foi chefiando a delegação bicolor para o Acre e no almoço, antes da partida contra o Rio Branco, o diretor pediu para Roberto Fernandes entrar com Welington, e o treinador não atendeu o cartola. Perdeu o jogo e caiu. Louro já estava pensando em Edson Gaúcho.

Se o Louro foi o responsável pela dispensa de Roberto Fernandes, coube a ele a indicação do amigo Edson Gaúcho e ao presidente Luís Omar acatar a ideia.

Como Fernandes não tinha contrato assinado, recebeu os dias trabalhados, juntamente com sua comissão técnica, e deixou a Curuzu.

Um funcionário do clube foi indagado o que pensava da contratação do Gaúcho: "Sai um doido, entra um louco".

Espera-se que não aconteça na Curuzu o que aconteceu no Baenão, no final do estadual, com a saída de Paulo Comeli. Contrataram Givanildo Oliveira, mas os jogadores indicados pelo Comeli continuaram no time...O resultado todos sabem.

O acerto do diretor bicolor com Gaúcho é na palavra.
É o que há!

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

SUA SAÚDE É UM BIG BEN

AGORA, PSC SÓ DEPENDE DELE.

Com a decisão da Comissão Disciplinar do STJD(2x1), Rio Branco(Acre)está fora da outra fase do campeonato nacional-série C.

"Ainda cabe recurso, mas o campeonato não pode parar e até o pleno reunir para decidir quem tem razão, o campeonato terminou", palavras do advogado Hamilton Gualberto.

O PSC, que domingo enfrenta o Araguaína, na Curuzu, 16h, agora só depende dele para passar à outra fase da competição.É vencer e vencer para não depender de ninguém.

E pagar os jogadores!

Se o Paysandu empatar e o Luverdense vencer o Águia, estes dois ascenderão à fase seguinte.
É o que há!

É DOANDO QUE SE RECEBE...

A CBF poderia recorrer da liminar que garantiu gratuídade aos idosos e deficientes físicos no jogo Brasil e Argentina, 28, Mangueirão, mas preferiu obedecer...

"A CBF poderia entar com Agravo de Instrumento às Câmaras Reunidas do TJ do Pará a fim de cassar liminar do juiz da 4ª Vara Cívil, Amilcar Guimarães", disse o advogado Hamilton Gualberto.

Além da lei federal que garante 50% do valor do ingresso aos idosos, em todo o Brasil, a sede da CBF fica no Rio de Janeiro. E lá que ela tem que ser questionada, entendem os juristas.

Mas, não querendo briga com ninguém, CBF e KLEFER(a dona do jogo) distribuirão 2 mil ingressos dia 22 na sede da FPF aos que têm direito.
É o que há!

ERA SÓ O QUE FALTAVA!...


Vi e ouvi membros da torcida Terror Bicolor invadir o gramado de jogo da Curuzu e cobrar dos jogadores atitudes na partida de domingo contra o Araguaína.

“Aqui tem jogador que não quer porra nenhuma porque vive na balada! Tem jogador que não joga porque está com salário atrasado! Se não quer jogar peça prá ir embora!” Disse o cabeça dos enfezados torcedores no cara a cara com o treinador.

“Nós estamos trabalhando e vamos ganhar domingo. A classificação não depende só de nós, mas vamos fazer nossa parte e contamos com ajuda de vocês. Pronto agora podem ir embora que nós queremos trabalhar”, respondeu Edson Gaúcho.

Qual a importância de uma torcida que não contribui em nada com o clube?

Pode meia dúzia de torcedores invadirem o local de trabalho dos jogadores para cobrar atitudes de alguns atletas?

Tenho observado nestes últimos anos que dirigentes de CR e PSC são reféns de torcidas que se dizem organizadas e que fazem e acontecem na Curuzu e no Baenão em nome de um amor exacerbado pelo clube.

No Remo, no início deste ano, alguns torcedores foram à sede e agrediram alguns atletas. E ficou tudo como dantes no quartel de Abrantes.

Os torcedores que invadiram ontem o campo da Curuzu fazem parte de uma organização extinta pelo Ministério Público, mas que vivem, segundo os comentários, em boxe do estádio da Curuzu sem pagar aluguel havia anos.

Felizmente, o pior não aconteceu: se os jogadores se rebelassem e partissem prá cima dos desocupados?

“Estes caras são os mesmos que deram apoio à reeleição do Luis Omar. E por isso moram de graça naquele boxe ali da frente”, dizia um ex-jogador bicolor que tudo assistiu à tarde de ontem no “vovô da cidade”.

Quando a gente não se respeita, ninguém nos respeita.

Infelizmente, o Dr, Alacy Nahum tem razão e espera que o Paysandu se classifique, caso contrario vai abrir a boca no CONDEL, fevelar tudo que viu nas viagens que fez para assistir ao time diante de Araguaína, Águia, Luverdens e Rio Branco.
É o que há!

