domingo, 31 de julho de 2011

INDOMÁVEL,NEFANDO, IRREVERENTE, IMPOSSÍVEL, METICULOSO E INSTIGANTE


Caro José Maria Trindade.
Na lista de Grande Benemeritos a falta de Nabor de Cartro e Silva, se na verdade ele ainda não é Grande Benemerito é uma grande sacanagem com uma pessoa que se alisou dando dinheiro para o Paysandu. Tive o prazer de trabalhar com este grande Alvi Azul entre os anos de 1962 e 1965 e aos sabados o seu estabeleicimento comercial virava guiche de banco tanto era a quantidade de jogadores que ele sozinho sustentava fora a construção da Sede Social que tambem ficava sobre a sua responsabilidade.
Com um forte abraço
Paulo Souza

QUEM É QUEM
Conforme o blogue se propôs, divulgarei pequeno currículo daqueles que estão pleiteando uma das vagas de Grande-benemérito bicolor.
Rui Sales já nasceu sócio do PSC em 1950.
Atleta de basquete campeão infantil, juvenil e adulto.
Diretor de basquetebol por 15 anos.
Conselheiro desde 1979.
Em 1991 chegou a vice-presidência do clube e parte de 92, sendo campeão brasileiro, ao lado de Asdrúbal Bentes.
Ainda em 92 assumiu a presidência e foi campeão paraense com 4 vitórias de 1 x 0 sobre o Remo.
Foi reeleito em 1993 e manteve o clube na primeira divisão do campeonato brasileiro(92, 93 e 94).
Foi presidente do CONDEL e depois presidente da Assembleia Geral do clube.
Hoje é benemérito do clube de mais três federações: futebol, voleibol e basquetebol.
Em 1993, como presidente do clube, quebrou hegemonia dos leoninos no remo.
Alguém discorda?

MODÉSTIA
Às revelações de Raulzinho Aguilera sobre não ter trabalho com sua marca no Paysandu não é verdade.
Rui Sales, ex-presidente bicolor, revelou ao blogue que Raulzinho Aguilera revitalizou a sede bicolor, fazendo toda a obra do terceiro piso e da estante de troféus do clube.
“O Raulzinho, quando eu fui presidente, ajudou muito a minha administração, trocando cheques de terceiros e emprestando dinheiro ao clube e nunca cobrou juros. Ele merece, sim, ser grande-benemérito”, revelou Salles.

SEGURA O FIO
A exemplo do que fez Cabeça no Baenão, Luís Omar está com a ideia fixa de fazer mudanças na Curuzu.
“Zé, não é assim de imediato, mas nós precisamos enxugar a folha de pagamento da Curuzu”, revelou o presidente bicolor ao blogue.
À boca pequena comenta-se nos bastidores que o supervisor “Carioca” encabeça a relação daqueles que estão por um fio na Curuzu.

AFERRO
“É o pontapé inicial para que eu dispute a eleição em 2012. Cabeça, Hamilton, eu e o Rosas vamos trabalhar juntos prá tirar o Remo desta situação. Com a ajuda da torcida e da imprensa que cobre o clube no dia a dia vamos ser vitoriosos”. Palavras de Pedro Minowa, diretor de futebol do CR, no programa BOLA NA ÁREA, da Rádio Liberal-AM, ontem.
Minowa, numa linguagem simples, revelou que o que parece difícil no Remo pode ser simplificado se houver humildade e respeito para com àqueles que trabalham no Baenão.
“Na minha empresa, os meus empregados, que são meus amigos, recebem toda semana”, concluiu Minowa, dando a senha de como será no Baenão à partir do dia 8 de agosto, quando assumirá o posto.

TUDO NO PAPEL
O ex-diretor de futebol do Paysandu, Louro, que está mais ligado a sua fazenda em Ipixuna, num dos “curraizinhos” de tapioca da feira da “Rômulo Maiorana”, confessou que não há caixa- dois no Paysandu.
“Todo dinheiro que botei no Paysandu está documentado na tesouraria do clube”, revelou Antônio Louro numa roda de papas tapiocas.
É o que há!

sábado, 30 de julho de 2011

BIGBENTUDO



Amanhã O PULO DO GATO!
É o que há e Boa-noite!

DISPENSAS NA CURUZU

Embora não tenha anunciado, o PSC, a exemplo do CR, vai mandar embora alguns funcionários da Curuzu.

Tudo estava sendo preparado em sigilo, mas hoje de manhã o presidente Luís Omar deverá anunciar nomes que serão demitidos, e, à boca pequena, comenta-se que o supervisor Carioca encabeçará a relação dos demitidos.

INVASÃO
Ao final do treino de ontem, na Curuzu, um torcedor, acompanhado de uma criança, entrou no gramado para tirar fotos com Tiago Potiguar.

O treinador viu e não gostou: mandou que o torcedor se retirasse do gramado, e isso causou descontentamento entre alguns torcedores que lá estavam assistindo ao treino.
É o que há!

"TO FORA! NÃO MEREÇO"


A maior honraria do Paysandu é a Grande-benemerência.

Segundo o estatuto do clube (ainda em vigência), prá ser grande-benemérito do clube tem que ter dez anos de benemérito e reconhecidamente serviços prestados ao clube.

São dez. Mas, atualmente, sete estão vivos: Asdrúbal Bentes, Abílio Couceiro, Antônio Couceiro, Joaquim Ramos, Antônio Carlos Trindade, Jorge Mubarack e Manoel Acácio.

Passaram para a infinita escuridão: Raul Aguilera, Miguel Pinho e Arnaldo Moraes.

Nos bastidores do Paysandu há uma disputa pelas três vagas e o presidente Luís Omar pediu apoio do Grande-benemérito, Antônio Couceiro, sobre o preenchimento das vagas.

Couceiro informou que iria solicitar à secretaria do clube a relação dos beneméritos para avaliar quem merece o seu apoio.

O blogue se antecipou e lançou os nomes de Luís Omar, Ricardo Rezende e Rui Sales. Este tuítou que Raul Aguilera Filho tem merecimento à comenda.

Mantive encontro com o Raulzinho, ontem, e embora sendo benemérito ele não vê com bons olhos sua indicação: “Se me derem aceito, mas não tenho uma obra na Curuzu. O meu pai, sim, fez muito pelo Paysandu como presidente; mas, eu? Apenas, algumas vezes, dou uma “babinha” ao clube”, sentenciou o empresário Raul Aguilera.

Ontem, no tuíter, Rui voltou a afirmar que Raul Aguilera merece a comenda.
Enquanto isso, nos arraias bicolores surge nomes como os de Felipe Fernandes, Olívio Câmara, João Carlos, César Neves , Alaci Nahum, Toninho Assef e outros.

JUNTANDO OS CACOS
Sérgio Cabeça, Hamilton Gualberto, Pedro Minowa, Francisco Rosas, Sinomar Naves e demais membros da comissão técnica do Remo estarão reunidos hoje, 11h, no Baenão.

Estarão fazendo levantamento das necessidades do Baenão para que Sinomar e equipe possam desenvolver a partir de segunda-feira trabalho de soerguimento do time remista. É a ordem no caos.

Analisando um a um dos nomes que estarão logo mais reunidos no Baenão, penso - e é verdade - que todos são excelentes profissionais no que fazem: Cabeça, engenheiro; Hamilton, advogado e jornalista; Pedro Minowa e Rosas, empresários, e Sinomar, professor (diretor de escola pública) e treinador campeão.

Mas não basta ser talentoso no que faz. Tem que fazer, fazendo com simplicidade.

Agora, neste momento, é o que precisa o Filho da Glória e do Triunfo! Sim-pli-ci-da-de!
É o que há!

sexta-feira, 29 de julho de 2011

DE CRÍTICO A TELHADO

No final da década de 90 ele aparece no CR como vice-presidente, com atuação no departamento de futebol. Colheu vitórias e derrotas.

Em 2000 surge no rádio esportivo paraense, levado pelo Luís Araújo à Rádio Marajoara.
E foi o cerebral Gueri-Gueri quem o denominou de o “Crítico dos Críticos” do rádio paraense.

Logo se adaptou ao microfone, com o verbo na ponta da língua( excelente improviso) o que caracteriza os ótimos profissionais do rádio.

Não satisfeito com a simples denominação de radialista, concorreu ao vestibular da Faculdade de Jornalismo da UFPA e foi aprovado. Depois de 4 anos recebeu o canudo de jornalista. Ninguém poderia lhe chamar de embusteiro ou de “picareta”. É Jornalista diplomado.

Ele é Hamilton Gualberto, que - como nunca escondeu de ninguém - adotou a linha do jornalismo crítico com responsabilidade; investigativo e não é amorfo ou indefinido.

Não tem meio termo: é ou não é. E faz questão de dizer: “Jornalismo que aprendi com Luís Araújo e José Maria Trindade”. Nem tanto, comigo, bondade sua.

O Crítico dos Críticos, nestes 11 anos de jornalismo, viveu entre o céu e inferno; amado e odiado; elogiado e criticado; foi homenageado com a honraria de BOLA DE OURO, mas nunca escondeu a paixão pelo Clube do Remo. E quem vive neste metiê e não tem um clube, está em profissão errada. Ou é frouxo!

O que leva um profissional do jornalismo esportivo consagrado a ser cartola? Ou treinador de futebol? É a pergunta que me faço desde sábado passado, quando o próprio Hamilton revelou no programa BOLA NA ÁREA, da Rádio Liberal o seu intento.

Lembro do comentarista da Rádio Globo, “Apolinho” (que hoje está na Rádio Tupi do RJ) que no auge da carreira jornalística preferiu ser técnico do Flamengo. Quebrou a cara. O excelente comentarista que é, não conseguiu ser eficiente técnico.

Mas, recentemente, o voo do Falcão: televisivo, fluência verbal, contrato com a Globo de dá inveja. Foi ser técnico do Internacional, e, tristemente, seu time perdeu para o São Paulo dentro da “Beira-Rio”, e o tricolor paulista sem treinador, pelo menos oficialmente.

Os amigos chegados de Hamilton Gualberto estão boquiabertos com a decisão do consagrado advogado e jornalista. “Ele está ficando doido”, disse um dos mais chegados amigos - advogado Jorge Borba.

Não se pode discutir que Gualberto não tenha preparo para a função. Tem, sim. Conhece os meandros de uma concentração e sabe como lidar com jogador de futebol. Todavia, resta saber se aos 66 anos de idade ele terá tato suficiente para viver neste mundo cão que é o futebol do CR.

Ao chegar aos 60 anos, aprendi que a gente fica mais criterioso, enjoado, crítico das coisas do passado, macambúzio, não tolero burrice. Sinceramente, espero que Hamilton Gualberto seja proficiente cartola como é excelente comentarista. Perdi o colega, posto que a partir do momento que ele se debandou pro lado do Remo, deixa de ser o “Crítico que quem gosta ouve e quem não gosta ouve também”. Cartola é cartola, jornalista é jornalista! Penso assim.

Espero que ele tenha o olhar crítico para quando receber uma crítica, como cartola, receba com humildade e esteja aberto ao contraditório com altivez.

No rádio paraense, Hamilton Gualberto, prá mim, ao lado do professor Cláudio Oliveira, é quem melhor analisa as jogadas de futebol. Perde o rádio e em especial a Rádio Liberal e o BOLA NA ÁREA.

Estou só na arte do jornalismo esportivo crítico com responsabilidade. Choro, mas não me quedo. Vou continuar sozinho, metendo o peito neste cipoal que é o futebol paraense.