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

AMOR FRATERNAL


Abraço afetuoso recebi do Gaguinho, o melhor patrão que tive na minha vida, ontem no Boteco.

Salamaleques e rapapés entre mim e Ronaldo Maiorana. O Feliz estava na mesa e ouviu palavras afetuosas de ambas as partes.
Deixa Estar!...

ACABOU O AMOR, MAS NÃO ACABOU O RESPEITO



Estava no Boteco tomando caldo verde, quando fui abordado pelo Rômulo Maiorana, que me abraçou e me disse palavras que prefiro guardar comigo.

JUIZ CONCEDE LIMINAR AO MP


Juiz Amilcar Guimarães, em atividade na 4ª Vara Cívil da capital, concedeu liminar em Ação Cautelar impetrada pelo promotor de justiça, Waldir Macieira(foto)para que FPF, CBF e KLEFER cumpram com a lei que determina 5% da capacidade do Mangueirão para idosos e deficientes físicos.

"O Dr. Amilcar Guimarães concedeu a liminar e a FPF deverá ser comunicada à tarde de hoje", revelou o promotor de justiça, Macieira.

As entidades promotoras do jogo Brasil x Argentina, 28/9, no Mangueirão, terão até o dia 22 para cumprir o que determina a lei 6.739 de 2005(gratuídades para idosos e deficientes fisicos em campos de futebol, ginásios e teatros paraenses).

Caso contrario, multa de R$ 50 mil a cada dia de descumprimento da lei.
É o que há!

ROUBAR E FICAR


“O que tem de ladrão no futebol brasileiro!... E o Paysandu tem sido muito roubado”.

Nenhum repórter indagou ao técnico Edson Gaúcho. Ele disse na primeira coletiva, terça-feira, à tarde na Curuzu, nos microfones das emissoras de rádio. E é verdade! Tem muito ladrão no futebol brasileiro.

Este blogueiro apostolado foi ameaçado de processo pelo treinador Sérgio Cosme, ex-paysandu, porque disse no BOLA NA ÁREA, da Rádio Liberal-AM, que estavam roubando o Paysandu. Ele se ofendeu e só não levou à frente a ideia porque o advogado Alexi Lima interveio a meu favor.

No mundo do futebol nacional há muitas gírias e uma delas é esta: “Tá roubando”. Este “roubando” foge da sua essência semântica (apropriação, furtar, subtrair, etc); o verbo "roubar" na linguagem futebolística significa “enganar”, “ludibriar”, etc.

Como há mudanças nos reinos animal e vegetal, no mundo lingüístico às palavras mudam seus valores semânticos. O mais claro exemplo é o verbo “ficar” que significa “parar”, “estacionar”, mas na boca da juventude brasileira este “ficar” tem outro sentido. Pode ser “uns pegas”, “beijar, beijar e beijar muito”, “amaciar a porquinha”, “mimar”, enfim, um sem números de significados, conforme desejo e intimidade do casal.

“Eu fui à balada e’fiquei’ com uma gata gostosa”. O que significa “fiquei”? Prá mim é sexo, meter tudão, e prá você o que significa ir à festa e “ficar” com alguém?

“Bichado” significa que o jogador tem lesão crônica; e quantos já foram contratados por Remo e Paysandu neste estado? Muitos. E neste caso os boleiros,quando estão resenhando, dizem: “fulano está roubando”, ou seja: enganando o clube.

A expressão dita pelo técnico Edson Gaúcho não tem nada a ver com lesão, mas, sim, a qualificação técnica de alguns atletas indicados pelo ex-treinador bicolor Roberto Fernandes, que no fundo, no fundo, roubou a boa fé do presidente Luís Omar.
É o que há!

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

SUA SAÚDE É UM BIG BEN



Atenção!
Em virtude da necessidade de atender àqueles que desejam interagir com o blogue, dando suas opiniões, estou precisando entrar em contato com um WEB DESIGNE para reestruturar este blogue.

Contatos para 9981-6509 ou para o emeio: gostosinho1950@oi.com.br.
É o que há!

O BICHO VAI PEGAR


Promotor de Justiça, Waldir Macieira, atendendo apelos das entidades que zelam por interesses dos idosos e deficientes físicos do Estado do Pará intimou à Federação Paraense de Futebol e exclarecer motivos pelos quais não haverá gratuídade para essas categorias, conforme determina lei estadual.

Antônio Carlos Nunes de Lima não deu resposta até a presente data, e a promotoria do idoso e do deficiente físico, que tem como promotor Dr. Waldir Macieira, entrou com Ação Cautelar junto a 4ª Vara Cívil da Capital contra FPF, CBF e KLEFER(esta é a empresa dona do jogo, no Mangueirão, 28/9).

"Eles terão que respeitar a lei estadual 6.739 de 2005 que garante 5% da capacidade do Mangueirão a idosos e deficientes físicos", concluiu o promotor Waldir Macieira.
É o que há!