Pelos caminhos da vida aprendi que quem pensa diferente é visto com reserva. É doido. No futebol não é diferente e a “vida tem ocultos caminhos”. O Hamilton não é doido e neste caminho vai se encontrar com gente do rádio e da TV que evitam falar no seu nome.

O pessoal da RBA (alguns), o "cara remelenta", o "Patinho Feio" vão ser obrigados (se não o entrevistarem) a falarem de bem ou de mal do dirigente remista.

Espero que os dois - jornalista e o cartola - não sejam um só. Sucesso, amigo "ex corde".
É o que há!

quinta-feira, 28 de julho de 2011

A GLÓRIA OU A PERDIÇÃO


Ele não é bem visto por grande parte dos “cardeais” remistas porque no programa BOLA NA ÁREA, da Rádio Liberal-AM, num domingo do mês de agosto de 2006, ele disse que “alguns remistas trocados por merda, o dono da merda tem prejuízo.”

Caiu em desgraça e os “donos” do Remo “armaram” em todas as eleições para que ele não vencesse eleição nenhuma no Clube. Num pleito ele obteve apenas 6 votos. Mas não desiste de um dia poder servir seu clube do coração como presidente.

Este remista é: Pedro Ernesto Vasconcelos Minowa, 72,casado, de descendência japonesa, que foi convidado ontem pelo presidente Sérgio Cabeça pra ser o diretor de futebol do Clube do Remo. E o convite foi aceito pelo “Nipônico”.

O “Anjo do Oriente” (criação do radialista Paulo Caxiado) chegou ao Remo em 1999, levado pelo advogado Hamilton Gualberto que o apresentou ao presidente Ubirajara Salgado.

Em 2002 Pedro Minowa tenta concorrer à eleição presidencial, mas a dupla concorrente era imbatível: Ubirajara Salgado e Ronaldo Passarinho. “Fiquei de fora”, confirmou Minowa.

Em 2004 encabeçou uma chapa e perdeu para Rafael Levy; em 2006 perdeu no Conselho para Raimundo Ribeiro; em 2008, nova derrota: para Amaro Klautau.

Diante das sucessivas derrotas, Minowa dá um tempo e se dedica a sua empresa e passar os finais de semana em Mosqueiro onde tem mansão.

Na conversa que teve com Cabeça, Hamilton Gualberto foi enfático em pedir a presença de Pedro Minowa no Baenão no que foi referendado pelo presidente azulino.

“Zé, estou feliz em servir o meu Remo e ao lado do meu amigo Hamilton Gualberto”, confirmou Pedro Minowa, que me faz lembrar versos do “Maluco Beleza” Raul Seixas:
“Todos os caminhos são iguais/O que leva à glória ou à perdição/Há tantos caminhos tantas portas/Mas somente um tem coração”.
É o que há!

quarta-feira, 27 de julho de 2011

BIGBENTUDO



Amanhã neste blogue: A GLÓRIA OU A MALDIÇÃO DE PEDRO MINOWA
É o que há e Boa-noite!

HAMILTON, VICE; PEDRO MINOWA, DIRETOR DE FUTEBOL DO CR


Advogado e jornalista Hamilton Gualberto conversou hoje de manhã com o diretor da Rádio Liberal-AM, Alex do Carmo, sobre licenciamento sem vencimentos do quadro de funcionários da emissora das ORM.

O assunto será analisado pelo DRH da empresa, e, com essa posição, é quase certa a posse de Gualberto no posto de vice-preaidente de Futebol do CR.

“Falta muito pouco, mas estou decidido a enfrentar mais este desafio na minha vida”, disse o conhecidíssimo e aplaudidíssimo jornalista esportivo, Hamilton Gualberto, ainda a pouco ao blogueiro.

À noite de ontem, Hamilton reuniu com o presidente Sérgio Cabeça e definiu a presença de Pedro Minowa como diretor de futebol do CR.
É o que há!

A HOMBRIDADE DE GIAN


“Se vocês ganharem do Paysandu terão R$ 70 mil como prêmio pela conquista do campeonato. Sendo R$ 50 mil do prefeito Sancler e R$ 20 mil meu”, prometeu o presidente do Independente, Delei Santos, á comissão técnica e jogadores no domingo pela manhã, no hotel.

Independente campeão. Ganhou do Paysandu nas cobranças de tiros livres diretos. Festa em Tucuruí.

Na terça-feira, 28 de junho, o prefeito Sancler entregou ao presidente Delei, na presença dos jogadores R$ 50 mil. “Está aqui a minha parte”, disse o prefeito.

Delei entregou ao capitão do time, Gian, o pacote e disse que era prá ele dividir entre os companheiros, e que os R$ 20 mil restantes seriam pagos posteriormente.

Gian disse que era melhor o presidente ficar com a cota do prefeito e que quando tivesse o todo entregasse a ele para a divisão.

“Não, Gian. Pega logo esses 50 e dividi somente entre os que estão aqui. Esquece Sinomar e os seus auxiliares,o Gaúcho e o Dida que eles não receberão porra nenhuma”, sentenciou Delei.

Gian, no ato, disse que não pegaria o dinheiro e que não concordava com a ideia de não pagar a comissão técnica e os dois colegas.

Delei chamou os demais jogadores à parte e entregou os R$ 50 mil para o meia Marçal, que aceitou a incumbência de fazer a partilha sem os dois colegas e a comissão técnica.

Delei ainda não pagou os R$ 20 mil que prometera e diz que não pagará àqueles que deixaram o “Galo” em busca de dias melhores.O troco virá...
É o que há!

terça-feira, 26 de julho de 2011

COBRANÇA

"Espero que este time caro saia do papel para o campo", foram as palavras do Luís Omar ao ser indagado pelo blogueiro à noite de hoje ao sair da Curuzu.

O presidente bicolor espera que o time se transforme no grande elenco que é no papel e ontem mesmo, no Mangueirão, Omar questionou o treinador Roberto Fernandes do porquê da permanência de Snadro Goiano no banco.

Entendia Luís Omar que com a técnica apurada do Sandro, ele poderua colocar os atacantes bicolores de cara com o goleiro Córdova.

"Preferi o Andrei pela velocidade e pegada forte que ele tem", respondeu o treinador que já sabe que o presidente bicolor cobra.

Amanhã neste espaço: Delei não deu sua parte na premiação dos campeões.
É o que há!

GRATUIDADE, A PRAGA


A cultura da gratuidade em campos de futebol, em Belém, é uma praga, que tem que acabar. Alguém tem que fazer alguma coisa. Do contrario, os clubes são os grandes prejudicados.

Ontem, 12.131 pessoas pagaram ingressos, enquanto que 2.716 pessoas entraram de graça.

Cheguei ao Mangueirão, ontem, às 17h30, quando bilheterias e portões não estavam abertos. O Olímpico é o único campo de futebol no mundo que tem cerca-cercando-cerca-que-cerca-cerca. É mentira? veja a foto que um grupo de "biqueiros" está dentro da área interna do estádio, esperando o "padrinho" autorizar a entrada para as cadeiras ou cabines de ímprensa.

Cadeirantes(nada contra esses) vão ao estádio acompanhados de um ajudante(quando estes deveriam pagar ingressos, mas não pagam) que, também, entram de graça. Quem tem direito é o deficiente, e não o seu ajudante.

Como senão bastasse o "assessor" entra de graça, os cadeirantes(na maior cara de pau) levam a tira colo outras pessoas. O coronel Cláudio, diretor de segurança do PSC, barra-os.

A grande maioria desses cadeirantes vai ao Mangueirão dirigindo seus carrões, adaptados às suas necessidades, mas prá entrar no estádio precisa de um ajudante, às vezes o próprio filho.

Tudo bem. A lei é prá ser cumprida. Porém, em Belém é abusivs essa gratuidade: O idoso vai aos estádios buscar o seu ingresso e vende logo na primeira esquina, como eu vi na Curuzu domingo de manhã. Isso tem que acabar.

Nas festas de aparelhagens, na periferia, este mesmo idoso paga R$ 15.00 ou R$ 30.009quando ele leva a "portquinha") e não chia, pois se não pagar não entra no BS(Baile da Saudade).
É o que há!

segunda-feira, 25 de julho de 2011

BIGBENTUDO

BONITO, NÉ, PAYSANDU?!


Quem foi ao Mangueirão prá ver o novo time do Paysandu, viu um Rio Branco com forte marcação em todos os setores e o lateral Ley sendo o nome do jogo.

No primeiro tempo o Estrelão acreano marcou o Paysandu no seu campo, avançando os alas Rogério e Ley, que não permitiram os avanços de Sidiny e Fábio Gaúcho. E aí travou o time bicolor.

Onzena comandada por Everton Goiano, jogando num 3x5x2, poderia ter saído do Mangueirão com vitória folgada sobre o time bicolor, pois desperdiçou duas jogadas em que Rossini e Juliano César ficaram cara a cara com o Alexandre Fávaro e chutaram prá fora.

Aos 28’ Ley avançou e sem marcação, de fora da área, chutou forte no ângulo direito, marcando um golaço: 1 x 0 Rio Branco.

Rafael Córdova, goleiro do Rio Branco, não foi exigido.

Aos 34’, Sidiny cobrou falta rasteira, houve bate-rebate da zaga do Rio Branco do que se aproveitou Josiel prá empatar: 1 x 1. E só.

No segundo tempo, o Paysandu tentou fazer o que o Rio Branco fez no primeiro tempo - avançou a marcação, mas o time bicolor se perdeu no excesso de passes errados e a visível ansiedade de todos os jogadores.

Os 3 zagueiros - Luciano, Rodrigo e Martoni - do Rio Branco sempre atentos foram aplicados na marcação.

O time do Paysandu apresentou muito pouco para um elenco que tem a mais cara folha salarial do grupo ou talvez de toda série C.

A torcida bicolor, nas arquibancadas queimou bandeira do clube, e vaiou o time ao término do jogo.

Paysandu volta a jogar dia 7 de agosto, no Mangueirão, contra o Águia de Marabá.

12.181 torcedores pagaram ingressos, proporcionando arrecadação de R$ 210.755,00.
É o que há!

CABEÇA FOI AO TRT


Descobri o porquê da decisão imediata do presidente Cabeça em demitir mais de 15 funcionários.

Além de ouvir alguns advogados ligados ao clube, Sérgio Cabeça foi ao Tribunal Regional do Trabalho(TRT,na Praça Brasil, e conversou com alguns magistrado(a)s sobre as condições trabalhistas de funcionários do clube que estavam sem receber vencimentos a mais de 40 meses.

Fonte fidedigna de crédito informa ao blogue que a magistrada Ida Selene orientou o presidente remista a demiti-los e que na "casa do índio" os acordos seriam feitos - bons para os ex-funcionários e bom para o clube.

Em breve, o Remo poderá ter o "Leão móvel".
É o que há!

QUE MANHÃ PAIDÉGUA!


Ontem fui convidado para almoçar no restô da Assembleia Paraense.

Antes passei no Baenão e produzir material com o comissão técnica e jogadores do Rio Branco, que chegaram às 11h.

Detesto esperar pelos outros(e não deixo ninguém a minha espera), mas me perdi no tempo papeando com confrade e amigo Lino Machado(RBA)e o advogado Marcos Pina("Magnata") que é um dos assessores do presidente Sérgio Cabeça.

Eu e Lino falamos do que "aprontamos" pelos campos de futebol nas décadas de 80 e 90, de CR, PSC, TLB, FPF, dos cartolas, dos chenzeiros, do monstro que há na imprensa esportiva do Pará(que é pior do que o pai, porque o pai respeitava amigos), do repórter-empresário que há no Baenão e o advogado Marcos Pina ouvindo nossas derrotas e vitórias.