UM ESTATUTO PRÁ DURAR


Ele vai às lágrimas quando fala do Paysandu. Aliás, da situação do clube do seu coração.

Deixa sua banca de advocacia, no centro da capital paraense, prá acompanhar o time bicolor quando joga fora do Estado.

Na verdade Alacy Viana Nahum, 68, advogado, é um dos mais apaixonados e preocupados com o atual momento administrativo do Paysandu Esporte Clube.

“Conversei com o presidente e sua esposa em viagens que fizemos no mesmo voo e me trataram muito bem e a reciprocidade foi a mesma”, revelou o Nahum.

Vai ao encontro de Ricardo Rezende e Nilton Gurjão, presidente e membro da comissão que engendra o novo estatuto do clube: propõe profundas reformas na nova “carta” e mostrou a este blogueiro apostolado pontos que quer discutir com os membros da comissão, que tem os advogados Luís Pina, Alexi Lima, Hermon Pimentel e o promotor público do meio-ambiente, Nilton Gurjão como membros.

Eis alguns itens:
1 - Os erros de português (concordância verbal e nominal);
2 - Eleição direta de toda a diretoria executiva;
3 - Impedir que haja “cabritos” nas eleições;
4 - Recadastramento de todos os sócios;
5 - Obrigatoriedade de reunião mensal do CONDEL;
6 - Publicação de balancete administrativo e financeiro pela diretoria;
7 - Criação de taxa mensal para conselheiros e beneméritos;
8 - Escolha dos membros do conselho fiscal com mais acuidade;
9 - Eliminar as contradições entre os artigos
10 - Publicar no sítio do clube a minuta do estatuto para que todos os sócios, conselheiros, beneméritos e grandes-beneméritos e torcedores possam se manifestar num período de 30 dias.

Nahum acompanhou o Paysandu nos jogos contra Araguaína, Águia, Luverdense e Rio Branco e prometeu relatar no CONDEL tudo o que viu e que o deixou preocupado com os “incompetentes” que cercam o presidente Luís Omar.
É o que há!


.

terça-feira, 13 de setembro de 2011

SUA SAÚDE É UM BIG BEN



"O esboço do Estatuto do Paysandu está eivado de erros de português"(Alacy Nahum, benemérito do Paysandu).

Amanhã neste blogue.
É o que há!

EDSON GAÚCHO ESTÁ DE VOLTA À CURUZU


Edson Gaúcho foi contratado à noite de ontem pela diretoria do Paysandu.

Gaúcho foi campeão pelo Paysandu em 2009 e caiu depois de perder - de virada - para o Luverdense: 3 x 2.

O novo treinador bicolor(foto) chega hoje à tarde à Curuzu.
É o que há!

EDSON GAÚCHO É O TREINADOR

Roberto Fernandes não é mais o treinador do Paysandu.

Decisão da diretoria foi definida à noite de ontem quando o presidente Luís Omar reuniu com seus pares: vice-presidente, Toninho Assef, diretor de futebol, Antônio Louro, e o supervisor, Fred.

Antes, Luís Omar reuniu em uma das salas da Curuz com Louro, Fred e o jogador Zé Augusto, que foi chamado às pressas para se encontrar com o presidente.

Dessa reunião, os dirigentes foram prá sede, e o Zé, quando indagado por este blogueiro se assumiria o comando técnioc do bicola, revelou "que está disposto a ajudar no que for possível".

Roberto Fernandes dirigiu o Payusandu em nove partidas: 4 empates(2x2 e 3x3 contra Independente; 1x1 com o Rio Branco e 1 x 1 com Luverdense)3 vitórias( 1 x 0 Araguaína, 2x 1 no Águia)
É o que há!

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

PSC CHEGA ÀS 21H, MAS, R.FERNANDES PODE PASSAR DIRETO

O presidente do PSC, luís Omar, está tranquilo, conforme me disse ainda a pouco.

"Zé, estou tranquilo, mas vou ter atitude", revelou Omar.

Segundo uma fonte fidedigna, presidente Luís Omar espera pelo treinador Roberto Fernandes, que chega às 21h de hoje, prá dizer na cara do treinador que não tem mais ambiente prá ele na Curuzu.
É o que há!

O JOGO DA SELEÇÃO EM BELÉM NÃO É DA FPF E NEM DA CBF


Ainda a pouco conversei com o coronel Nunes, presidente da FPF,que coinfirmou ter respondido ao Dr. Waldir Macieira, promotor do idoso e deficiente físico, que o jogo Brasil x Argentina, 28, Mangueirão não é da FPF e nem da CBF: é da COMMEBOL.

"Fiz vê-lo que o jogo é internacional e a KLEFER(empresa detentota dos jogos ex-Copa Rocca)é a detentora dos direitos, e ela está obedecendo o artigo 23 do Estatuto do Torcedor, que idosos e deficientes paguem metade do valor do ingresso", revelou Nunes.

Acompanharei os fatos!
É o que há!