"Tem repórter aqui que diz mesmo que 'não tem notícia, eu vou inventar' sem vexame", disse o "Magnata". Essa afirmativa de quem vive dentro do Remo vem de encontro com o que venho denunciando neste blogue e no BOLA NA ÁREA, da Rádio Liberal-AM.

O telefone chama: é o Hamilton Gualberto que está na Assembleia Paraense e que na portaria do prédio-garagem está autorização para que que vá àquele aristocrático clube.

Digo aonde estou e com quem estou e em seguida passo o telefone ao Magnata e o Hamilton estende o convite ao seu confrade de advocacia.

Faço o que tenho que fazer com o time do Rio Branco; entro no carro que vou no rumo da Almirante Barroso.

Depois de alguns minutos estou amesendado à beira da piscina, rodeado das "feras" do direito nesta terra: Marcos Pina, Oswaldo Serrão e Hamilton Gualberto(foto), e mais: Acácio(adora a Tânia Pimbinha), Djalma Chaves(advogado consagrado), Guto Age e o confrade Rui Guimarães, com quem eu nunca havia papeado, a não ser cumprimentos verbais.

Foi prazeroso ouvir coisas do arco da velha, como dizia minha Tia Maria: se no Basenão o papo tratou de reminiscências, no "deck" da pascina da AP, além de passado, rolou presente e futuro de política, de futebol, dos clubes, da ACLEP ao comando do Geo e do Nialdo, do rádio esportivo paraense, da liberdade de poder divulgar o que pensa e o que sabe(que não existe em sua essência na imprensa esportiva paraense)e dos MONSTROS que adoram derrubar colegas, pensando em viver bem com os chefes, e, finalmente, do convite do Sérgio Cabeça para que o Hamilton Gualberto assuma o Baenão. Tudo isso com uma visão da "tela panoràmica" onde estavam plasmadas as "porquinhas". Meu Deus!

Até a extradição da mulher de um narrador esportivo de Belém, na Copa de 2006, na Alemanha, foi ventilada: a "porquinha" do pousudo narrador foi flagrada na porta do estádio com a mala cheia de bugigangas da Amazônia.Ela espalhou na frente do estádio os produtos como camelê faz aqui no Brasil. Foi presa,pagou fianças( não sei quantos dólares) e em 24h foi deportada para o Brasil. Ele ficou lá com cara de égua, desmiralizado pera a imprensa brasileira e aqui é metido a barra pesada. Eu estava lá e fiquei sabendo da trambicagem desse pernóstico que pensa que critica Deus e o mundo na TV e não olha para o seu retrovisor.

Foi uma manhã de domingo ma-ra-vi-lho-sa! Obrigado, Hamilton.

A OPINIÃO DO BLOGONAUTA
ze só espero que o hamilton se aceitar o convite não entre com a mentalidade dos anos noventa,pois o futebol mudou muito.

veja o tonhao que meteu os pés pelas mãos ao trazer o givanildo.

curiosidade:o monstro que vc se refere e o pastor são aqueles que um nunca comentou rexpa em outras emissoras eo outro chora toda vez

que narra um jogo do paysandu? ambos pela mesm emissora? CB...?

ASS:DANIEL DUTRA SEU OUVINTE QUE APRENDE MUITO COM VC.(SEM PUXA SAQUISMO!)
É o que há!

domingo, 24 de julho de 2011

INDOMÁVEL, NEFANDO, IRREVERENTE, IMPOSSÍVEL, METICULOSO E INSTIGANTE..


INDECISÃO
Ao ser convidado pelo presidente do CR, Sérgio Cabeça, para ir a Ponta de Pedras, no Marajó, o advogado, jornalista diplomado, comentarista esportivo da Rádio Liberal-AM e colunista dos jornais AMAZÔNIA e O LIBERAL, Hamilton Gualberto recebeu convite para comandar o Departamento de Futebol do CR.
“Zé, confesso que fiquei honrado em ser lembrado pelo Cabeça, que está sozinho no barco azulino, mas havia 11 anos tomo essa “cachaça” gostosa que é o jornalismo para qual fui à UFPA buscar meu grau. A dona Beth me falou que estará ao meu lado pelo que eu decidir. Não sei, Zé, preciso conversar com o Alex do Carmo e o Ronaldo Maiorana”, confessou o Crítico dos Críticos.
Hamilton Gualberto já passou por essa experiência na década de 90(96,97 e 98) e, portanto, deve saber o que é lidar com jogador de futebol. À época ele não pensava em ser jornalista, mas, após a experiência, buscou, na academia, o diploma, e, portanto, não caiu de paraquedas na mídia.
Penso que ele deve fazer minudente reflexão, pois como jornalista esportivo “quem gosta ouve; quem não gosta ouve também”.

MEMEME I
“É verdade! Até o presente momento o presidente do Independente, Delei Santos, não pagou a mim e a comissão técnica premiação pela conquista do título de campeão paraense” (Técnico Sinomar Naves no BOLA NA ÁREA, da Rádio Liberal-AM, ontem)

MEMEME II
Além de Sinomar e outros membros da comissão técnica que trabalharam no “Galo”, jogadores Duda (goleiro) e Fábio Gaúcho (lateral),que assinaram com o Paysandu, também, ainda não viram a cor da “baba” prometida pelo cartola.

D-U-DU-V-I-VI-D-O-DO...
Durante o campeonato, alguns radialistas de Belém iam (até a pé) a Tucuruí para a cobertura dos jogos do Independente porque a “baba” do prefeito era farta e generosa.
Um “monstro” do radio local deu o traço num pastor e foi excomungado: quando o híbrido descobriu a mamata, foi de avião e o pastor de carro e teve que dividir o chen.
Hoje, o pastor caiu em desgraça e o “monstro” continua fazendo o que mais sabe fazer: maldade.
Quem se arvora a noticiar que o prefeito de Tucuruí e o Delei aplicaram o “João sem braço” na comissão técnica e nos dois jogadores?

INVEJA
Esse sentimento é uma praga e existe em todos os setores de atividade humana.
O Feliz é um jovem que vive no Paysandu pelo prazer de ser útil ao clube. Financeiramente, não precisa e nem faz “jogada” com empresários para ganhar dinheiro. Diferente de gente que vive dentro da Curuzu e que o Ricardo Rezende indagou na cara do camafeu: “Tu és diretor ou empresário?” O Popó espera por resposta até hoje.
Fizeram tanto que o Feliz está proibido de ir ao aeroporto receber jogadores contratados pelo clube.
Ontem, 19h, no Espeto do Orly, estavam Luís Omar e Feliz saboreando as delícias da casa, e pelo telefone Feliz tratava da contratação do goleiro Marcelo e a chegada do atacante Diogo Galvão. A agenda dele funciona.

RESERVADO
Sem nenhum trocadilho, o assessor do presidente bicolor está feliz porque Luis Omar delegou ao Feliz a incumbência de tratar com o gerente da TRIPP 3 voos “chaste” para Lucas do Rio Verde, Marabá e Rio Branco. Passagens para 27 pessoas
Feliz já acertou o encontro com o gerente da empresa aérea para amanhã, 26. Se tudo dé certo, Paysandu vai às cidades dos seus adversários em voos fretados.
É o que há!

sábado, 23 de julho de 2011

MUDANÇA DE POSTURA


Ao que parece Luís Omar, o presidente bicolor, está determinado a ter um diálogo amigável com àqueles que não toleram sua administração à frente do Paysandu.

Na eleição de Geraldo Rabelo, Omar e um dos membros da família Couceiro se agrediram fisicamente e desde aí não cruzavam os bigodes.

Por ocasião do lançamento do novo uniforme do Paysandu, dia 14, no segundo piso da sede social, Luís Omar e Antônio Couceiro trocaram cumprimentos e conversaram por alguns minutos sobre beneméritos que preencherão as três vagas que há no quadro de Grandes-beneméritos.

Couceiro aceitou o convite do presidente da diretoria bicolor a pedirá à secretaria do clube relação de beneméritos para fazer avaliação e, consequetemente, suas indicações. Foi o primeiro passo para conquistar aliakdo de peso.

Nas alturas, indo para Araguaína, Omar e Nahum, um dos mais radicais opositores da atual diretoria, se sentaram lado a lado e foram papeando até o fim da viagem.

No vestiário bicolor, presidente, jogadores, comissão técnica e o Nahum rezaram de mãos dadas, rogando por vitória bicolor. Aconteceu.

E no final da partida (1x 0 PSC), lá estava Nahum ao lado do presidente Luis Omar, rezando em agradecimento a Deus pela vitória do Papão.

Há quem diga que se o Paysandu fizer ótima campanha no brasileiro, Omar meterá toda a oposição no saco e dará o nó. Será? Penso que não! Mas, nada melhor do que "um dia após o outro" ou "uma conquista para obscurecer as mazelas”.
É o que há!

O MELHOR APITO DO PARÁ


Em menos de um ano, a nova Comissão de Arbitragem do Pará, vinculada a Federação de Futebol do Pará consegue colocar dois (2) árbitros no Quadro Nacional (CBF).

Joelson Nazareno Ferreira Cardoso, 32, paraense, casado, pai de dois filhos, religioso adepto de uma denominação pentecostal (foto) e Joelson Silva dos Santos foram aprovados nos testes (físico e teórico) realizados no mês de fevereiro na Escola Superior de Educação Física do Pará.

“Hoje (sábado) estou indo a Xinguara para apitar partida pelo intermunicipal e feliz porque fui aprovado nos testes da CBF. O “Gui” me comunicou e eu ouvi nas rádios a notícia”, disse joelson que espera, agora, a escolha para a primeira partida pelo brasileiro.

No quadro nacional da CBF o Pará, agora, tem cinco(5) árbitros de futebol: Dewson Fernando, Andrei Silva e Silva, Clauber José Miranda, Joelson Nazareno Ferreira Cardoso e Joelson Silva dos Santos.
É o que há!

sexta-feira, 22 de julho de 2011

TUDINHO


BRIGA DE MAMUTE
Na matéria da revista Piauí, que está nas bancas, Ricardo Teixeira, presidente da CBF, trata alguns seguimentos da imprensa esportiva brasileira de “traço” e de “quinta categoria”. Àqueles que o criticam, sistematicamente: UOL, FOLHA DE SÃO PAULO, SPN, LANCE e GLOBO NEWS.
Agora, alguns críticos do presidente do Comitê Organizador da Copa-2914 criaram o sítio WWW.foraricardoteixeira.com.br e está bombando. É o troco em cima da buxa
Por assim dizer, bem que por aqui pegava bem: www.forajaderbarbalho.com.br.

FESTEIRO E FOGUETEIRO
Afuá, uma das ilhas que compõe o arquipélago do Marajó (PA), em frente Macapá (40’ de barco a motor) está teitei de gente oriunda do vizinho Estado, está realizando o festival do camarão desde ontem.
A prefeitura contratou Fafá de Belém e Raça Negra para, com seus cantos, abrilhantarem as duas noites, ao custo de dinheiro público (não sei quanto), mas por menos de R$ 200 mil as duas consagrações da MPB (nacional e internacional) não deixam seus aposentos para cantarem em palcos armados sob as águas.
Enquanto isso, o coitado do afuaense quando está “baleado” vai prá Macapá se tratar porque no município não tem aonde cai morto.
O prefeito Mazinho é tão desonesto que não pagou os honorários de advogado belenense que patrocinou uma das suas defesas no STJ, em Brasília.

EQUIPAMENTOS
Atualmente, a Comissão de Arbitragem do Pará dispõe de um (1) sistema de rádio-comunicador (equipamento usado pelo árbitro para se comunicar com os assistentes).
A Federação está adquirindo mais dois e o Sindicato dos Árbitros um (1), que permitirá aos apitadores a utilização dos equipamentos em jogos na capital e no interior, simultaneamente.

SEM MEDO, MAS...
No desespero de não poder contar com a PM para o jogo de segunda-feira, no Mangueirão, o presidente do Paysandu, Luís Omar, disse que “o jogo aconteceria nem que fosse com a Guarda Municipal.”
A comandante da corporação municipal, Dra. Helen Margareth, disse ao blogue que “não é função básica da Guarda Municipal, mas temos que ser prudente:nós não temos medo do serviço, mas gostaríamos de ter tempo para planejarmos a segurança do jogo, no Mangueirão.”
Nestes tempos de alta temporada, o efetivo da GM está atuando, além de Belém, nas praias de Icoaraci, Outeiro e Mosqueiro.

NO BICO DA PENA
O governador Simão Jatene até o presente momento não respondeu aos anseios do presidente do Paysandu, que solicitou passagens e hospedagens para os jogos da terceira divisão e que, em contrapartida, jogaria no Mangueirão.
“Independente de sim ou não do governo, o Paysandu jogará no Mangueirão, porque acredito na nação bicolor. Ela vai nos ajudar a pagar o plantel”, disse Luís Omar.
Mensalmente, o Paysandu fatura de contratos publicitários: R$ 80 mil (Yamada), R$ 60 mil (FUNTELPA), R$ 50 mil (BANPARÁ), R$ 30 mil (CERPA) e R$ 50 MIL (Claro). Total: R$ 270 mil. (O da FUNTELPA está sendo dividido por 12 meses)
Se o time corresponder em campo, não há dúvida de que a fiel paga os caras. Do contrario... ”O Paysandu finge que paga e os caras fingem que jogam”.

EXPLICAÇÃO
Tudaoetudinho. blogspot.com é um blogue diferente, desajeitado e sem frescura. Se for erro, perdão, mas não me preocupo com os outros blogueiros, e qualquer um tem o direito de ter o seu juízo de valor sobre o blogue dentro de um padrão civilizado. E respeito, mas sou assim.
Sinceramente, não leio, não ouço quem não me dá prazer. Fujo do trivial, da mesmice, das futilidades e dos “ reis” do “achismo” É assim no tuíter @tudaoetudinho.
“Os fatos são sagrados; as opiniões são livres”. Então, quem desejar opinar sobre notícias postadas neste blogue mandem para gostosinho1950@oi.com.br que serão publicadas sem censura, porém, parágrafos curtos e objetivos.

VAIDADES
“Eu gostaria de ver a imprensa paraense passar um mês sem entrevistar dirigentes, só jogadores de futebol. Está aí o Cabeça sozinho no Remo.”(José Ângelo Miranda, vice-presidente da FPF).
Prometo que farei, a partir de hoje, levantamento sobre a questão na mídia imprensa.
É o que há!

quinta-feira, 21 de julho de 2011

DISK BIG BEN: 3201-3000

A OPINIÃO DO BLOGONAUTA

O Futebol foi criado há mais de 100 anos e, consequentemente, passou por inúmeras mudanças. Futebol é, sem dúvida, uma paixão mundial e principalmente para nós brasileiros. Existe a paixão de praticar o futebol. A paixão de torcer pelo futebol. A paixão de trabalhar com o futebol. Particularmente pratico essas três paixões.
Navegando pela internet em sites e blogs esportivos, tenho visto com muita freqüência uma espécie de "chororo" de alguns dirigentes e torcedores sobre as dificuldades de participar de campeonatos, a ausência de patrocinadores, uma suposta discriminação da imprensa e outros choros mais. Na verdade, vamos analisar por partes. Tem um ditado que diz o seguinte: "Quem não pode com o pote não pega na rodilha".
Futebol hoje é um investimento, um mercado com um potencial incrível para divulgação de marcas, empresas, uma fonte de - se souber explorar, ganhar muito dinheiro. Porém, para que isso se torne realidade, é necessário saber investir. Sou defensor que um clube de futebol é uma empresa. Tem sua gerência (presidente, diretores, supervisores) e seus colaboradores (jogadores, comissão técnica e torcida). A formação desta base é um dos pontos mais importantes para o sucesso no futuro. Uma empresa vai pra frente se for bem gerida, se der resultados a curto, médio e longo prazo. Justamente esse sucesso é que vai atrair mais investidores para a continuação do sucesso. Quem vai investir em uma equipe que não dá resultados? quem vai investir em uma equipe que não honra seus compromissos? Dificilmente alguém vai querer entrar em uma "barca furada".
Quando você vai a um banco pedir dinheiro emprestado, o gerente vai dar dinheiro a você porque você usou a sua linda voz? Claro que não. Você deve dar garantias para que o que ele vai lhe dar retorne de forma valiosa para ele. A mesma coisa acontece no futebol. Não basta você bater na porta de uma empresa e pedir patrocínio dizendo que tem lugar na camisa ou no calção para colocar sua marca. É muito mais do que isso. O pior é que no Pará ainda existe dirigente que espera que alguém vá bater na porta do seu clube oferecendo ajuda. Isso é brincar de fazer futebol.
Vou dar um exemplo real. Em 2009, o presidente do Cristal, clube de futebol do Amapá, convidou meu ex-patrão e amigo pessoal Dr. Moisés para assumir o clube, pois estava acabando seu mandato. Dr. Moisés é mantenedor da Faculdade IMMES na capital amapaense, e ajudava o Cristal com apoio Nutricional e Fisioterapia aos atletas do clube. Tudo bancado pela Faculdade, pois além de outros cursos a Nutrição e Fisioterapia ajudaram o Cristal. Meu amigo Dr. Moisés aceitou o desafio e me convidou para ser o diretor de futebol do clube. Também aceitei o desafio. Detalhe: Ele só aceitou porque tinha condições de "tocar o barco".
No ano de 2009 disputamos 3 competições: Copa do Brasil, Campeonato Brasileiro da Série D e Campeonato Estadual. Para começo de conversa, pegamos o clube sem 1 bola para treinar. Com a ajuda de ex-diretores do clube montei um mini livro com a história, ídolos do passado, situação atual, perspectivas para o futuro, os objetivos da nova diretoria e fui atrás de patrocínios. Cheguei a fazer mais de 100 ligações por dia para patrocinadores, fabricantes de material esportivo, etc. Certo dia meu celular toca e era a representação da KAPPA (Fabricante de materiais esportivos multinacional) no Brasil – São Paulo, dizendo que haviam gostado muito do documento que havia enviado a eles, para que patrocinassem o clube no ano de 2009. Foram vários telefonemas. Expliquei nossos projetos e eles aceitaram patrocinar o clube. Recebemos 8 jogos de camisas oficiais (1º e 2º uniformes completos), 100 jogos de uniforme de treino, 50 coletes para treino, 50 sacolas para viagens, 50 jogos de uniforme para viagens e concentração. Foi a primeira vez na história do futebol amapaense que uma multinacional e patrocinadora de vários clubes (na época era patrocinadora do Botafogo-RJ, Águia-PA, Roma-ITA) patrocinava um clube amapaense.
Conseguimos, também, patrocinadores regionais, inclusive patrocinadores quem bancaram todas as passagens aéreas para nossos jogos fora de Macapá (25 passagens por jogo), onde jogamos em São Luis-MA, Palmas-TO, Manaus-AM e três vezes em Santarém-PA. Nossa presidente – o clube, bancou todas as despesas de hospedagem, alimentação e translados (uma média de R$8 mil por jogo fora de Macapá). Tudo isso foi conquistado com PLANEJAMENTO e ORGANIZAÇÃO. Resultado? Chegamos às quartas de final da competição brasileira da série D, onde fomos eliminados pelo campeão São Raimundo-PA – na cidade de Santarém, pelo placar de 2x0. Mesmo assim, em jogo disputadíssimo. Apesar da eliminação fomos elogiados pelo trabalho que fizemos, pois nunca uma equipe amapaense havia chegado tão longe em uma competição. E ainda me lembro, como se fosse hoje, da grande maioria da imprensa, no dia da nossa apresentação, falar que éramos inexperientes, que não chegariam os a lugar nenhum. Chegaram a dizer que o presidente e eu nunca chutamos uma bola, e queríamos fazer futebol. Um dos melhores comentaristas do futebol brasileiro – PAULO VINICIUS VASCONCELOS, da ESPN Brasil nunca foi jogador, e é um dos melhores comentaristas do Brasil. JOSÉ MOURINHO nunca foi jogador, e é o melhor técnico do mundo. Exemplos que basta ter um pouco de conhecimento para dar certo em qualquer situação.
Isso tudo conseguimos para um clube muito pequeno, sem expressão no futebol nacional. Por que os clubes daqui não conseguem? Será mesmo por discriminação? Será mesmo por que só olham para os grandes Remo e Paysandu? Ou será porque não sabem fazer? Como disse não basta dizer que tem espaço para publicidade. Tem que justificar e mostrar como será o retorno do investimento.
Infelizmente ainda existem torcedores e principalmente dirigentes com o pensamento que pessoas com dinheiro tem que dar dinheiro ao clube. Por favor! O que falta é investimento nos clubes. Falta contratar funcionários bem remunerados para gerir o futebol. Um clube deve ter funcionário remunerado na parte de marketing, justamente para atrair investidores para o clube. Uma consultoria de um bom advogado, para evitar lambanças como a ocorrida recentemente com Remo e Paysandu. Os clubes assinaram com uma rede de lojas dando a ela exclusividade na comercialização de produtos do clube. Depois assinou com outra para a comercialização de aparelhos celulares com a marca Remo e Paysandu. Como iriam comercializar nesta se já tinham firmado com outra empresa? Resultado: Um dos patrocinadores já disse que não vai renovar o contrato. Duas equipes profissionais comportando-se como amadoras. Tem que contratar gerentes de futebol para saber organizar o departamento de futebol de um clube, minimizando as despesas e maximizar os resultados. Se continuar com o pensamento de 50 anos atrás é melhor de mudar de lugar e ficar atrás do alambrado torcendo nas arquibancadas.
O futebol paraense, como em outros Estados brasileiros, os dirigentes brincam de futebol. Se dizem profissionais, mas na verdade são um amadorismo melhorado. Profissional mesmo só tem o registro na CBF, pois na pratica é totalmente diferente.
Tem muita, muita gente que está brincando de dirigir futebol. E como diz o ditado quem não pode com o pote não pega na rodilha. Ou aquele popularmente brasileiro: Não se meta na política sem dinheiro.
O mais engraçado é o que ouvi e li recentemente. Existem pessoas que estão doidinhas querendo mudar o estatuto de um clube de futebol de Belém. E o pior, são pessoas que já dirigiram este clube profissional. O motivo? O motivo justificado é que o estatuto é ultrapassado. Ultrapassado, na verdade, são pessoas com este pensamento. São pessoas que não sabem interpretar corretamente um texto e o código civil brasileiro. Fazendo este tipo de coisa, vão estar perdendo justamente uma coisa essencial no futebol: a união de seus dirigentes, associados e torcedores. Essas pessoas vão cair do cavalo, pois os verdadeiros torcedores, dirigentes e conselheiros não vão permitir este tipo de atentado ao clube.
Futebol é organização, planejamento, controle e união. E o que se investe não se pode querer resultados imediatos. As vezes é um resultado a médio e longo prazo, e não a prazo imediato como muitos querem. É preciso dar tempo ao tempo, para colher excelentes frutos e lucros no futuro.