MINISTÉRIO PÚBLICO QUER CUMPRIMENTO DA LEI


Promotor Público, Waldir Macieira, oficiou ao presidente da Federação Paraense de Futebol, Antônio Carlos Nunes de Lima, desejando saber se a entidade vai disponibilizar 5% da capacidade do Mangueirão para as gratuídades de idosos e deficientes físicos, conforme prever a lei 5.753, de 27 de agosto de 1993, atualizada em 2005 pela lei 6.739.

Até às 11h de hoje a FPF não havia feito nenhum contato com o promotor Waldir Macieira(foto), que se não obtiver êxito na sua intenção(que é de defesa dos interesses de idosos e deficientes físicos), vai à justiça com ação cautelar prá que a CBF respeite a lei estadual.
É o que há!

domingo, 11 de setembro de 2011

PSC NÃO TEM TÉCNICO, TEM TREINADOR.

Luis Omar quando cobrou atitude dos jogadores do Paysandu na partida contra o Luverdense(empatou quando deveria ter vencido), o presidente bicolor estava correto.

O presidente bicolor errou quando não deixou o treinador Roberto Fernnades ir embora, quando manifestou desejo de deixar o clube.

O que fez este camafeu, travestido de técnico, manter Luciano Henrique no time bicolor em detrimento do garoto Welington?

Não me importa salário, mas qualidade técnica posso emitir palpite. E esta condição não foi vista, em nenhum momento, neste jogador que foi indicado pelo treinador Roberto Fernandes, que está mais prá galã de novela que prá técnico de futebol.

Luís Omar não soube fazer conta e foi iludido por um treinador que o "mundiou".

Assim como tive a coragem de dizer desde segunda-feira passada que não confiava no time do Paysandu pelo que mostrou no campeonato, francamente, penso que já era outra fase para os bicolores. A não ser que a "mala" entre em campo no jogo Luverdense e Águia, mas o pau que dé em Chico, dá em Francisco.
É o que há!

SUA SAÚDE É UM BIG BEN



EXPLICO: "Hoje o mundo comemora uma data solene". Ou: Hoje o mundo traz à memoria uma data cerimoniosa. Portanto, não há incongruência semântica na primeira oração.

Promotor público questiona FPF sobre o não cumprimento da lei que garante gratuidade aos idosos e deficientes físicos no jogo da seleção canarinho, 28, contra a Argentina, no Mangueirão.

Amanhã neste blogue.
Boa-noite!

INDOMÁVEL, NEFANDO, IRREVERENTE, IMPOSSÍVEL, METICULOSO E INSTIGANTE


11 DE SETEMBRO
Hoje o mundo comemora uma data solene: 10 anos dos atentados terroristas às torres gêmeas do World Trade Center em Nova York quando quase 3 mil pessoas (homens e mulheres de 90 países) morreram soterradas.
Passados 10 anos, os americanos desmantelaram os planos da Al Qaeda e mataram Osama Bin Laden, mas não acabaram com o terror, e penso que aonde há um americano existe a iminência de alguém explodir uma bomba. É inegável que depois desta data o mundo anda assustado.
Lembro que em junho de 2006, no aeroporto de Frankfurt, os cães lambiam (literalmente) quem chegava e saia da Alemanha. Com os atentados às torres americanas, o aeroporto de Frankfurt passou a servir de entreposto entre as Américas, Europa e Oriente.
Quisera os deuses do futebol que em um 11 de setembro o Paysandu jogue tudo ou nada para fazer história: se ganhar ou empatar, esta data será lembrada como a data da resiliência, mas se perd

É VERO!
er, a data da derrocada total. Sem dinheiro e contas a pagar.
O PSC está à beira da falência. E se não ganhar (ou empatar) hoje do Rio Branco as mudanças acontecerão na Curuzu de imediato.
Foi o Antônio Louro, diretor de futebol, quem arrumou dinheiro prá delegação viajar. Ninguém quer emprestar dinheiro ao clube. Os endinheirados pedem avalista e aí a porca torce o rabo.
Dona Chica, esposa do presidente, está ressabiada de tanto perder patrimônio e não dá mais uma “Ana” prá ajudar o Papão.

IMPRENSA CHEN
No feriado de 7 de setembro fui à sede da ACLEP - Associação dos Cronistas e locutores Esportivos do Pará - em Ananindeua.
Quem jogava, jogava; quem banhava, banhava, e quem tomava gelada, tomava ao som de batidão.
Numa mesa estava o presidente Géo Araújo saboreando um churrasquinho e falando das suas metas para a sede da nossa entidade.
Em dado momento Mário Quadro indagou ao presidente se não dava prá levar o time do Imprensa Show(Paulo Caxiado) para uma partida de futebol:
-Não dá porque aqui tudo é pago em espécie; o pessoal do Caxiado joga e quer beber e comer de graça. Aqui vem quem gosta de pagar o seu consumo.
Paidégua, presidente!