Luiz Paulo F Pina
Gerência, Supervisão e Logística de Futebol Profissional
Belém-PA e Macapá-AP
luizpaulopina@yahoo.com.br
luiz_paulo_pina@hotmail.com
91 83040741 - 24h

IRMÃOS MAIRONA FORAM INOCENTADOS

Em decisão exarada hoje de manhã, excelentíssimo juiz da 4ª Vara Federal do Pará, Dr. Antônio Carlos Almeida Campelo, inocentou Rômulo Maiorana Jr e Ronaldo Maiorana da ação impetrada pelo Ministério Público Federal de crime contra o sistema financeiro brasileiro.

Ao analisar o processo, o magistrado “não viu crime, porque não houve prejuízo ao sistema financeiro brasileiro", e, portanto, extinguiu o processo.

Os consagrados e respeitadíssimos advogados Jorge Borba e Osvaldo Serrão patrocinaram, juridicamente, a causa. São Feras!
É o que há!

Ô PERSEGUIÇÃO!

A revista PIAUÍ, que está nas bancas, publica matéria com o presidente da CBF, Ricardo Texeira, em que ele afirma que quem o persegue é a imprensa "traço" e de "quinta categoria".

O cartola-mor do futebol brasileiro, que havia 22 anos está no comando da CBF e hoje é o presidente do Comitê Organizador da Copa-2014, no Brasil, desanca prá cima do UOL, FOLHA DE SÃO PAULO, LANCE, SPN e GLOBO NEWS que não dão sossego ao presidente cebefiano.

Desde às primeiras horas desta quinta-feira está no ar o sitio www.foraricardoteixeira.com.br e já está bombando com críticas ácidas prá cima do todo-poderoso cartola do futebol brasileiro, que pretende ser presidente da Fifa. E vai ser, porque quem assim deseja é o "passado na casca do alho", João Havelange.

"Se o Ricardo realizar uma excelente copa no Brasil, ele será o próximo presidente da Fifa", diz ex-sogro, João Havelange, o homem que continua arquitetando mudanças na entidade que manda no futebol mundial.

Assim como no futebol, na política brasileira está enfestada de corruptos e bem que poderia aparecer um sitio: www.forajaderbarbalho.com.br.
É o que há!

NÃO HÁ SERIEDADE NOS CLUBES


Começo a entrevista com o vice-presidente da Federação Paraense de Futebol, José Ângelo Miranda, indagando se há seriedade no futebol profissional do Pará.

-Zé, quando o Nunes me convidou prá ser um dos vices disse a ele que iria,mas desejava dá transparência às atitudes da Federação, e ele aceitou. Conversei com funcionários e disse a todos o que queria e me apoiaram; Na arbitragem a mesma coisa e deleguei poderes ao Guilhermino que está correspondendo,disse Zé Ângelo, afirmando, ainda, que chamou os dirigentes dos clubes e conversou com todos sobre confecção e venda de ingressos.

Zé Ângelo disse que não há interesse dos clubes em moralizar o fluxo de entrada de torcedores nos campos da Curuzu, Baenão e Mangueirão. “É só recontar os canhotos que são colocados nas urnas, e no Mangueirão dei a ideia de se colocar câmeras das 12 às 18h nos portões de acesso quando dos jogos, mas não há interesse dos clubes”, afirmou o vice-presidente.

Desde que chegou a FPF, as contas da entidade são publicadas em Diário Oficial do Estado e auditadas por contadores independentes contratados pela federação e os 25 funcionários da entidade têm seus direitos garantidos conforme lei trabalhista do país e que os que vão aos estádios trabalhar na confecção do borderô são remunerados pela Federação.E não pelos clubes como era até bem pouco tempo.

-Já conversei com o presidente Nunes e mostrei a ele a necessidade da contratação de um executivo para estar na FPF nos dois expedientes. E nós já estamos procurando este profissional, e assim será na comissão de arbitragem: vamos remunerar quem comanda o departamento e os assessores.

Anualmente a CBF faz avaliação dos árbitros brasileiros e este ano o apito paraense ficou em segundo lugar em todo o Brasil nos testes físicos e teóricos, perdendo para o do Rio Grande do Sul. E ontem Guilhermino ficou sabendo que o Pará tem mais dois apitadores no quadro nacional - Joelson Nazareno e Joelson Silva.

O departamento de árbitro hoje está moralizado, e novos equipamentos (rádios comunicadores) estão sendo adquiridos: hoje, só tem um, mas, mais 3 foram comprados.São equipamentos essenciais à comunicação entre o árbitro e os assistentes.
O campeonato de 2012 já está sendo negociado com uma agência que venderá placas - propagandas estáticas - nos campos de futebol. O dinheiro será dividido entre federação e clubes.

Ao final da reportagem, Zé Ângelo confessou que foi ao Tribunal de Contas do Estado (TCE) saber dos auditores daquele órgão se o dinheiro que CR e PSC recebem da FUNTELPA poderia ser repassado 35% para as divisões de base, e que este blogueiro o criticou asperamente. “Fui, sim, porque é dinheiro do contribuinte, mas me disseram lá que a FUNTELPA compra produtos de Remo e Paysandu e ninguém tem o direito de meter o bedelho no que eles fazem do dinheiro, mas continuo com a minha opinião de que os clubes deveriam aplicar parte deste dinheiro nas divisões de base”.

Então, eu tinha razão em dizer no BOLA NA ÁREA que você não deveria imiscuir-se no dinheiro que não é seu? Indaguei.

-Você tem, sim, mas eu tenho o direito de continuar com a minha ideia.

No dia 15 de janeiro de 2015 Zé Ângelo Miranda passa o bastão a outro e se dedicará a tocar sua vida como dono de um pequeno escritório de venda e representação.

Ao final da reportagem, ele chama minha atenção para uma reflexão: o time do Paysandu custa R$ 420 mil(ou mais) e o clube arrecada de propaganda R$ R$ 240 mil/mês.
É o que há!
´
p.s.: Esta matéria está sonorizada e será exibida sábado(10 às 12h) e domingo(19 às 21h) no programa BOLA NA ÁREA, da Rádio Liberal-AM.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

DISK BIG BEN: 3201-3000



José Ângelo Miranda, vice-presidente da FPF, falou ao blogue sobre suas atividades à frente da tesouraria e da comissão de arbitragem da entidade.

"Zé, não ganho dinheiro na FPF, mas é prazeroso trabalhar pelo futebol paraense", disse Miranda.

Mais detalhes amanhã, neste blogue.
É o que há e Boa-noite!

O PARÁ TEM NOVOS ÁRBITROS NO QUADRO NACIONAL

Presiente da Comissão Nacional de Arbitragem, Sérgio Correa, solicitou ao presidente da comissão parsaense, José Guilhermino de Abreu, documentação dos árbitros Joelson Nazareno da Silva e Joelson Silva Santos e dos assistentes Luís Diego e Greiciane Botelho.

A documentação será encaminhada pelo malote na manhã desta quinta-feira, e os apitadores farão parte do quadro nacional a partir do momento que a CBF fizer a divulgqação no seu sitio.

No quadro Nacional da arbitragem o Pará tem: Dewson Fernandes, Andrei da Silva e Clauber José Miranda; os assistentes são: Márcio Gladson, Lúcio Ipojucan, José Coimbra, Eronildo Freitas e Diogenes Serrão.

com a aprovação dos dois árbitros - Joelson Silva e Joelson Nazareno - o Pará passa a teer cinco(5) apitadores no quadro naciona e sete(7) bandeiras.

RAUL TAMBÉM MERECE


Bastou este blogueiro tuítar que Ricardo Rzende, Rui Sales e Luís Omar merecem a honraria de grandes-beneméritos bicolores para pipocarem "emeios" na minha caixa.

Rui Sales e outros bicolores reconhecem o quanto Raul Aghuilera Filho(foto) merece ser indicado para uma das vagas da mais alta benemerência do clube.

O assunto vai render e outros bicolores também merecem ser agraciados pelo muito que tem feito ao clube que deu as maiores glórias para o futebol da Amazônia.

COUCEIRO QUER RELAÇÃO

Grande-benemérito bicolor, Antônio Diogo Couceiro, solicitará à secretaria do Paysandu relação dos beneméritos do clube.

“Diante do pedido do presidente Luís Omar, preciso ter em mãos essa relação para que eu possa fazer avaliação de quem é quem. Mas, te garanto que pelo estatuto atual, o agraciado tem que ter dez (10) anos de benemerência e bons serviços prestados ao clube”, disse Couceiro.

Couceiro está se valendo do que diz o atual estatuto do Paysandu. Mas, a “constituição” bicolor está sofrendo modificações desde o qüiproquó que foi a eleição que referendou Luís Omar presidente da diretoria.

EMPRESÁRIO NÃO COMPARECEU À CPI

Por três (3) vezes o empresário de jogador de futebol, Romildo Borges, “Batata”, foi convidado a comparecer à CPI do Tráfico de Humanos da Assembleia Legislativa do Estado do Pará (ALEPA) a fim de prestar esclarecimentos sobre suas atividades profissionais no Estado do Pará.

“Batata” foi responsável pela ida de quatro adolescentes paraenses para a Portuguesa Santista e que a Procuradoria daquela cidade constatou que houve crime de tráfico de humanos.

O presidente da CPI, deputado João Salame (PPS), recebeu da Promotoria da cidade de Santos, interior paulista, toda a documentação que incrimina Romildo Borges como falso empresário.
É o que há!

terça-feira, 19 de julho de 2011

A OPINIÃO DO BLOGONAUTA

Boa Tarde meu amigo,

Já falei sobre o assunto Ginásio Serra Freire, do Clube do Remo. Gostaria de reforçar e aumentar ainda mais meus elogios ao Mais Querido, e ao Max Fernandes pelo brilhante trabalho desenvolvido. Acabei de assistir a reportagem no Globo Esporte e a obra, realmente, é de dar orgulho a todos nós Remistas.
Quem viu o Ginásio completamente abandonado e vê agora, ninguém diz que é o mesmo. Farei o possível para poder ajudar esta empreitada e convido, através deste blog lido diariamente por centenas de Remistas que ajudem também. O Remo não é só futel. Não é Futebol do Remo. É Clube do Remo.
Que eu saiba que eu me lembre, o primeiro clube a fundar uma associação de ajuda ao clube foi o Remo - através da ATAR (Associação de Torcedores e Amigos do Remo). Depois vieram outras como a ATAT (Associação de Torcedores e Amigos da Tuna). Então, aproveito este espaço para fazer a seguinte pergunta:
Não seria hora dos Tunantes seguirem o exemplo do Remo, e formar uma comissão para reformar o Ginásio Miranda Sobrinho? O Ginásio está "caindo aos pedaços". Seria hora dos tunantes se unirem nesta casa.
Na minha opinião, a SEEL poderia ajudar, especialmente enquanto o Angelo Miranda esteve por lá, afinal de contas o Ginásio da Tuna leva o nome de seu pai.

Abraços do leitor, ouvinte e internauta,

Luiz Paulo F Pina
Gerência, Supervisão e Logística de Futebol Profissional
Belém-PA e Macapá-AP
luizpaulopina@yahoo.com.br
luiz_paulo_pina@hotmail.com
91 83040741 - 24h
96 81290627 - 24h
91 32125497 - comercial
91 32295726 - residencial

O PRESIDENTE QUER CONSENSO


O presidente do PSC, Luís Omar, deu a largada para a escolha dos três Grandes-Beneméritos que preencherão as vagas existentes com os passamentos de Raul Aguilera, Arnaldo Moraes e Miguel Alexandre Pinho.

Como foi noticiado por este blogue, na quinta-feira, 14, por ocasião do lançamento do novo uniforme bicolor, Omar conversou com o grande-benemérito, Antônio Diogo Couceiro, sobre o preenchimento das três vagas.

Couceiro se colocou a disposição do clube: “Sou Paysandu e estou a disposição do clube para colaborar como de sempre estive quando acionado para ajudar o Paysandu”, confirmou Couceiro.

O ex-presidente bicolor, Rui Sales, tem concepção diferente e diz que está em consonância com o atual estatuto do clube: “A competência de escolha é do Conselho Deliberativo do clube”, e concluiu dando exemplo: ”Se um benemérito indicar o Ricardo Rezende, o CONDEL reúne e escolhe três conselheiros que formaram uma comissão para analisar os feitos do Ricardo dentro do clube, e a comissão produz relatório, aprovando ou não a indicação e passa ao CONDEL. Este, com 2/4 dos conselheiros presentes, concede ou não a honraria. É assim que é feita a escolha.”

O presidente do CONDEL, Ricardo Rezende, informou que o estatuto do Paysandu está sendo modificado, mas confirmou que é competência do Conselho Deliberativo a escolha dos novos grandes-beneméritos.

Hoje, o Paysandu tem sete que ostentam a maior honraria bicolor: Asdrúbal Bentes, Joaquim Ramos, Manoel Acácio, Antônio Couceiro, Abílio Couceiro, Antônio Carlos Trindade e Jorge Mubarack.

O presidente da diretoria, Luís Omar, deseja que estas honrarias sejam numeradas, como são as cadeiras das academias. O primeiro Grande-benemérito bicolor foi Fausto Soares.

Penso que o Luís Omar está correto em conversar com Antônio Couceiro sobre os nomes que deverão ir à apreciação do CONDEL. Além de Couceiro, o presidente deve aglutinar em torno do assunto todos os “cardeais” bicolores como Rui Sales, Ricardo Rezende, Olívio Câmara, Antônio Carlos Pontes, Sérgio Chermont,Professor Gemaque, Toninho Assef, os sete grandes-beneméritos, todos os 40(não sei a quantidade exata) beneméritos para que os escolhidos sejam nomes que tenham identificação com o clube.

E um desses é de Ricardo Rezende. A indicação não é do blogue. Mas é uma realidade.
Não importa para o blogue o juízo de valor que poderão fazer; o que vale é o fato. E este é evidente. Foi Ricardo Rezende quem salvou Luís Omar quando mais ele precisava de dinheiro... Recentemente.

Há quem diga que Rezende pretende se eternizar no PSC, mas, a bem da verdade, tem sido ele, nas horas dificeis do clube, quem mete a mão no bolso...

PRESIDENTE ANUNCIA ZAGUEIRO

Lenadro Camilo, que estava no interior paulista, chega nesta terça-feira pra defender o Paysandu na terceirona.
É o que há!

segunda-feira, 18 de julho de 2011

ALVÍSSARAS!

O Paysandu fez 1 x 0 contra o Araguaína, aos 44' do 1º tempo,Fábio Oliveira de pênalti, e Rafael Oliveira e Robinho desperdiçaram varias oportunidades, no segundo tempo.

O Papão foi melhor no 1º tempo, e no 2º, mesmo com 10 jogadores à partir dos 26'(Rodrigo Pontes foi expilso), os bicolores com a zaga bem postada suportaram as investidas do time do Tocantins, e nos contra-ataques os bicolores sempre levavam perigos ao arco do goleiro Jonilton.

Prá quem não havia vencido fora de casa, no início da competição, Paysandu é outro...

Agora, o bicolor paraense volta a jogar segunda-feira, no Mangueirão, contra o Rio Branco(Acre).

E a torcida tem a obrigação de apoiar o time!
É o que há!

DISK BIG BEN: 3201-3000

GREVE NO BAENÃO

Sexta-feira a direção do CR, após receber cota do governo estadual, pagou jogadores e funcionários - pelo menos em parte.

Tindô, treinador das divisões de base, não recebeu e botou a boca no mundo;"Se não me querem mais aqui me mande embora e paguem o que me devem."

Tindô e outros funcionários cruzaram os braços, hoje no Baenão!
É o que há!

O CÉREBRO HUMANO E O FUTEBOL


DEPOIS de JOGO SUJO, estou seduzido pelo neurocientista brasileiro Miguel Nicolelis: MUITO ALÉM DO NOSSO EU (Companhia das Letras).

Adoro ler. Sou leitor compulsivo. Antes de dormir, leio. Minha maior riqueza material são os meus 400 volumes que estão expostos nas minhas estantes da sala da minha humilde e despojada casinha. A minha cama não tem espaldar, tem estante. Leio o que me dá prazer.

O que me chamou atenção na obra de Nicolelis foi o título porque se “a alma humana é tão misteriosa que tudo é possível”, imagine o cérebro - máquina fantástica, estudada e analisada pelo consagrado, premiado e internacionalmente conhecido neurocientista brasileiro, que dirigi o laboratório da Universidade de Duke nos Estados Unidos. Brasileiro prá lecionar na terra do Tio San tem que ser "fera".

No livro, “ele explica como a tão sonhada conexão entre cérebro e máquina está prestes a se tornar realidade”. É uma leitura prazerosa.

Na página 428 está o capítulo COMPUTANDO COM UM CÉREBRO RELATIVÍSTICO, onde ele foi buscar no quarto gol da seleção canarinho contra a Itália, na Copa de 70, no México, a interatividade de oito (8) jogadores brasileiros, em 30’, para definir interação dos neurônios e dos circuitos cerebrais, que resultou numa das belezas plásticas mais bem trabalhada do mundo da bola. E eles não combinaram nada: Tostão, Piazza, Gerson, Clodoaldo, Rivelino, Jairzinho, Pelé e Carlos Alberto (foi tostão, que estava á frente de Pelé, quem avisou que o Carlos Alberto chegava pelo lado, num espaço sem marcador - Tostão estava marcado). Resultado: GOOOOOOOOLLLLLLLLLLLLLLLLLLL!!!

“Trinta segundos de passes sem interrupção. Oito jogadores tocando na bola e nenhum deles tendo a menor ideia de qual poderia ser o resultado fina,l de sua interação com os outros companheiros de time. Aquela sequência inesquecível de movimentos corporais, e o placar final de 4 x 1 que ela decretou, demonstra o poder incalculável dos comportamentos emergentes de um sistema dinâmico complexo. Não importa quão capacitados e inteligentes fossem aqueles jogadores individualmente, a jogada que eles engendraram juntos jamais poderia ter sido predita ou planejada a a priori - na realidade, essa jogada simplesmente emergiu da atividade motora voluntária combinada de todos, em centenas de milissegundos, muito antes de se transformar em um pensamento consciente.”

Qual técnico de futebol tenta explicar tal interação? Eles treinaram para executar?
Igual ao autor, a obra é cerebral e num dos capítulos mostra “O monstro que vive escondido no cérebro”.

Estou me esforçando para fazer levantamento sobre as maldades de um “monstro” que há no rádio esportivo paraense. O mesmo que quando “monstrinho” ia ao escritório do engenheiro Antônio Couceiro buscar instrumentos de acessibilidade ao pai, e recentemente disse que “Antônio Couceiro está morto nas paradas”. Os monstros vivem prá fazer maldade. Além de híbridos são desmemoriados.É o mesmo que quiz me matar porque discordei dele, mas o abracei e perdoei.
É o que há!

domingo, 17 de julho de 2011

DISK BIG BEN: 3201-3000



AMANHÃ NESTE BLOGUE: 30' E OITO(8) JOGADORES

FINANCEIRAMENTE, SÓ PREJUÍZO

Pagando prá jogar em casa, Águia de Marabá vence Luverdense por 1 x 0 (série C)

Com prejuízo de R$ 5.318,87, São Raimundo(Santrém) joga no Mangueirão e perde para Sampaio Correa(MA)por 2 x 1.(D)

Em Macapá, o campeão Paraense,o Independente, perdeu de 2 x 1 para o Trem(D).

Nesta segunda-feira, 18, o Araguaína recebe o Paysandu. Pelo investimento no elenco, o bicola é a maior esperança do futebol paraense em ascender à segunda divisão!
É o que há!

INDOMÁVEL,NEFANDO, IRREVERENTE, IMPOSSÍVEL, METICULOSO E INSTIGANTE!



REMISMO I
Vice-presidente jurídico do CR, Ronaldo Passarinho, havia prometido que o seu departamento não movia uma palha para resolver problemas de contratos de atletas com o clube.
É que o Departamento Jurídico não foi consultado na hora de assinaturas de contratos entre clube e jogadores, e isso causou desconforto entre os causídicos que advogam para o Remo.
Zagueiro Raul cobra do Remo R$ 1,3 mi No TRT, em Belém, e o presidente Sérgio Cabeça, sem saída, foi ao encontro de Passarinho e conversaram sobre o processo do zagueiro.
“O meu remismo está acima de tudo e o DJ vai trabalhar na defesa do clube”, disse Ronaldo Passarinho.

Remismo II
Se os contratos dos atletas do DF não passaram pelo DJ e deixou Ronaldo Passarinho trombudo, no “Serra Freire” Max Fernandes ameaçou deixar o comando das reformas porque camafeus não querem mudanças na quadra do ginásio.
A velha quadra media 16x28(fora dos padrões oficiais), e Max mandou arrebentar tudo e dotar o novo piso de Ipê dentro das medidas oficiais: 20x40. E essa medida servirá para que jogos de basquete, vôlei, futsal e handebol sejam disputados no “Serra Freire”.
Foi preciso Cabeça conversar com Max, e este continua à frente das reformas do ginásio que em dois meses estará apto para as diversas modalidades.

GRANDES-BENEMÉRITOS
Eram 10. Morreram 3. O primeiro Grande-benemérito bicolor foi Fausto Soares.
Asdrúbal Bentes, Manoel Acácio, Joaquim Ramos, Antônio Couceiro, Abílio Couceiro, Antônio Carlos Trindade de Moraes e Jorge Mubarack são os GB bicolores vivos.
Morreram: Raul Aguilera, Miguel Pinho e Arnaldo Moraes.
O papo do presidente Luís Omar com Antônio Couceiro por ocasião do lançamento do uniforme bicolor, quinta-feira,14, na sede, girou em torno dos critérios para escolha dos 3 novos Grandes-beneméritos do clube.
“Pedi ao Couceiro que ele nos ajude na elaboração do novo estatuto do clube na parte dos GB, pois entendo que prá chegar a este posto o agraciado tem que ter realmente relevantes serviços ao clube. Não será por “QI” (quem indica) e essas vagas serão numeradas como é na Academia Paraense de Letras”, disse Luís Omar.

MANGUEIRÃO
“Se o governador não acatar nossa solicitação, o Paysandu jogará no Mangueirão porque podemos cobrar preços acessíveis ao torcedor. E este tem que apoiar o time”, Palavras do presidente bicolor no programa BOLA NA ÁREA, da Rádio Liberal.
Há informações extra-oficiais de que o governador Simão Jatene não cederá às exigências do Papão para jogar no “Edgar Proença”.