ROGÉRIO CENI, 1000
O goleiro-artilheiro do São Paulo já vestiu a camisa do tricolor paulista pela milésima vez. Antes dele, Pelé vestiu à do Santos 1.116 vezes; Roberto Dinamite à do Vasco 1.065, e o norte-americano Noel Bailie 1.014 vezes à do Linfield.
Se jogar mais dois anos, como pretende, ultrapassará os três e se tornará o jogador que mais defendeu um clube de futebol.

TORCIDA ORGANIZADA
O jornalista carioca Ruy Castro publicou que a primeira torcida organizada do Brasil surgiu no Rio de Janeiro em outubro de 1942.
O baiano Jayme, 31, funcionário da Polícia Federal, e o português Manuel, num Fla-Flu, nas laranjeiras, apareceram com uma faixa “Avante Flamengo”.
O paulista Juca Kfouri discordou do confrade carioca e afirma veementemente que a primeira organizada do Brasil surgiu em São Paulo em 1939 com a TUSP, Torcida Uniformizada do São Paulo, tendo como mentor Manoel Raymundo Paes de Almeida, na Mooca.
Kfouri afirma, ainda, que em Porto Alegre, em 1940, surgiu à do Internacional, tendo como líder Vicente Rao que hoje é a Camisa 12.
Taí um belo assunto para quem gosta de pesquisar o futebol paraense.

SHOW DE BOLA
12h estarei no ar pela Rádio Marajoara. É um novo desafio na minha carreira profissional. Estou feliz e prometo fazer o que fazia no BOLA NA ÁREA,da Rádio Liberal-AM, onde passei 11 anos. Informação de primeira, divertimento e interação com os ouvintes.
Muitos brindes: 20 litros de gasolina, R$ 50.00, cinco cestas básicas e cinco pacotes de cerveja.
Prá ganhar e levar os ou vintes terão que ir no estúdio da Rádio Marajoara à partir das 12h.

RECOMEÇO

Depois de mais de três meses sem jogar, time do CR voltou às atividadeds no município de Augusto Correa, ganhando de um time local por 4 x 0.

Não ouvi a transmissão por estar sedado, depois de um exame dificil que tive que me submeter às 13h de ontem. Saí do ar e descansei prá hoje estar à frente do microfone da Rádio Marajoara, às 12h.

Francisco Rosas foi comandando a delegação e somente ele, como diretor, foi no ônibus. O vice-presidente, Hamilton Gualberto, e o diretor, Pedro Minowa, foram em carros particulares.

A 8 km da cidade de Augusto Correa o ônibus que conduzia a delegaçãao azulina foi escoltado pelo povo. Uma festa, segundo Carlos Magno e Nelson Torres, repórteres que foram a cidade a serviços das suas emissoras.
É o que há!

sábado, 10 de setembro de 2011

SUA SAÚDE É UM BIG BEN



Se nõ fosse a atitude do diretor de futebol, Antônio Louro, o Paysandu não estaria hoje na capital do Estado do Acre - Rio Branco.

"Sem ter pra onde correr", como disse Toninho Assef, vice-presidente, a delegação viajou porque o Louro dei o jeito.
Amanhã no PULO DO GATO
É o que há!

FORÇA E RESILIÊNCIA BICOLOR

Futebol não é ciência exata. Disso todos nós estamos cansados de ouvir. Mas há as condicionantes que as tornam, às vezes, um time ser favorito em relação ao adversário: capacidade técnica dos jogadores, condicionamento físico, torcida e dinheiro no bolso dos atletas.

Há os que dizem que salários atrasados sempre existiram no futebol brasileiro. É verdade. Contudo é preciso dizer que a prática do “bicho”, por vitória, fazia com que os jogadores se desdobrassem campo, e a premiação, em Belém, era recebida no vestiário. Hoje, esta prática foi abolida do futebol, e, consequentemente, o desânimo é total quando os salários estão atrasados. É o caso do Paysandu.

Aí não tem psicólogo que dê jeito num elenco de jogadores desanimados se uns recebem, outros não. Depende da pressão que cada um faz ao seu jeito. Casos de Alexandre Fávaro, Sandro e Josiel, que o Louro resolveu - em parte - os problemas.

O PSC, hoje, precisa de R$ 800 mil prá resolver o problema financeiro com o caríssimo elenco de 31 jogadores e a comissão técnica. “Não temos prá onde correr”, disse o vice-presidente Toninho Assef, que anunciou uma abertura de contra numa agência bancária para que os torcedores ajudassem o clube, depositando qualquer quantia. Isso não foi feito.

O Rio Branco começou a série B empatando com o Paysandu em 1 x 1, no Mangueirão, e em casa perdendo para o Luverdense por 3 x 2, no dia 30 de julho, e ganhou apertado do Araguaína por 2 x 1. Em três jogos, ganhou 4; o Paysandu neste mesmo número de jogos, ganhou 7: 1 x 0 no Araguaína; 1 x 1 com o Rio Branco, e 2 x 1 no Águia.

A vitória do Paysandu frente ao Araguaína por 1 x 0 foi enganadora. Vimos que o time bicolor tinha muito prá consertar no jogo no Mangueirão contra o Rio Branco, que jogou melhor no primeiro tempo, fazendo 1 x 0. Somente no segundo tempo é que o time de Roberto Fernandes foi melhor, conseguindo o empate.

Contra o Águia de Marabá, no Mangueirão, ganhou sabe lá Deus como...

O Rio Branco melhorou na competição. O elenco bicolor vem aos trancos e barrancos e precisa demonstrar no jogo deste domingo força e capacidade de recuperação. O Rio Branco por fazer a última partida da fase e precisar da vitória vai partir prá cima e ao Paysandu cabe ter pegada, marcação forte não dando espaço como fez o Corintians no jogo de quinta-feira, no Pacaembu, contra o Flamengo.

Se assim fizer, pode se dar bem, e eu passo a acreditar que o Paysandu tem time prá ser campeão da terceira divisão.
É o que há!

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

SECADOR DESGRAÇADO!

Quem me conhece sabe que não sou repórter amorfo e indefinido. É ou não é!Digo o que penso, embora sabendo que às vezes passo por mal-educado por dizer o que penso.

Desde a minha estreia na Rádio Marajoara, no PROGRAMA DO TUDÃO, das 20h às 22h, de segunda a sexta-feira, que sustento a ideia de que o Paysandu não traz nenhum pontinho da Arena da Floresta, domingo, 19h.

Hoje, 10h, na agência BRADESCO\SÃO BRÁS, um cliente que estava na fila quando me viu gritou: "Ei Secador desgraçado!"

Olhei ao meu agressor verbal e acenei com a mão direito, ficando na rabeira da fila caladinho. Ele não contente veio ao meu encontro e travamos diálogo, esperando pela hora do banco abrir ao público.

Jonas Silva, 42,casado, morador da Terra Firme, Paysandu até a medula me parabenizou pela programação noturna na Rádio Marajoara e acabou confirmando que está com a pulga trás da orelha com o time bicolor, porque o treinador, na visão dele, não transmitiu confiança posto que na opinião dele Tiago Potiguar, Robinho e Welington deveriam ser titular.

Depois de ouvi-lo atentamente disse o porquê não acreditar no time do Papão:
- O time do Rio Branco tem oportunidade única de passar à outra fase da competição e não poderá desperdiçá-la. Diretores, jogadores e torcedores vão fazer suas partes. Coloco-me no lugar dos acrianos: nós faríamos o mesmo. Ou não?

10h a roleta do banco começou a girar e eu fui para minha fila(a dos velhos) e o "seu" Jonas prá seu destino, mas antes me deu razão.
É o que há!

FARDO PESADO


Quando o Remo deu mais uma oportunidade ao lateral Ednaldo, o vice-juridico, Ronaldo Passarinho, foi contra a contratação do atleta e chegou a dizer no BOLA NA AREA, programa que eu apresentava na Rádio Liberal-AM que o “Remo não era casa de caridade”.

Em março deste ano na casa Mansão do Forró, na Rodolfo Chermont, bairro da Marambaia, Ednaldo se envolveu num arranca-rabo e levou algumas coronhadas pela cabeça de seguranças da casa e foi internada à custa do Clube do Remo. Quando recuperado o jogador foi mandado embora.

Ednaldo não quis saber de gratidão e bateu às portas da Justiça do Trabalho: segunda-feira o Remo foi sentenciado a pagar R$ 25 mil em 5 parcelas de R$ 5 mil.

“Gratidão é um fardo pesado que alguns tentam carregar, mas a abandonam na próxima esquina”, disse Ronaldo Passarinho.

REFORMA
A sede do CR está sendo preparada para receber todos àqueles que no segundo domingo de outubro lá vão para assistir ao Círio de Nossa Senhora de Nazaré.

Operários trabalham na sede ao comando do diretor de patrimônio do clube, Josias Campos.

CADEIRAS
Segunda-feira Ronaldo Passarinho(foto), Ubirajara Salgado, Manoel Ribeiro e Pedro Minowa vão reunir prá definir promoção de venda das 200 cadeiras Vips que há no Baenão.

É pensamento do diretor de futebol, Pedro Minowa, que cada cadeira custe R$ 1.000,00 com o interessado pagando em 4 parcelas de R$ 250.00.

“O Remo precisa fazer caixa prá saldar compromissos com comissão técnica, jogadores e funcionários e esses quatro remistas vão estar à frente dessas vendas”, disse Hamilton Gualberto, vice-presidente de futebol.
É o que há!

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

SUA SAÚDE É UM BIG BEN



Lateral Ednaldo, que se envolveu em arranca-rabo numa casa noturna e o Remo bancou despesas de recuperação do atleta, levou o clube à justiça do trabalho.
Amanhã neste blogue.
Boa-noite!