TIME
Alexandre Fávaro; Sidiny, Márcio Santos, Wagner e Jean; Rodrigo Pontes, Charles Wagner, Robinho e Fábio Gaúcho; Luciano Henrique e Rafael Oliveira. Este deverá ser o time do Paysandu para o jogo de amanhã contra o Araguaina, amanhã, 20h30.
Wellington, no treino de ontem, sentiu dores na coxa direita e por isso o fisioterapeuta Jr. Furtado acompanhará a delegação bicolor prá cuidar do atleta.
Parte da delegação bicolor deixou Belém no início da noite de ontem: Cristovão (roupeiro), Ivã (enfermeiro), Afonso (P.goleiros), Felipe (A.imprensa) e Lecheva (coordenador).
Jogadores, treinador e dirigentes irão de avião.
É o que há!

sábado, 16 de julho de 2011

A VOLTA DE GRANDES BICOLORES


Antônio Carlos Trindade (benemérito) e Antônio Diogo Couceiro (grande-benemérito) bateram ponto na festa de apresentação do novo uniforme bicolor que aconteceu quinta-feira, 14, à noite, no segundo piso do palacete alvi-celeste.

Os dois, destacados bicolores, foram bastantes cumprimentados pelos presentes e, em dado momento, o presidente Luís Omar ficou frente a frente com Couceiro e o papo foi demorado.

VÂNDALOS E BANDIDOS
Micro-ondas, portas, cortinas, janelas e lâmpadas foram destruídos dos apartamentos onde moravam os ex-jogadores do Clube do Remo, o goleiro Lopes e o zagueiro Paulo Sérgio.

Os imóveis foram alugados pelo ex-diretor Sérgio Dias, mas com responsabilidade de pagamento pelo clube.

Os proprietários dos apartamentos cobraram e o presidente Sérgio Cabeça pagou R$ 6000

Agora, Cabeça está propenso levar à justiça os dois jogadores para que o clube possa ser ressarcido.

BOLA NA ÁREA
Às 10h de hoje na Rádio Liberal!
-Carlinhos Dorneles!
-Max Fernandes!
-Representante da Lotto!
-Agripino Furtaado(PSC)!
-Nelson Torres(CR)!
-Hamilton Gualberto!
Serão as atrações do programa!
É o que há!

O PODER DO RÁDIO, DO TUÍTER E UM CIDADÃO HONESTO


Telefonei às 20h.30 de ontem para o Luís Omar, querendo saber das últimas do Papão.

Quem atende identifica-se como sendo Alexandre e diz que achou o aparelho em uma das ruas do bairro do Marco.Ele pede uma prova da minha identidade.Digo que sou jornalista e que apresento o BOLA NA ÁREA, da Rádio Liberal.

Pronto! Está morta a parada: "Eu te ouço,Zeca.Vem na minha casa buscar o aparelho."

Fui ao barro do telégrafo e conheci um vigilante honesto.

O aparelho está com visor rachado(foto).

sexta-feira, 15 de julho de 2011

DISK BIG BEN:3201-3000



ATENÇÃO LUÍS OMAR!

A fim de saber de notícias sobre o PSC, acionei o número do telefone do presidente do Paysandu, Luís Omar, e do outro lado da linha um homem se identificou pelo nome de Alexandre.

Ato contínuo; Indaguei se era o telefone do presidente Luís Omar.

O tal Alexandre respondeu: - Este telefone foi arremessado e eu pegeui o aparelho. Estou querendio saber de quem é o telefone.

Respondi: - Este número é do presidente do Luís Omar, presidente do Payusandu!

Resposta: - Eu sou Remo! E desligou o aparelho.

Volto a discar, mas não atende.
É o que há!

O RECONHECIMENTO

Boa tarde meu amigo,

Gostaria de comentar e elogiar a matéria do blog falando sobre Max Fernandes e a reforma do Serra Freire. É louvável a atitude do Sr. Max Fernandes. Quem dera se todos os que se dizem Remistas fizessem pelo menos a metade do que ele está fazendo. Outro grande Remista é o Dr. Ronaldo Passarinho que mesmo sendo criticado, abraça a causa Remista. Cito estes dois Srs. porque eles possuem tempo para o Remo, tanto nas vitórias quanto nas derrotas. Remista que é Remista e se diz Remista, não diz que não tem tempo para trabalhar pelo clube. Quando se ama alguma coisa esse amor é incondicional.
Como já disse uma vez, eu repito: Se o Remo fosse jogar a série D no próximo domingo - será, mas será mesmo que os que abandonaram o Remo alegando falta de tempo teriam abandonado o Mais Querido? Perguntar não ofende.
Parabéns ao Sr. Max Fernandes e ao Dr. Ronaldo Passarinho. Esses são Remistas com R maiúsculo!!!!!

Grande abraço do amigo, ouvinte e internauta,

Luiz Paulo F Pina
Gerência, Supervisão e Logística de Futebol Profissional
Belém-PA e Macapá-AP
luizpaulopina@yahoo.com.br
luiz_paulo_pina@hotmail.com
91 83040741 - 24h
96 81290627 - 24h
91 32125497 - comercial
91 32295726 - residencial

O TAMANHO DA NOVA QUADRA


Por pouco, mas muito pouco mesmo, Max Fernandes não abandona o “Serra Freire”.

Presidente Sérgio Cabeça precisou ir urgente ao encontro do conselheiro remista que encabeçou movimento para a reforma da quadra do ginásio remista que havia sete meses estava abandonado desde que a cobertura foi toda reformada.

“Reformaram a parte de estrutura metálica, mas o essencial estava todo podre: o piso da quadra e precisa ser mudado e como nos doaram 800 mt de Ipê roxo vamos fazer uma nova quadra obedecendo os padrões oficiais”, disse Max a este blogueiro à tarde de ontem. Aí que se deu a discórdia.

A quadra velha do “Serra Freire” tinha medidas arcaicas: 26 x 16 e só era utilizada nas modalidades basquete e vôlei, e como foi necessário arrancar os tacos, Max Fernandes resolveu dotar o ginásio com as medidas oficiais: 40 x 20(e com a quadra ficando apta para Recber jogos de futsal, vôlei, basquetebol e handebol). Teve conselheiro (não me revelaram o nome) que criticou Max Fernandes de estar danificando o patrimônio remista.

Fernandes não gostou e, pelo telefone, disse ao presidente Cabeça que estava largando a obra.

Às 12h de ontem, na sede do CR, Cabeça e Max Fernandes reuniram e ao final tudo ficou resolvido para o bem do CR: Max vai continuar à frente das obras.

Além da quadra nova e padronizada, a iluminação perfeita, equipamentos de ultima geração serão adquiridos, pois alguns azulinos já prometeram ao Max as doações, como o advogado “Magnata” que doará uma tabela móvel.

Ontem Max Fernandes recebeu ligação telefônica de um azulino que mora em Brasília (Júlio Bezerra Jr.) querendo saber de uma conta para depositar R$ 500.00 para ajudar no pagamento dos operários que estão trabalhando na obra.

Prá trabalhar pelo clube são poucos, mas prá atrapalhar eles sempre aparecem como se fossem donos do Clube do Remo ou melhor: espírito de porco.
É o que há!

quinta-feira, 14 de julho de 2011

BONITA FESTA


Aconteceu nesta noite na sede social do PSC(foto).

Presiente Luís Omar e família recepcionaram sócios, beneméritos, grandes-beneméritos(Antônio Couceiro e Antônio Carlos Trindade), torcedores, jogadores e o treinador Roberto Fernandes.
É o que há!

PSC É MUITO FORTE...


...E não sabe a força que tem.

Numa quinta-feira,à noite, meado de julho(alta temporada), o segundo piso da sede social estava teitei de bicolores que assistiram ao lançamento do novo uniforma bicolor com a marca LOTTO.
É o que há!

ZÉ ÂNGELO, O MENTOR DAS MUDANÇAS


Quando chegou à FPF como um dos vices do presidente Nunes, José Ângelo Miranda sabia que dois departamentos eram a "caixa de pandora" da entidade: arbitragem e departamento financeiro.

No apito e na tesouraria as denúncias sistemáticas do repórter José Maria Trindade, no programa BOLA NA ÁREA, da Rádio Liberal, sobre os árbitros vendilhões e na tesouraria da Federação as ações nefandas das “ratazanas” Guilherme Salze, Iva e um tal de Edmilson, motorista da entidade, responsável pelo leva e traz dos ingressos dos jogos de futebol em Belém do Pará.

Num dia, na Estação das Docas, tive uma conversa com o Zé Ângelo e disse a ele tudo que sabia e que tinha convicção daquilo que eu denunciava no rádio. Por causa disso fui ameaçado de porrada por árbitros e um pau-mandado dentro da “Pororoca”. Não calei.

O Nunes nunca me contestou porque ele sabia (e sabe) o que se passava nos bastidores da entidade comandada por ele. Na FPF, Nunes era um Lula, que nunca viu (ou sabia) nada praticado pelos seus aliados. Os três - Salzer, Iva e Edmilson - simples funcionários da FPF eram os únicos a mudarem de carro todo ano.

Será que os rendimentos desses humildes funcionários da FPF são compatíveis com seus patrimônios? Salzer, Iva e Edmilson resistiriam a um “Big Brother” da Receita Federal?

Mostrei ao Zé aonde ele deveria colocar o dedo no suspiro. E colocou.

Antônio Carlos Nunes de Lima chama José Ângelo e disse: “Tome conta da tesouraria e da arbitragem”. Era o que ele queria.

Primeira medida: os ingressos deixam de ser responsabilidade da FPF e são dos clubes. Um parêntese: os jogos no interior são gerenciados pela FPF. E é aí que as “ratazanas” ainda se dão bem.

Na Comissão de Arbitragem, Zé conversa com José Guilhermino de Abreu que sabe quem é quem no apito paraense. Ângelo pede um projeto de mudanças e o “Gui” não titubeia.

O projeto consistia na mudança de postura dos apitadores e para isso ele precisava ter carta branca para atuar, e teve irrestrita solidariedade do vice-presidente.

Sem alarde, sem acusar, Guilhermino conversou com os três apitadores de maior prestigio no apito paraense: Domingos de Jesus Viana, Kleber Ribas e João Pedro Duarte Ferreira. Os 3 pertencentes ao quadro nacional da CBF. Não tugiram e nem mugiram.Pegasram o beco, como se diz na linguagem popular.

Com apoio de Zé Ângelo e Paulo Romano, José Guilhermino reunia semanalmente com os árbitros e mostrava a necessidade de estudarem e de se livrarem das “amizades” com cartolas de futebol, se é que existia.

Hoje, o apito paraense está renovado de ser e de caráter com Dewson Fernandes, Andrei Silva, Joelson Nazareno (o melhor do campeonato deste ano), Clauber José Miranda, José Ricardo, Diogenes Menezes, Joelson Silva dos Santos, Marcelo Silva Santos, Joel Alberto Rezende Teixeira, Marcelo Gladson, José Ricardo Guimarães Coimbra, Diogenes Menezes Serra e Eronildo Sebastião Ferreira da Silva e outros que buscam espaço na arbitragem paraense.

Tenho tentando puxar a língua dos cartolas e de seus assessores, mas um representante de clube junto a FPF me disse: "Esta f..., Zeca. Eles não querem acordo." Acabou. Hoje nos corredores da FPF e no bar do "traíras" não tem mais espaço para àqueles que viviam de conchavos e de acertos.