"RADIOS DE BELÉM SÃO IMEXIVÉIS"


“As emissoras que têm cabines no Mangueirão são imexíveis. É critério da CBF respeitar as rádios que transmitem normalmente os jogos no Mangueirão e às que vêm esporadicamente ficarão em outro local”, disse o jornalista J.B. Teles, presidente da Associação dos Cronistas Esportivos de Santa Catarina e responsável pela vistoria dos locais que acomodarão os jornalistas que acompanham a seleção brasileira.

Ciceroneados pelo radialista Geo Araújo, presidente da ACLEP, J.B. Teles e Eduardo Leite,este, gerente da empresa KLEFER (dona do jogo da seleção e ele filho do ex-repórter da Rádio Globo, Kleber Leite) visitaram hoje de manhã as instalações do Mangueirão e foram recebidos pelo secretário, Marcos Eiró, e o diretor do estádio, Saulo Aflalo.

Operários estão por todos os cantos do estádio, trabalhando na reforma do “Edgar Proença”, inclusive a pista que circunda o estádio está recebendo recapeamento asfáltico.

O credenciamento dos radialistas e jornalistas que trabalharão no dia 28 no Mangueirão será efetivado pela sitio: www.CBF.com.br em data a ser anunciada.
É o que há!

HOMEM ENDINHEIRADO É OUTRO HOMEM

Volto a implicar com o Paysandu. Não é quizília, não. É a minha falta de credibilidade no elenco atual do papão da Curuzu pelos últimos acontecimentos que a diretoria tenta encobrir o sol com a peneira, mas que ela mesma acaba caindo em contradição diante de perguntas bem colocadas.

Francamente, nos 32 anos que vivo caminhando nesta praia, em semana de jogo importante, não me lembro de jogador deixar de treinar por que tem problemas particulares prá resolver. É sofisma. Engodo. Subterfugiu. É problema sim, mas financeiro.

Alexandre Fávaro não recebeu vencimentos e soube que alguns receberam, então resolveu cobrar de maneira indireta, e por tabela, o Josiel também resolveu cobrar o seu.

A diretoria nega, mas no calor de uma entrevista é necessário que haja o contraditório; gosto de questionar e surpreender o meu entrevistado com perguntas previamente engendradas sobre o assunto que pretendo explorar e - na maioria das vezes - o que eu quero consigo: algo de novo.

Foi o que aconteceu ontem ao chegar por volta das 18h30 na Curuzu. Vi a oportunidade de ter a prova dos nove do que sabia e que pretendia repassar aos meus blogonautas e ouvintes do PROGRAMA DO TUDÃO, da Marajoara, às 20h.

Fui prá cima do Toninho Assef, presidente em exercício do Paysandu, que acabara de sair de uma reunião com os jogadores. A princípio me disse que estava tudo bem com o elenco bicolor, o que eu sei que não está.

No calor da reportagem Assef disse que eu queria saber: “Infelizmente, nós não temos prá onde correr. E pensamos em abrir uma contra bancária para que o torcedor bicolor nos ajude financeiramente”. Toninho Assef depois me disse que “ os jogadores têm razão de reclamar, pois quem trabalhar tem que receber”.

Alexandre Fávaro voltou a treinar porque o Louro foi conversar com o jogador. “Você me trouxe prá cá e eu confio em você”, disse o goleiro para o diretor de futebol bicolor. Quem fez esta revelação foi o próprio Louro para a minha testemunha: o meu gravador.

No início da noite de ontem um neurolinguísta esteve na Curuzu, fazendo palestra para os jogadores. Tudo bem, mas, francamente, não acredito que psicólogo ou neurolinguísta possa levantar o moral de um elenco de jogadores se estes não têm dinheiro no bolso. É o que penso.
É o que há!

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

TUDO, TUDO BARATO NA BIG BEN



Presidente em exercício do Paysandu, Toninho Assef, declarou no PROGRAMA DO TUDÃO, da Rádio Marajoara que "não tem mais prá onde correr".

Portanto, confirmou a chamada do post de hoje; LUÍS OMAR NÃO SOUBE FAZER CONTA.

Amanhã, a palvra do Toninho neste blogue.
É o que há!

NÃO SOUBE FAZER CONTA


Em junho, Paysandu fez empréstimo de R$ 150 mil de um empresário endinheirado para pagar na primeira quinzena de agosto. O empresário meteu a mão no cofre e passou ao Luís Omar, em espécie, e disse que não precisaria juros só queria receber na primeira quinzena de agosto. O clube não honrou com a palavra.

Agora, voltou à fonte querendo R$ 500 mil, mas o dono da “baba” exigiu avalista. O dirigente foi atrás e todos disseram “não”.


Financeiramente a situação do Paysandu é complicada porque o presidente Luis Omar não soube fazer as contas; não fez previsão orçamentária para o campeonato brasileiro e não mediu as conseqüências de um contrato assinado com a FUNTELPA que o ex-dirigente Paulo Moraes assinou sem ler.

Já se desfez de alguns patrimônios( apartamento e até um carro de um dos seus filhos)para saldaar compromissos assumido em nome do clube.

Há quem diga que o treinador Roberto Fernandes ao chegar a Belém a primeira pergunta que fez ao presidente Luís Omar foi de “quanto, financeiramente, o clube disponibilizava prá contratar jogadores” e daí essa enxurrada de 17 atletas recém chegados com os que já estavam somam 31 atletas na Curuzu. É prova de desespero. Mas, não foi por falta de aviso.

Na mesa de um restaurante no centro de Belém, indagaram ao Toninho Assef, vice-presidente, se ele assumiria em caso do Luís Omar renunciar se o Paysandu não se classificar à outra fase dp campeonato, Toninho disse "eu não", Rezende, presidente do CONDEL, na bucha disse: "Faço eleição".
É o que há!

terça-feira, 6 de setembro de 2011

É SÓ DOUTOR


Albany Pontes, conselheiro do Clube do Remo, foi entrevistado hoje á noite no PROGRAMA DO TUDÃO, da Rádio Marajoara-AM-1130 e confirmou o que disse na reunião do CONDEL azulino.

"Se cada um dos 150 conselheiros do Remo doasse R$ 500.00 ao clube a partir de setembro ao final do ano o clube teria R$ 300 mil o que daria prá pagar funcionários e jogadores do elenco de futebol", disse o conselheiro.

Albany disse ainda que além da sua cota, arruma mais dez amigos prá ajudar o Remo.Mas tem conciência que não tem futuro a sua ideia, que prá alguns conselheiros foi considerada de jerico.

Pontes falou ainda que o Pedro Minowa só será presidente da diretoria azulina se for eleição direta."Zé, vejo uma condição de o Pedro ser presidente: é o sócio votando,caso contrario o Remo será administrado por quem tem diploma. Os conselheiros do Remo só votam em doutor". É verdade. Pelo menos tem sido assim.

Pedro Minowa ao voltar ao Baenão disse que é candidato a presidente na próxima eleição. Decerto que se fizer um bom trabalho no futebol, Minowa tem chance. É um sonho do "Anjo do Oriente".
É o que há!

AMOR FRATERNAL


A Bíblia é o maior clássico da literatura hebraica e gosto de ler. Sinto-me bem lendo esta obra. A leio com a visão cultural, sociológica e antropológica.

Inobstante ser deísta, quando estou deprimido busco nas páginas do livro milenar antídoto para o meu sofrimento. E, acreditem, sinto-me reconfortado. Eu acredito na força da palavra!

E ontem, no início da noite, lembrei de um texto bíblico ao ver o stúdio da Rádio Marajoara ser invadido pelos meus “Epafroditos” da Rádio Liberal: Lino Bentes, Mário, Weider Vilhena e Walber Pantoja. Meninos que comigo conviveram ao longo dos 11 anos que passei naquela casa. É amor fraternal.

Infelizmente, um dia o monstro do rádio esportivo paraense, em reunião de serviço, disse que os meninos falavam bem de mim porque eu pagava mulheres prá eles. Este infeliz, que é pobre de espírito e nasceu sem berço familiar (é o mesmo que saiu da TV Record por assédio sexual) não sabe que os homens podem se amar fraternalmente. Ele não lê e desconhece o valor do carinho humano. Ele é monstro!

“Sucedeu que, acabando Davi de falar com Saul, a alma de Jônatas se ligou a de Davi; Jônatas o amou, como sua própria alma.” É lindo, não é?

Pois bem: Weider Vilhena, Lino, Mário e Walber Pantoja me assessoram nas duas horas de duração do programa. Foi uma festa! Um presentão que recebi desses meus amigos gostosinhos. É amor, sim, fraternal; é respeito, é saber indagar qual o problema que o afligi quando necessitados; é compartilhar o pouco que tenho com eles. É por isso que eles não me abandonam. Adorei!

O PROGRAMA DO TUDÃO, na Rádio Marajoara-AM-1130, foi um arrebatamento. Impacto de alegria e informação e o momento de pico do horário foram quando disse que “não acredito que o Paysandu passe à outra fase do brasileiro da série C”.

O presidente Luís Omar ouviu minhas palavras e discordou, mas ao final acabou concordando porque revelou que “está sentindo o cheiro da perpétua com o seu time”.
Acreditar ou não acreditar em algo é uma questão pessoal. Eu posso gostar de alguém, mas não acredito que este alguém seja capaz de alguma proeza.

O time do Paysandu não tem feito por onde eu acredite nesta proeza de vencer do Rio Branco dentro da Arena da Floresta. Pode acontecer vitória bicolor se o treinador deixar da Frouxura e escalar um time que vá prá cima do representante acriano. Tem jogadores prá tal. É só escalar.
O PROGRAMA DO TUDÃO É!