Hoje os dirigentes dos clubes não dizem que deram pneu de carro, tênis, teclado, carro para beltrano e sicrano como eu vi e ouvi numa noite no Boteco das Onze Janelas o ex-presidente do Águia (hoje deputado estadual), João Salame, abrir a boca e dizer que “tem safado no apito do Pará, Zeca”. E citou nomes que prá não ferir suscetibilidades e eu não ter que bater ponto na justiça prefiro colocá-los numa pasta do meu “HD”.
É o que há!

quarta-feira, 13 de julho de 2011

DISK BIG BEN:3201-3000



Domingos de Jesus Viana, Kleber Ribas e João Pedro Duarte Ferreira desapareceram sem quê nem prá quê da arbitragem paraense.

Amanhã neste blogue!
É o que há e Boa-noite!

MAX FERNANDES, A PROVA DA CREDIBILIDADE

Akel Casseb, conhecido como "Patinho", doou 50 sacos de cimento.

Um empresário de meio a meio mandou uma carrada de seixos para o "Serra Freire".

E outros remistas anônimos encheram o piso do ginásio azulino de material de construção, que servirá para a reforma do próprio remista, na Braz de Águiar.

Tudo isso tem um mentor: Max Fernandes, que puxou prá si responsabilidade e é um azulino de credibilidade. E tem moral.

Um advogado conhecido como "Magnata" esteve hoje no ginásio e viu o que está sendo feito e prometeu doar ao Remo uma tabela móvel(custo de R$ 14 mil)

Este blogueiro apostolado conversou com o Max Fernades sobre o sucesso da empreitada, mas nem tanto conforme disse: "Zeca, agora falta a 'baba' prá pagar os operários e conto com sua colaboração no seu programa na Rádio Liberal e no seu blogue."

Infelizmente, os R$ 250 mil da emenda parlamentar para a reforma do ginásio remista caiu nas mãos de quem só pensa no próprio bolso.

Então, como Max merece a minha e a sua credibilidade, vamos apoiá-lo.

9 PARA O APITO PARAENSE


O apito paraense está vivendo um novo tempo.

Dewson Fernando Freitas da Silva, que apitou Duque de Caxias 2 x 3 Grêmio Barueri, no dia 5/7, pela 10ª rodada da série B, recebeu a nota 9(nove) do presidente da Comissão Nacional, Sérgio Correa, que comunicou excelente nota do árbitro paraense à tarde de ontem.

Dewson contou com as assistências dos conterrâneos: José Ricardo Guimarães Coimbra e Diogenes Menezes Serra. Parabéns!

E o mentor de toda essa reviravolta chama-se José Guilhermino de Abreu, um dos comandantes da Comissão de Arbitragem da Federação Paraense de Futebol.

Dewson, Andrei e Clauber pertencem ao quadro nacional, e há mais duas vagas para o Pará e, segundo o próprio Guilhermino, uma dessas será do Joelson Nazareno Ferreira Cardoso, 30, que apitou nove partidas pelo Parazão deste ano e, na opinião deste blogueiro, foi o melhor árbitro da competição.

Guilhermino espera que este ano a Comissão Nacional de Arbitragem, que tem como presidente, Sérgio Correa, faça valer o bom desempenho do apito paraense, passando de três para cinco os nossos representantes no quadro nacional.

Foi esta nova postura dos nossos apitadores que fez - em parte - que o Independente chegasse aonde chegou: campeão paraense de 2011.

Em um passado bem recente quando que o Independente de Tucuruí cantaria de galo dentro do Mangueirão?

Quando que um daqueles pilantras daria cinco cartões amarelos para jogadores do Paysandu, como deu o Clauber José Miranda na final do campeonato?

É outra postura!
É o que há!

terça-feira, 12 de julho de 2011

DISK BIG BEN:3201-3000



O APITO DO PARÁ NOTA 9!
Amanhã no blogue!

O TRAÇO DO CARTOLA

Hoje vou meter o bedelho por onde nunca me arvorei a meter.

Desde o dia 7 de abril do ano passado que TUDAOETUDINHO prima pelos fatos regionais. Tem sido a marca deste desajeitado e difuso blogue.

Eu já sabia que o mundo do futebol e empestado de tudo quanto não presta, mas lendo JOGO SUJO, O MUNDO SECRETO DA FIFA: COMPRA DE VOTOS E ESCÂNDALO DE INGGRESSOS (Andrew Jennings, Panda Books) fixo no meu "HD" a certeza de que a “sujeira” no futebol é macro - começando pela FIFA.

Eis os fatos: no dia 30 deste mês, na Marina da Glória, no Rio de Janeiro, acontecerá o sorteio das eliminatórias da Copa-14, e será transmitido, pela TV, para 208 nações, contando com as presenças de Joseph Blatter, presidente da FIFA; João Havelange,presidente eterno da entidade; presidentes de confederações dos países envolvidos no evento; Pelé, ao menos 20 jogadores, além de governadores, prefeito e políticos de todas as matizes. Um ex-jogador e atualmente deputado federal não se fará presente: Romário. É o que anunciam os jornais do eixo Rio-são Paulo.

Romário passou a ser inimigo figadal de Ricardo Teixeira quando àquele, na condição de deputado federal, requereu á mesa do Congresso Nacional a presença do presidente da CBF à Câmara a fim de explicar as denuncias de propina e o superfaturamento do custo dos estádios da Copa do Mundo em Estados sub-sedes.

Prá completar o cerco a Teixeira, Romário encabeçou movimento para a criação de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) com a finalidade de investigar o presidente da “Casa Bandida do Futebol” (CBF) no dizer do jornalista Juka Kfouri. Não deu em nada.

Pasmem senhores blogonautas: o presidente do Comitê Organizador Local da Copa do Mundo (COL), Ricardo Terra Teixeira, conseguiu dá um senhor “traço” no deputado federal, Romário: a grande maioria dos deputados não avalizou o convite e tampouco a CPI. Romário ficou com a cara de égua e não irá á festa do dia 30 do qual foi um dos cabos eleitorais em 2007, em Zurique, quando a FIFA escolheu o Brasil para sediar a Copa de 2014.
É o que há!

VAIAS E VAIAS, SENHOR ROBERTO FERNANDES

Afinal, qual é o time do Paysandu para a estreia dia 18 contra o Araguaína?

Para iniciar o jogo, João Galvão escalou o Águia com a formação titular: Marcelo Cruz: Sinésio, Roberto, Carlão e Rairo; Wiliams Santos, Danilo, Analdo e Flanel; Pery e Alan.

Roberto Fernandes escalou Fábio Gaúcho no meio. Figura apagadissima nos primeiros 45 minutos, mas no segundo tempo atuou na lateral esquerda e teve melhor desempenho

Wagner e Márcio Santos, a dupla de zagueiros do Papão, não mostraram qualidade.
Não gostei, mas, foi a primeira apresentação.

No setor de meio-campo Rodrigo Pontes e Charles Wagner não corresponderam a expectativa do torcedor bicolor, que vaiou o time em boa parte do primeiro tempo e no final de jogo.

No tgime do Águia, Analdo e Flanel, como de sempre, dando as cartas contra o Papão.

Robinho, Welington e Luciano Henrique foram os melhores no primeiro tempo.

No segundo tempo, tanto o Paysandu como o Águia, mudaram 97% das suas equipes:
Álax, Fábio Gaúcho e Welington, pelo Paysandu, e Sinézio, Rairo e Analdo, pelo Águia, permaneceram em campo.

“Vamos dá entrosamento a essa equipe com a continuidade de jogos”, disse no final do jogo o treinador Roberto Fernandes.

E não disse qual é o time titular do Paysandu para o jogo do dia 18 contra o Araguaína.

Decerto mesmo é que o torcedor bicolor deixou o campo cabreiro com o time do Paysandu.

Time de R$ 420 mil, para o que apresentou ontem contra o Águia de Marabá é muito pouco.

E tenho quase que certeza que o presidente Luís Omar não gostou do que viu.
É o que há!

segunda-feira, 11 de julho de 2011

MODERADOR DE APETITE


Hoje de manhã no gramado do Baenão treinava o time do Águia de Marabá.

O preparador físico, Roberto Ramalho, participava da brincadeira, jogando parado, só recebendo as boas.

Um torcedor chega às arquibancadas do Baenão e depois de alguns minutos pergunta:
- Quem é este gordinho?
- É o preparador físico do Águia - respondeu outro torcedor que estava em pé no alambrado.
- Égua! Ele precisa tomar CEBUTAMINA(é um inibidor de apetite)
É o que há!

DISK BIG BEN: 3201-3000

"DIRIGENTE MENTIROSO"


"Porra, a gente vem prá trabalhar e os caras não têm respeito para com estes meninos. Tem menino aqui que vem de Castanhal, outros de Santa Izabel e agora chegamos aqui o Águia está treinando. Custa dá um telefonema e dizer que o campo foi cedido para o Águia? Mas, não, eles têm o prazer de sacanear. É assim que eu entendo...", dizia Carlinhos Dorneles, técnico das divisões de base do CR, hoje de manhã no Baenão.

Era geral a indignação no departamento de amadores do CR, hoje de manhã, porque o Baralho cedeu o campo para o Águia de Marabá treinara e não comunicou o diretor da base. Desde sábado que o time marabaense treina no gramado do Baenão, visando o jogo de hoje à noite no Mangueirão contra o Paysandu.

Carlinhos Dorneles, a bem da verdade, não anda satisfeito no Baenão, pois além de não receber vencimentos,não conta com a simpatia de alguns diretors azulinos. Um inclusive, num programa da RBA, o acusou de cobrar R$ 100,00 de inscrição da garotada, o que não é verdade.

O diretor que o acusou foi o Francisco Rosas, mas Carlinho diz que o dirigente é mentiroso: "É uma baita mentira deste senhor, que não sabe dos fatos e fica a espalhar inverdades. O que existe é que o garoto paga R$ 20.00 prá fazer laboratório durante 15 dias, e se aprovado fica conosco e não paga mais nada, nem material porque o clube dá tudo", confirmou Dorneles.

Carlinhos Dorneles e os diretores estão se mobiliando para que o clube forneça refeições aos garotos após a jornada matinal. A cozinha, do lado do Carrossel, já está preparada para cuidar da alimentação da rapaziada.
É o que há!

EXPECTATIVA


Desde sábado, 9, que acompanho a delegação do Águia de Marabá que está no Hotel Sagres.

Ontem de manhã assisti ao treino do time no gramado do Baenão ao comando de João Galvão.

Nos dois dias que convivi com os marabaenses percebi que a diretoria está ansiosa quanto ao pedido do Paysandu que solicitou ao governo do Estado Passagens e hospedagens para a campanha da terceira divisão.

“Eu não acredito que o governador Simão Jatene vá discriminar o sul do Pará. Se ceder para o Paysandu, tem que ceder para Águia, São Raimundo e Independente, asseverou João Galvão,

Por outro lado, o presidente do Paysandu, Luís Omar, está também na expectativa da decisão do governador, pois o bicolor paraense só jogará no Mangueirão se houver a contrapartida.

Caso contrario, o clube mandará seus jogos na Curuzu, que poderá receber o Rio Branco (Acre) no dia 25 deste mês, segunda-feira.

MÉDIA DO TIME DO PAYSANDU
O elenco bicolor está 97% renovado para o jogo amistoso de hoje contra o Águia e tem média de idade de 30.5: Alexandre Fávaro (29); Álax (20), Wagner (28), Marcio Santos (33) e Jean (28); Charles Wagner (29), Rodrigo Pontes (30), Robinho (23) e Fábio (30); Welington (22) e Luciano Henrique (33).
É o que há!